Skip to content

Sobre o Autor

Leonardo Boff (*1938) doutorou-se em teologia pela Universidade de Munique. Foi professor de teologia sistemática e ecumênica com os Franciscanos em Petrópolis e depois professor de ética, filosofia da religião e de ecologia filosófica na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Conta-se entre um dos iniciadores da teologia da libertação. É assessor de movimentos populares. Conhecido como professor e conferencista no pais e no estrangeiro nas áreas de teologia, filosofia, ética, espiritualidade e ecologia. Em 1985 foi condenado a um ano de silêncio obsequioso pelo ex-Santo Ofício, por suas teses no livro Igreja: carisma e poder (Record).

A partir dos anos 80  começou a aprofundar a questão ecológica como prolongamento da teologia da libertação, pois não somente se deve ouvir o grito do oprimido mas também o grito da Terra porque ambos devem ser libertados. Em razão deste compromisso participou da redação da Carta da Terra junto com M.Gorbachev, S.Rockfeller e outros. Escreveu vários livros e foi agraciado com vários prêmios.

Salientamos alguns títulos: Ecologia: Ecologia, Mundialização, Espiritualidade (Record), Civilização planetária (Sextante), A voz do arco-iris (Sextante), Saber cuidar (Vozes), Ética e ecoespiritualidade (Verus), Homem: satã ou anjo bom (Record), Evangelho do Cristo cósmico (Record); Do iceberg à Arca de Noé (Sextante); Opção Terra. A solução da Terra não cái do céu (Sextante); Proteger a Terra-cuidar a vida.Como evitar o fim do mundo (Record); Ecologia: grito da Terra, grito do pobre (Sextante) pelo qual recebeu o prêmio Sérgio Buarque de Holanda como o melhor ensaio social do ano de 1994 e em 1997 nos EUA foi considerado um dos três livros publicados naquele ano que mais favorecia o dialogo entre ciência e religião.

Junto com Mark Hathaway escreveu nos USA The Tao of Liberation. Exploring the Ecogoy of Transformation com Prefácio de Fritjof Capra, ganhando a medalha de ouro da instituição Nautilus para criatividade intelectual e o primeiro lugar do livro religioso do ano. Recebeu os títulos de dr.honoris causa em política pela Universidade de Turin em 1991, dr.honoris causa em teologia pela Universidade de Lund (Suécia) em 1992 e dr.honoris causa em teologia, ecumenismo, direitos humanos, ecologia e entendimento entre os povos pelas Faculdades EST de São Leopoldo em 2008 e dr.horis pela Cátedra del Água da Universidade de Rosário na Argentina em 2010.  Em 2008 pela Universidade de São Carlos em Guatemala e pela Universidade de Cuenca no Equador, recebeu o titulo de Professor Honorário. Foi assesssor da Presidência da Assembléia da ONU ao tempo da administração de Miguel d’Escoto Brockmann (2008-2009) e participa atualmente do grupo de reforma da ONU, especialmente quanto à Declaração Universal do Bem Comum da Terra e da Humanidade.

239 Comentários leave one →
  1. Deborah Terezinha de Paula permalink
    10/05/2011 8:43

    Leonardo

    Sou sua fã incondicional. Atualmente curso o Doutorado em Ciência da Religião UFJF, com o tema “A Diafania do Divino no coração do Universo em chamas: a mística de Teilhard de Chardin”. Eu e Faustino devemos mexer no título, mas o tema é este. Seu livro Cristo Cósmico tem me ajudado muito. Se tiver qualquer coisa e puder enviar…

    • Enrico Hyppolito permalink
      07/01/2012 19:04

      Sr. Leonardo. Em cada texto ha algo cristao ali, em cada linha. Antes de dizermos que o Sr. e isso ou aquilo, e preciso, nao so ler suas publicacoes e entender, mas praticar o ensinamento. Independente de titulos , homenagens, enfim, coisas de homens. Basta ler e praticar. Afinal, a prestacao de contas sera entre cada um , individualmente, e o nosso PAi.Desta vez, quero agraceder. Obrigado.

      • Jose Olavio Fernandes permalink
        16/03/2014 11:30

        Sou um GR admirador, deste avassalador da cultura brasileira, mas ele é muito avançado para minha baixa compreenção.

    • Severino Pereira permalink
      11/01/2012 9:49

      Ola Terezinha de Paula. Muito me alegro em ver que vc esta escrevendo sua tese sobre o pensamento de Teilhard de Cardin. Sou um simpatizante das posturas dele, e um leito em fase inicial. Recentemente me graduei em filosofia, com o trabalho em Max Scheler. Ia trabalhar em Chardin, mas por dificulade com as obras tive que desistir. Mas te parabeniso. E muiro me alegraria se pudesse ter a honra e folhear o seu trabalho.

  2. 10/05/2011 16:53

    A maravilha da internet e’ esta possibilidade de contactar pessoas que admiramos, e ate’ mesmo as que nao, de uma maneira que a menos de duas decadas nao podiamos.

    E, por vivermos o antes e depois da internet, ainda que tarde na vida, me regozijo pela
    oportunidade de dizer, virtualmente em pessoa, o grande apreco e admiracao que sempre
    tua figura inspirou na minha geracao.

    Assim, agrego esta personagem que eres, na minha lista de pessoas que sempre desejei apertar as maos, ainda que virtualmente. Ja’ pude faze-lo com o grande Dom Pedro de Casaldaliga, catalan como meu pai o qual, muito graciosa e gentilmente, me respondeu.

    Grande trabalho, te congratulo, pela firmeza de tuas posicoes. Tuas palavras sao sempre uma brisa de civilidade em meio a esta nova “era da ignorancia”, como eu chamo, que estamos vivendo.

    Tens em mim um adepto em 99% do que pregas. O resto, 1%, se deve ao fato de que sou um humanista, ou um ateu como me veem os que creem.
    Mesmo assim, aceite meu forte abraco com o desejo de ouvi-lo por muitas decadas adiante, e que tuas palavras tenham um efeito positivo sempre.

    PACO BERTOMEU, 61 – brasileiro
    California – EUA

    • 23/05/2014 21:06

      Prezado Frei Boff,
      Aprecio muito as tuas palavras. São palavras que tocam e transformam o nosso modo de ser e de enxergar a vida. Por todas as publicações que tens disponibilizado neste site, sinto-me agradecida.

  3. 02/06/2011 3:59

    Foi grande a transformação que a obra de Frei Leonardo Boff fez em minha vida,”A Águia e a Galinha”,uma metáfora da condição humana magnífica.
    Digo “Frei”,talvez em consideração a irmandade em Cristo que vejo em cada ser humano e pela forma de como mudou meu conceito em ver o Eterno com mais clareza.
    Não tenho palavras para descrever a emoção que foi poder ter esse contato,mesmo que virtual,pelo twitter,e como disse o cavalheiro acima,Frei Leonardo Boff é um dos grandes que “queria poder apertar a mão” e olhar nos olhos,para sentir o quanto é real o bem na Terra,ainda que por mais que o vento sopre contra,é bom saber que não estamos na luta sozinhos. PARABÉNS E PAX ET BONUM.

    Geraldo Márcio Pinheiro
    Crucilândia MG
    Belo Horizonte MG
    twitter.com/marcioproteste

  4. Purificacion permalink
    22/07/2011 13:14

    Leonardo, admirado:

    Desculpeme por no falar português. Variados colectivos tentamos fazer una petiçäo a la “Fundación Cultura de Paz” (Federico Mayor Zaragoza) para que viagen a Libia como observadores para comprovar lo que la OTAN/NATO está faciendo com ese país. Nos apoiaría en la nossa petiçäo?
    Muito obrigada!
    Purificacion

  5. Guilherme permalink
    22/07/2011 17:54

    Doutorou-se em teologia?? Que valor tem um diploma do qual o objeto de estudo nao existe?

    • Cristiano J Ramalho permalink
      31/08/2011 0:13

      Por acaso você procurou saber toda trajetória do Leonardo Boff? Creio que não viu a contribuição dele não somente para a Santa Sé, mas também para a humanidade com seus trabalhos.
      Seja menos pueril e mais educado com as pessoas. Saiba que isso é de suma importância para uma boa convivência entre os pares.

      Sucesso.

      Cristiano J Ramalho

      • Luís permalink
        17/10/2013 21:22

        Saudações cordiais pela sua reacção, adequada ao comentário feito!
        Cumprimentos.

    • 12/12/2011 23:12

      Na verdade o objeto de estudo da teologia não é o Deus propriamente dito, mesmo porque seria impossível estudar um objeto desta magnitude. A teologia lida com a interpretação humana acerca do divino de modo que não é uma ciência com o fim de analisar um objeto, mas um agregado interdisciplinar com o fim de aprimorar a experiência humana.

      • Pr. Josenildo Miranda permalink
        10/03/2012 19:34

        Sim. Este é o conceito de teologia.

      • GILMAR permalink
        07/05/2013 19:46

        isto mesmo !!!…

    • 27/12/2011 14:06

      “Puer insipiens”…..

      Não te assusta o fato de andar na contra-mão e sozinho?

      Procure nos dicionários o significado da palavra teologia.

      E da próxima vez que a audácia lhe tentar, pense bastante, antes de colocar seu nome junto a uma declaração de ignorância desta monta. É isso que dá se meter a dar palpite onde não se é habilitado.

      Minha santa maezinha costuma dizer que o apressado come cru e queima a língua….. hehe.

      • Luís permalink
        17/10/2013 21:26

        Cumprimento-o pela resposta dada a um comentário que efectivamente, pela forma como foi feito, me parece infeliz. Na verdade não se deve confundir liberdade com insolência.
        E cordialidade e educação deve ser algo que devemos prezar nas relações que mantemos uns com os outros.

    • Chico permalink
      08/01/2012 13:36

      Sou ateu e respeito os trabalhos de Leonardo Boff independentemente de algumas divergências no campo teológico. O que está em questão aqui é a contribuição de um ser humano para o bem de todos. Não importa se esta contribuição parte de um cristão, muçulmano, judeu, budista ou ateu. Uma vez que todo ser humano é capaz de fazer coisas belas. É óbvio, entretanto, que se adentrarmos ao campo sensível da fé haverá indubitavelmente choques de opinião. Mas, deixemos de lado o que nos aparta uns dos outros e nos unamos ao que nos aproxima. Por que não nos unir em torno de questões nobres como a erradicação da fome e da miséria? A erradicação do analfabetismo? O acesso à educação de qualidade à todos? Moradia, saneamento básico, saúde de qualidade e a preservação do meio-ambiente, independente de credos, dogmas e religiões? Acredito que todo ser humano, crente ou não, é capaz de tais atitudes. Esqueçamos por um instante em querer impor a verdade sobre o nosso deus ou sobre a não-existência de um deus aos outros e nos unamos em torno de ideais maiores e mais próximos de nós. Abraços!!!!

      • 02/03/2013 19:57

        Com certeza todos tem capacidade de fazer o bem. O de livrar-nos do mal só Cristo pode, e poucos o querem de fato. Gostei muito de seu comentário, Chico. Parabéns.

      • Luciana Villar permalink
        09/03/2013 11:00

        É isso aí, Chico! Voltemos ao essencial…

      • Luís permalink
        17/10/2013 21:30

        Não sei se o meu Amigo é ateu mas na verdade fico na dúvida pois demonstra ter um coração nobre, provàvelmente muito mais generoso do que muitos que se apregoam fiéis mas cuja prática contraria essa aparente fidelidade.
        Cumprimentos por uma intervenção e um pensamento inteligente.

      • 02/04/2014 15:42

        sr luís, agora quem está sendo preconceituoso és tu, então quer dizer que uma pessoa ateia não pode ser pura de coração, nem tampouco nobre, estranho como os ditos cristãos são preconceituosos apesar de pregarem o amor ao próximo, comentário infeliz o seu, apesar de não ser ateu eu me senti ofendido pelo seu pensamento medieval…

      • lenir zardo permalink
        04/04/2014 0:59

        Concordo com cada palavra sua Chico, como vc sou ateu mas admiro muito a grande contribuição para o mundo ofertada por Leonardo Boff. Mais homens como ele existissem e mundo com certeza seria muito melhor!

      • 31/05/2014 12:14

        Leonardo Boff é a presença do Deus vivo entre nós… Deverás, devemos deixar de lado posições teológicas e juntos, combatermos todas as mazelas, próprias do nosso tempo: fome, educação, saúde, transportes e infra-estrutura de péssima qualidade… Providencial os comentários de vocês, apenas peço que as palavras sejam mediadas e pesadas para que as diferenças sejam respeitadas, pois sou cristão e não sou nem um pouco preconceituoso, pois muitos amigos ateus vivem mais o amor ao próximo que muito que se dizem crentes em Deus!!! Amar é respeitar ao outro, independente de posições político/partidárias..

    • Inmanuel permalink
      13/07/2012 21:45

      Un consejo: Que tus palabras sean más valiosas que tus silencios. Si no es para hablar mejor de lo que lo haces, elige quedarte callado. Muchas gracias.

    • 13/10/2012 0:44

      Foi o acaso que criou o maior complexo visível, o automatizou pelas leis da física, foi do nada que passou existir tudo que é visível ? TODA complexidade, perfeição, capacidades desenvolvidas por TODOS os seres vivos adveio do nada absoluto ? O que existia a 10 sextilhões de anos ? Nem DEUS existia a 100 sextilhões de anos…

    • Maria Elena Alfaro permalink
      31/01/2013 12:10

      Prezado Leonardo, gostaria de saber se é possível obter “Igreja, carisma e poder” no formato Epub (para livros digitais). Muito obrigada. Maria Elena.

    • marcia valeria permalink
      22/04/2014 20:46

      COITADO NÃO SABE NEM O Q TAH FALANDO … IGNORANTE DEMAIS ….

  6. Andre Luis Teodosio permalink
    04/08/2011 1:49

    Admiro muito seu trabalho, e admiro sua luta, assim como de muitos outros que propõem uma ética planetária; atualmente estou lendo seu livro “Civilização Planetária”.

  7. 19/08/2011 13:22

    Ésimplesmente um prazer enorme, para mim, o fato de poder dizer “pessoalmente” o que queria dizer pessoalmente. Eu tive a honra de fazer o fly do seu “Balanço aos 70″, que comemorou seus 70 anos lá no Centro Universitário UniBennett, no Rio de Janeiro. No evento eu era aluno de Teologia da faculdade. Hoje, já graduado, tenho que dizer que seus escritos, sua participação efetiva na sociedade e o seu compromisso com o Reino foram os ingredientes que fizeram de mim um teólogo que fez sua “escolha preferencial pelos pobres”.

    Muito obrigado pela riqueza de vida e de escritos que trazem a nós o orgulho de sermos teólogos latino-americanos e com um real compromisso com o “já e o ainda não”.

  8. Suely Lago Reis permalink
    26/08/2011 17:17

    Ola Leonardo,
    Gostei de te conhecer pessoalmente. Li seus livros e atraves deles consegui ter uma expansão da consciencia espiritual.
    Li o Poema de de Nietszche, Um Deus Desconhecido. Era tudo que queria.
    Émuito bom saber que pessoas como voce contribuei para a humanidade destpertar o seu ser interior.
    beijos no coração Suely Reis

  9. 27/08/2011 23:49

    Apreciado Leonardo Boff, su Libro de Maria el Rostro Femenino de Dios fue excelente y es muy actual despeues de 25 años de su lectura.

    Monseñor Victor Manuel Cruz Blanco, Obispo Ordinario
    Iglesia Anglicana del Caribe y la Nueva Granada

  10. Mônica Leite da Nóbrega permalink
    28/08/2011 13:42

    Ao incrível Leonardo Bofff… compartlho aqui a minha felicidade em ter particidade de sua fantástica palestra em Juazeiro do Norte – CE. Foi, realmente, um semear de conhecimento tão grandioso que dará, certamente, frutos até o fim de nossas vidas! Parabéns!
    E muito obrigada por tornar esse momento possível, a nação juazeirense agradece de coração!

    Mônica Leite da Nóbrega – professora

  11. Ismael Carneiro permalink
    30/08/2011 11:40

    Uma mente brilhante!

  12. divaldo permalink
    11/09/2011 11:08

    Pensamentos e ações libertadoras, são de Leonardo Boff. Sempre no caminho de Cristo.
    Fazendo o bem para a Terra , as pessoas . Trabalhador do Reino de Deus.

  13. 20/09/2011 0:04

    Sou admirador de seu trabalho, Parabéns!

  14. 26/09/2011 2:23

    Meu irmão Leonardo Boff, obrigado pela bela entrevista concedida ao jronalista Kennedy Alencar (RedeTV) no programa “É Notícia”. Já tinha lido algo sobre a Teologia da Libertação, mas confesso que o seu “entusiamo” e clarividência postos na entrevista aguçaram-me ainda mais o apetite. Nas definições rápidas, você define Jesus Cristo como “meu irmão” que dá uma resposta à vida para além da vida. Daí o meu atrevimento em chamar-lhe também “meu irmão” pelas perpectivas que acabou de abrir no meu horizonte. Gostei muito do que ouvi falar da sua boca. Para ser-se cristão não é preciso ser membro da Igreja ou das igrejas. Mais ainda, as igrejas institucionais acabam mesmo por abafar o carisma do cristianismo autêntico. Bem-haja, irmão Leonardo!

  15. Erivelto permalink
    27/09/2011 0:19

    A você minha admiração e meu desejo sincero de que Maria te envolva no seu manto protetor, vc derrama inteligência e tolerância em nossas vidas. Seu livro A Águia e a Galinha marcou muito meus 19 anos, hoje aos 34, sempre que sinto a noite escura na minha alma retomo seus escritos, em especial hoje o Bom Pastor. Muito obrigado mesmo Leonardo, vc enobrece o Brasil!

  16. Leonor Miranda Maia permalink
    28/09/2011 22:19

    A palavra certa na hora certa!
    Muita admiração por essa pessoa especial.

  17. Christiane Almeida permalink
    06/10/2011 1:03

    Prezado Prof. Leonardo Boff, como expressaram os amigos acima, a internet permite matar saudades de suas reflexões sobre o humano atual. Assiste sua entrevista na rede tv, gostaria de parabenizá-lo.

  18. 11/10/2011 13:21

    Tua forma de pensar é a mesma forma minha de pensar,se não nos conscientizar-mos que o Planeta Azul é a terra prometida um paraiso que Deus nos deu para,dicenir entre o certo e o errado, sobre-viver,evoluir e lapidar nossas Almas.
    Então atingi-mos nosso objetivo tão almeija-do por DEUS O A M O R
    Peço muita proteção a ultima praia virgem do SP a praia de Itaguaré-Bertioga-SP,sofre pressão de expeculadores imobiliarios,construtores civis e empresarios que adoram só um tipo de verde o dolar,é uma praia linda com biodversidade em fauna e flora um hot-spot de Mata Atlantica em extinção um bem a um Mundo Novo O Planeta Azul o Planeta Terra.
    http://www.sositaguare.blogspot.com

  19. Alcides Riveros Diaz permalink
    19/10/2011 12:33

    Hola Leonardo: muchas felicidades, porque en tu vida has demostrado que tiene una preocupación admirable sobre las diferentes dimensiones der ser humano. Lo que te quiero preguntar es; ¿será posible pensar sobre un nuevo enfoque teológico especialmente para los migrante? Abrazo fraterno!! desde Belo Horizonte. (MG)

  20. Delis Ditta permalink
    02/11/2011 14:56

    Buenas tardes,

    Saludos!

    Escribo desde la Universidad Latinoamericana y del Caribe y quisiera saber como puedo hacerle llegar una invitacion al señor Boff, para participar como ponente en el Simposio sobre Cambio Climatico a celebrarse por esta universidad proximamente en Panama.

    Agradezco su atencion y la ayuda que me puedan prestar.

    Delis Ditta
    Asistente Consejo Superior
    ULAC

  21. 11/11/2011 2:19

    Meu irmão Leonardo Boff, obrigado pela bela entrevista concedida ao jronalista Kennedy Alencar (RedeTV) no programa “É Notícia”. Já tinha lido algo sobre a Teologia da Libertação, mas confesso que o seu “entusiamo” e clarividência postos na entrevista aguçaram-me ainda mais o apetite. Nas definições rápidas, você define Jesus Cristo como “meu irmão” que dá uma resposta à vida para além da vida. Daí o meu atrevimento em chamar-lhe também “meu irmão” pelas perpectivas que acabou de abrir no meu horizonte. Gostei muito do que ouvi falar da sua boca. Para ser-se cristão não é preciso ser membro da Igreja ou das igrejas. Mais ainda, as igrejas institucionais acabam mesmo por abafar o carisma do cristianismo autêntico. Bem-haja, irmão Leonardo!
    +1

  22. Maria da Graça Gondim permalink
    22/11/2011 19:39

    Como não tenho formação academica, mas tive a graça de pertencer a uma igreja que tinha era orientada pla. Teologia da Libertação, Leonardo Boff, frei se espirito não me engana… silenciado por ousar mostrar a visão cristã voltada para o homem em seu todo…
    Foi nesta igreja viva que vivi os meus melhores tempos como CATOLICA, a gente estava ali vendo Deus no em nos e no outro, Jesus vivo hoje na pessoa do oprimido… FREI LEONARDO BOFF, grata pela Igreja que atraves da Teologia da Libertação deu grande força as poucas mudanças que hoje temos.. Claro que para o Vaticano e os poderosos essa teologia é realmente perigosa… a gente abri o bico e abrir o bico como Boff nos mostrava na sua evangelisação… corre-se muito risco.
    A TL hoje parece esta em cinzas… mas acredito que um dia a brasa voltará a tona e VAMOS VIVER UMA IGREJA UNIDA COM TODOS OS CREDOS E CRENTES BUSCANDO A PAZ E O BEM PARA TODOS OS HOMENS, NA LIBERTAÇÃO DE TANTOS OPRIMIDOS… OBRIGADA LEONARDO BOFF O SENHOR É 10 É 1000.
    PAZ E BEM! GRAÇA GONDIM.

  23. Frederico Moreira Guimarães permalink
    28/11/2011 21:09

    Leonardo Boff, eu gostaria de ter a oportunidade de agradecer pessoalmente a tudo o que eu aprendi com o senhor. Em especial, com os livros: “Jesus Cristo Libertador” e “Os Sacramentos da Vida e a vida dos Sacramentos”.

    Infelizmente, como isso não foi possível até agora, vou agradecer via este blog. Mas espero muito a oportunidade de poder conhecê-lo pessoalmente.

    Um dos meus sonhos era vê-lo “conversar” com os meus alunos. Aqueles jovens tem muita necessidade de uma pessoa com o seu tipo de conhecimento para auxiliá-los na busca e na construção de uma humanidade diferente, mais aberta e mais acolhedora.

  24. 08/12/2011 14:04

    Me considero un conocedor minimo de tan magna obra que usted ha plastamado para la posteridad y tengalo por seguro que sus conceptos perduraran durante muchos años en la conciencia colectiva de la gente que quiere un mundo mejor, con justicia, equidad, tolerancia e igualdad de oportunidades…

  25. Martha Gouveia permalink
    13/12/2011 17:31

    Li muitos de seus livros, que me fizeram encontrar a cada dia um pedacinho do Deus que existe em mim.
    Sou católica e já frequentei várias religiões e ainda espero ansiosamente e com fé o dia em que poderemos vivenciar a religação, a união entre as pessoas de diferentes religiões.
    Aprendo a cada dia através das oportunidades de contato com outras pessoas (pedaços de Deus) que sempre nos modificam se estamos abertos.
    É muito bom conhecer sua palavra.

  26. Izabel permalink
    26/12/2011 14:25

    Acabo de ler uma mensagem sua sbre o natal antigo.Gostei.Gosto dos seus escritos livros etc..Sou Mercedária da caridade ,me preparo para ir para Filipinas,tem algo a me dizer?

    • 26/12/2011 20:47

      Izabel, vá para as Filipinas com o coração aberto e a mente vazia. Não ensine doutrinas mas o evangelho e prática de Jesus. Lembre-se que o Espírito Santo chega sempre antes do missionário, pois tudo que tem a ver com o amor, a justiça, a compaixão, o perdão e o amor revela a ação do Espírito. Aprenda na troca com aquela cultura diferente e testemunhe os valores humanitários da nossa. Assim vc vai se converter antes de converter os outros.
      Que o Espírito sempre a acompanhe para decidir pelos melhores caminhos.
      Boa vigem
      lb

      • Izabel R. de Lima permalink
        04/04/2012 11:03

        “Lembre-se que o Espirito Santo chega antes que o Missionário”. Ele chegou mesmo ,mas foi para me dizer para não ir.Fui para Recife,peguei dengue ,é a segunda vez, estou debilitada e não pude ir. A vida nos exige muita abertura ao Espírito pois nem sempre fazemos o que queremos mas Sim o que Ele quer. Ficou para a proxima isto é se Ele quizer..Abraços Irmã Izabel…

      • Livia Azevedo Aprígio permalink
        03/02/2013 1:03

        Caro Leonardo….
        Que belas palavras de incentivo…
        Queria dizer-lhe que sou muito desligada de internet, tv etc.. Sempre preferi os livros… Mas com os filhos vamos nos “atualizando” e acabei por me inserir nesse contexto virtual..kkkkk
        Quero ainda um dia poder te conhecer pessoalmente…Mas no agora, já agradeço a Deus por ter permitido e ter através da rede, conhecido uma pessoa como vc e na qual não vou me alongar citando suas qualidades, pois outros tão bem o fizeram..Do fundo do coração te digo: Obrigada por existir!!!

  27. Marcelo F Santos permalink
    03/01/2012 12:31

    Prezado Doutor, Professor, Padre, Pai e Homem Leonardo Boff:

    Sinto-me profundamente honrado em tê-lo como írmão brasileiro e irmão em Cristo.
    Poderia demorar em elogiá-lo pelos predicados conquistados durante esses bons anos de vida na Terra, porém, gostaria apenas de agradecê-lo pela enorme contribuição dada, de graça, aos milhões de brasileiros desamparados e excluídos por essa má política que perdura há anos no nosso amado país, a sua sabedoria é espelho para muitos de nós que ainda engatinham, degrau a degrau, para uma vida de paz, igualdade, fraternidade e amor.
    Que nosso DEUS continue te abençando…

  28. 04/01/2012 15:52

    Precioso Leonardo,

    seu recado a Izabel também falou comigo!
    Meu coração tem queimado por isso: “Não ensine doutrinas mas o evangelho e prática de Jesus”!
    Concordo que o Espírito Santo chega antes mesmo…

    Obrigada!

    Martha

  29. Bia permalink
    05/01/2012 17:36

    Por dias tenho muita vontade de agradecer o artigo: ” Só um Deus nos poderá salvar” … Como uma banho de luz, tua reflexão tão profunda citando Heidegger, se constituiu nesta semana, em uma pista maravilhosa na busca que venho fazendo em minha reflexão pessoal! Obrigada professor!!!! Deus abençoe tua missão tão bem respondida de humilde mediador de “luzes”.
    Bia

  30. María Jesús Olivera de Campos permalink
    05/01/2012 21:04

    Gracias por las recetas de vida.Sino oímos a los demás y a la tierra estamos viviendo mal y sus artículos nos ayudan a despertar .Desde Perú toda mi admiración en un momento que estoy replanteando mi vida.

  31. Paulo Roberto Guimaraes Silva permalink
    09/01/2012 15:58

    Prezado Leonardo Boff

    Eu sou seu admirador e aprendo muito com os seus comentários sobre Teologia.
    Estudo Teologia , estou no primeiro ano da Faculdade .
    Gostaria de saber se aquele artigo que está na internet sobre um suposto poema atribuido a Friedrich Nietzsche intitulado ‘ Ao Deus Desconhecido ‘ é de sua autoria ?
    Realmente o filósofo Nietzsche escreveu aquele poema e se foi ; em qual obra ( livro ) de
    Nietzsche ele é encontrado ?

    Graça e Paz !

    Paulo Roberto – Belo Horizonte/MG

  32. Marina Luiza permalink
    16/01/2012 19:38

    Admirado Leonardo Boff!
    Grande mestre, nao encontro palavras para agradecer o que tem feito por todos nos atravez de seus livros. Que Deus continue abencoando-te e cobrindo de luz. Que Ele abencoe nesta grande missao no qual o senhor professor Leornardo, foi escolhido.
    Muita luz…muita graca.. E meu eterno agradecimento!
    Marina Luiza Favero – Capinzalense

  33. 26/01/2012 23:25

    Para o senhor será sempre um Vivo Frei Franciscano de acção com foi o nosso Pai seráfico São Francisco de Assis. Os seus escritos me oferecem todo o entusiasmo e alegria na minga vocação religiosa e sacerdotal. Nos meus estudos de teologia de libertaçäo, Frei você abriu-me a minha mente e inteligência de uma maneira tão extraordinaria que tive de abandonar a Igreja Católica Romana e abraçar uma Igreja Católica Independente de Roma para eu poder sentir feliz na minha vocação. Ser humano como você só vem da graça de Deus. Que o Senhor sempre ti abençõe e protege. Paz e Bem!
    + Frei Dom Teixeira, OFSJC (Ordem Franciscana de São José Cupertino)

  34. vania carvalho permalink
    02/02/2012 10:29

    Todos essses discursos científicos, teólogicos e pessoais, passam por uma certa arrogância. O conhecimento corre o risco de provocar isso, infelizmente. Mas nada disso é mais importante do que a contribuição generosa que o professor Leonardo Boff tem nos dado a nossa pequenez. Obrigada professor.

  35. 21/02/2012 19:27

    This is the exact Sobre o Autor Leonardo Boff journal for anyone who wants to assay out out about this issue. You observe so often its virtually wearing to present with you (not that I really would want…HaHa). You definitely put a new whirl on a matter thats been backhand nearly for age. Pleasant squeeze, just enthusiastic!

  36. Thaissa Brito permalink
    24/03/2012 18:45

    Poxa, eu sou estudante de ciências sociais da UERJ e infelizmente só fui descobrir seu trabalho depois q o senhor se aposentou :(

    Gostaria muito de ter tido o prazer de assistir uma aula ou uma palestra sua :)

    Por favor divulgue quando tiver algum compromisso na UERJ porque quero muito conhece-lo .

    Abraços.

  37. larry permalink
    27/03/2012 11:00

    BOFF
    HERMANO
    DESDE CHILE
    FUERZA ¡¡¡¡

  38. larry permalink
    27/03/2012 11:21

    FUERZA ¡¡¡¡

    http://paginasfraternas.blogspot.com/

  39. Joaquim Valiante Duarte permalink
    28/03/2012 11:01

    Seria fantástico e abençoado se os seus pesamentos e ensinamentos pudessem modificar as mentes ruins das pessoas que estão destruindo o nosso planeta pela ganância incontrolável.Está faltando uma palavra mágica:AMOR

  40. 04/04/2012 14:25

    Eu vos Amo, irmão Leonardo. Sois um dos grandes mestres da história da Igreja, um católico “protestante” na insurgência contra todo princípio-poder, dentro ou fora de nós. Na vitória profética contra o demônio que sufoca o princípio-esperança e reprime o carisma criador que sopra onde quer. Sois avatar de Francisco, e portanto do próprio Nazareno, anunciando no tempo-espaço de nossas angústias particulares a mensagem eterna de que a salvação vem pelo amor, pela justiça, pela solidariedade com todos os pobres, a começar de cada um de nós -amar ao próximo como a nós mesmos é este convite dúplice e autorreflexivo, de resgate dos pobres e ajuda em sua própria libertação.
    Eu vos amo, e me assumo vosso discípulo, como sempre fui, sabendo que o primeiro perigo no caminho é justamente a beleza de vossas palavras.
    Para principiantes como o eu é um perigo que a barriga ronque mais alto do que canta o coração, que o eu se contente em comê-las, as palavras, sozinho, estufado e triste, sem a “forma” que vem do compartilhar o pão da vida.
    Palavras também perigosas porque belas demais para o fechamento eclesial, a começar da alma-ecclesia que trazemos em cada um de nós, coletiva é a alma e que, ao se auto-impor tiranos como se isso fosse “vontade do Espírito Santo”, confunde auto-conservação com egoísmo, prudência com medo, universalismo com lavagem cerebral para carneiros da fé. Cristão que é cristão é utópico e de oposição, o resto é armazém de secos e molhados, parafraseando o grande Millôr.
    Outra tentação que recuso é a raiva e intolerância contra quem pense diferente. Não é hora de palavras que ferem, mas sim de silêncio, no que possível, diálogo, no que necessário, e amor sempre, ou melhor, no sempre ampliável limite de nossas forças (e amar é para os fortes que todos somos sem saber).
    Eu vos amo, irmão Leonardo, dedico a vós esta minha “semana santa”, minha própria provação, lava-pés, prisão, dor e morte, sendo a um só tempo algoz, vítima e espectador da crucificação, e discípulo de Emaús que o Senhor brindará com a certeza de que o Império, ali mesmo onde derrotou o Amor, esmagou a esperança, postergou a justiça, ali mesmo cumpriu os desígnios do Ser Supremo que não se alcança sem renúncia, que não se vive sem morrer, que não se recebe se não se dá.
    -Unzuhause-

    • Livia Azevedo Aprígio permalink
      03/02/2013 0:41

      Caio… Que lindo… Belas palavras ao nosso querido Leonardo… Realmente sem amor, sem renúncia e sem justiça não somos verdadeiros seres humanos…. Parabéns pelo texto..

  41. Rafael permalink
    23/05/2012 16:16

    Sempre achei você demogogo, mas aquele artigo do “dias das mães” referente a condição dos negros no Brasil é o ápice da hipocrisia e demagogia.

    Só respondendo a alguns de seus pontos. “foram tirados da mãe patria áfrica”.

    A África já era celeiro de escravos a milénios, antes mesmo da Europa existir, o europeu não crirou a escravidão, ele a capitalizou. Africanos já se escravizavam antes disso, os “irmãos” de cor já se vendiam a séculos.
    Á África é tão boa mãe quanto as prostitutas da rua augusta em SP.

    Referente a Zumbi, tu disse, no artigo, ele criou uma sociedade sem escravos livre para negros, mestiços e brancos. Ele para começo de argumento, possuia escravos, pois era a mentalidade comum naquela época. Como romantizar isso a tal ponto como você romantizou? E ainda diz “aos brancos” se refere o artigo, como se todos os brancos tivessem tido “mucamas” ou tivessem uma divida com negros. Um absurdo. Comece a cobrar essa “divida” dos reinos africanos.

    Brancos detem o poder e o conhecimento, você citou. Fale por você mesmo, não em nome dos brancos, você escreve esse artigo como se fosse um guia dos brancos, ao meu ver, você é apenas o rebelde católico romancista da rodada.

    Esse seu artigo, me fez pensar que nós brancos, temos sim de ter orgulhos de nossa origem etnica, me orgulho mais de ser branco. E eu era afavor das cotas como uma forma de obrigar o Estado a cumpir a constiuição que preve sim dentre outras coisas, educação e igualde de genêros.

    Mas o seu argumento “sou vimitima do homem branco” é deploravel. Afro-brasileiros usam esse argumento aos montes, como berros… nessas horas me posto contra as cotas.
    Um dos mais renomados e bem sucedidos comerciantes de escravos do Brasil, era mulato, para assim consolidar sua hipocrisia.

    Lamentavel a invergadura que sua fama tomou como uma “grande voz”.
    Mas é compreensivel numa era onde criadores de programas de relacionamentos sociais fiquem bilionarios. A fútilidade responde aos anseios da sociedade moderna.

    • 25/05/2012 11:51

      Rafeal
      Vc tem a visão do escravocrata metida em sua cabeça. É com esses olhos que vc leu e tresleu meu texto.E o pior vc não mostra nenhuma compaição por aqueles que foram reduzidos a “peças” e vendidos como mercadoria nos mercados.E eles são nossos irmãos e irmãs, portadoras da mesma humanaidade que a sua.
      Vc seria um bom senhor da Casa Grande lamentando não estar mais cercado de escravos e escravas penando na Senzala.
      Siga os preceitos de nossa Constituição para se inserir na cidadania republicana e democrática que lá se solidificou para não ficar preso ao passado escravocrata e genocida dos indídgenas.

      lboff

      • Rafael permalink
        26/05/2012 22:19

        Não tenho visão escravocrata, como posso ter essa visão se não vivi essa época?, nunca convivi sequer com semi-escravos bolivianos que nossos amiguinhos coreanos e os proprios bolivianos costumam fazer em SP, claro enriquecendo nossa matriz multicultural. Não sei qual a sensação de ser “senhor de escravos” como cristão nem me passa pela cabeça querer saber o que é sentir isso. Abomino sim a escravidão e a exploração do semelhante ao seu outro semelhante, não só como uma visão cristã, mas humana que nos distingui dos animais irracionais. Não é um favor meu nem de ninguém abominar qualquer tipo de exploração. Porém a séculos atrás, indio explorava indio, negro a negro e branco a branco. Judeus comercializavam escravos, mantém milhares de palestinos presos a céu aberto na faixa de Gaza em nome da segurança, mas é racismo e preconceito dizer isso, o certo é, “homem branco cristão mal, o resto, tadinhos”. E sejamos politicamente corretos amém.
        Agora romantizar e criar o vitimismo não é o caminho, reforça estereótipos e inflama o racismo. Escravidão negra começa na África e não no Brasil. Não temos que dar reparação nenhuma. Educação de qualidade eu também quero, e tive de pagar para ter, a Constituição não olhou para mim, alias.. nunca olhou. Ela deve olhar para todos nós e não adotar cotas com base em um processo histórico iniciado na África a milénios, perpetrado por portugueses que nos administravam, e depois por dois Imperadores da dinastia Bragança. Investir na educação de base é demagogia e demora muito, pensa os negros e os esquerdistas como você.
        A condição desumana deles, outros povos já passaram, inclusive brancos Eslavos de onde origina a palavra escravo. Ficar citando “homem branco” e portanto dando a impressão que nós brancos temos alguma divida moral com negros, é pura e simples falácia demagoga, me desculpe. Além de racismo as avessas. “homem branco”

      • 27/05/2012 22:08

        Rafael
        Saia por um momento de seu egocentristo e tente pesar a partir das vítimas, da chibata, da violencia de nao poder ter nenhuma liberdade e de ser tratado como coisa a ser vendida e comprada no mercado.
        Enquanto não tiver esse tipo de com-paixão, sua argumentação é vã para não dizer cínica e sem piedade.
        lboff

      • Eric Drummond permalink
        01/09/2013 2:53

        Rafael, sem querer me intrometer na discussão, nem querer reviver uma discussão antiga, eu só gostaria de corrigir um argumento maluco sim; de fato brancos escravizaram brancos, negros escravizaram negros, etc… por milênios; quando começaram a construir a primeira pirâmide do Egito, já haviam escravos por todo o mundo conhecido da época; isso existe desde que o mundo é mundo. Mas, não, os índios não escravizaram índios; isso é um grande equívoco seu. Pare um pouco para estudar as comunidades genuinamente indígenas, não os índios que hoje estão misturados à sociedade, e sim os que nunca tiveram esse contato, tal qual estudou o Darcy Ribeiro. Darcy nos mostra, através de seus estudos sobre tribos nunca antes visitadas, que entre os indígenas genuínos, não há sequer o conceito de liderança, o que nós chamamos de “chefe”, para eles é apenas um conselheiro, pois ninguém lá manda em ninguém, e não, não existem escravos! Esse sim, é o mais perto que se chegou de um anarquismo, e o mais perto que conhecemos de uma sociedade avançada, sem desigualdades, sem mandos e desmandos, sem escravidão (nem física, nem psicológica, como a que temos hoje, no nosso cotidiano)!

  42. Rafael permalink
    28/05/2012 21:54

    Sim eu penso pelas vitimas, escravidão é tirar a humanidade da pessoa, mas eu penso nisso como um processo iniciado a milhares de anos e ainda não finalizado, visto que ainda existem escravos no Sudão e em boa parte da África central e oriental, deve ser por culpa do “homem branco”, diga-se de passagem. Seu argumento é demagogo demais.

    Deus dos Judeus também é cinico e hipocrita, em varias passagens do velho testamento, ele inclusive demanda regras “morais” no tratar dos escravos, no Alcorão, Maomé tem diretrizes “morais” no tratar de escravos. O povo Judeu possuia escravos e “servos” sujeitos como mercadorias domésticas. Entendo que naquela época, muitos escravos, nem mesmo eles, tinham noção real de sua condição. E da bestialidade que era manter alguém como seu “servo”. Jesus não precisou citar “acabem com a escravidão” o amor racional e o respeito ao próximo pregado por Jesus por si só nos ensina a isso, ele não precisa teclar nisso, ou lamentar o sofrimento dos escravos, que é latente. Você, eu percebi… foca muito no sofrer deles, como se eu fosse um insensivel egocêntrico com teor fascista, enfim… fazer o que… é o que acontece, era previsivel seu argumento. Tentar rotular os que pensam contrario. E bater na tecla do sofrimento dos escravos de 124 anos atrás. Ai da igreja Católica se os alemães quiserem reparações pelas centenas de alemãs queimadas como bruxas a séculos atrás… amarradas em postes e queimadas vivas em praça pública frente a familiares, muitas gritando de dor, que podiam ser ouvido a kms de distância, “ó igreja católica” como podes fazer isso – diria um tal Leonardo Boff?

    Sai da sua tentativa puritana e demasiada amorosa no debater dos argumentos. Pare de criar no seus argumentos monstros e mocinhos. Todos são culpados pela escravidão e não apenas o homem branco, é apenas isso senhor, que argumento. Só isso. Porém.. pode continuar romantizando seus argumentos. Apartir do momento que a mentira é usada para oprimir e repudiar os ataques aos direitos humanos, ela perde a sua natureza justa, o meio passa a justificar o fim. E assim a verdade se perde. Não precisa romantizar a escravidão para mostrar a faceta cruel dela. Eu sou cinico e o senhor daria um ótimo formador de opinião moderno, cargo alias que já ocupa.

    • 04/06/2012 18:19

      Rafael,
      O sofrimento, especialmente daqueles aos quais negamos sua humanidade, reduzindo-os a coisas, possui uma dignidade que não pode ser questonada e diante da qual deveríamos silenciar por respeito. Aqui cala-se a argumentação. Vale a com-paixão. Se vc não a tiver perdemos a base mínima de comunicação.
      Vc me coloca numa excelente companhia: com o Deus dos judeus, que segundo vc “é cínico e hipócrita”. Ocorre que esse Deus era o Deus de Jesus Cristo, pois ele não era cristão mas judeu.
      E mais não digo

      lboff

      • Fellipe Pontes permalink
        15/06/2012 2:47

        Interessante esse “bate boca” sobre a questão do racismo e reconhecimento do mesmo(Vou utilizar esses textos aqui postados na aula de história). Concordo com os dois argumentos. Acho que Rafael levou ao pé da letra um simples texto, ele entendeu como um “ataque aos brancos”. Agora imagine o que não deve sentir milhões de negros que sofrem ataques raciais diretamente e indiretamente, não só naquela época, como até HOJE.
        Já Leonardo entendeu que faltou humanidade em reconhecer o sofrimento do povo negro. Porém reconhecer seu sofrimento não significa entrar num mundo de ilusão onde Zumbi é uma espécie de anjo negro. O que não é verdade.
        Não é preciso fazer “proza” romantica para denúnciar esse triste episódio da história brasileira, porém Rafael não citou nenhuma inverdade na história, apenas se esqueceu, que mesmo essa verdade, não apaga a crueldade de escravidão. Se negros se escravizavam naquela época e é fato, não da justificativa para brancos se esquivarem de suas responsabilidades.
        Deus nos ensina o dom do perdão, mas o perdão há aqueles que reconhecem o seu pecado. O perdão divino é sim condicional, ele depende da sua aceitação como pecador e como errante. Assim, o Brasil também foi errante na questão do negro.
        O argumento do Deus dos judeus ser conivente com a escravidão daria outras centenas de argumentações e contra-argumentações que Rafael não deveria ter utilizado, claramente ele busca a justificativa para a escravidão que até então, até os dias de hoje ainda se vê em algumas regiões africanas.
        Porém é outra perspectiva. Nada haver com o contexto.
        A falta de respeito com o Leonardo Boff um grande ser-humano dotado do conhecimento e amor de Jesus Cristo, também é marcante nos argumentos do Rafael. Ninguém é obrigado a concordar com ponto de vista, podemos escolher se concordamos ou não. Ironizar Leonardo Boff ou por em questão sua intelectualidade foi deselegante de sua parte.
        Porém gostei de sua argumentação, mal exposta, porém factual. Só lhe falta um pouco mais de respeito, conhecimento em história ele parece ter acumulado para simplesmente justificar a escravidão.

  43. startaup permalink
    06/06/2012 19:06

    Belo Trabalho.

    Eduardo
    http://www.startaup.wordpress.com

  44. 09/06/2012 19:33

    fantastic post. Ne’er knew this, thanks for letting me know. 692105

  45. 10/09/2012 16:41

    Já tive e tenho a honra de poder realizar leituras de obras escritas pelo Senhor. Mas digo, “Tempo de Transcendência”, nos sacode e nos faz refletir que realmente “somos um projeto infinito”. Tive contato com o Senhor em Olinda -PE, congresso anual do SENAC. Um verdadeiro presente na minha vida. Exemplo de sabedoria, humildade e temor Deus.

  46. ADRIANO RESENDE permalink
    29/09/2012 23:10

    Leonardo Boff.

    Gostaria de deixar meu comentário sobre a crise de comunicação no mundo, descrevendo as minhas impressões sobre as mudanças que perpassam sobre as instituições de um modo geral, inclusive influenciando comportamentos humanos historicamente definidos.

    As tecnologias de informação evoluíram bastante. Hoje não se pode mais falar em monopólio de uma fonte de informação, embora percebe-se o avanço de mídias de entretenimento que possibilitam não apenas o acesso aos dados, mas também a possibilidade do homem de criar um microcosmos de suas experiências e que podem ser compartilhadas com outras pessoas digitalmente através de um simples login.

    Assim é possível evidenciar que nesse novo século as tecnologias de massa terão que se remodelar para fins de se ajustarem frente a uma sociedade que não apenas necessita de informações atualizadas, mas que sente uma profunda vontade de se fazer presente e de se sentir integrante e agente das transformações globais.Talvez essa atitude tenha como escopo suprir um certo vácuo de solidão e infelicidade que atravessa a geração coca-cola, se contentando com a mera perspectiva de acesso ao reino digital construído por cada cidadão dessa geração.

    Surgem mecanismos operacionais para novos agrupamentos coletivos, embora infelizmente grande é o abismo existente para se falar ainda em restabelecimento de laços de solidariedade e de afeto, com o condão de transcender os limites da simples conivência dentro de um ambiente cibernético. De que valem os fóruns de discussão e as comunidades das grandes redes sociais sem o calor humano do companheiro de vida e sem a risada e os gracejos melindrosos e espontâneos capazes de criar uma atmosfera de amor filial?

    O entretenimento é uma poderosa ferramenta de criação de laços artificiais, pois aparentemente a gente consegue iniciar um contato com alguém distante, trocar algumas idéias e fixar programas, Mas de que serve a tecnologia se ela não é capaz de reproduzir a relação de afeto e de respeito que depende de uma relação de convivência harmoniosa entre as pessoas e de um querer bem que ultrapassa a relação materialista e individualista? De que adianta os homens poderem se falar por chat, se a Babel decorrente das barreiras egoísticas dos indivíduos ainda impede que eles vejam os outros além das informações de seu perfil?

    Não é dando poder aos homens que se dá amor e consciência de cidadão, de cristão, enfim de agente transformador de uma ordem social mais fraterna.

    O poder passa a se remodelar assumindo uma forma difusa e complexa que dificulta o âmbito da ação imediata. A medida que as desigualdades aumentam, os potentados desenvolvem métodos mais sofisticados de disciplina e alienação. Alienação oriunda da falta de educação de qualidade, da falta de relações familiares pautadas no respeito aos bons valores e também da falta de incentivo à persistência aos projetos de vida para atender as necessidades paliativas do mercado.

    A concentração de riquezas anima as iras da população jocosa de uma distribuição mais paritária de bens. Desse impeto frenético o cidadão descobre a força da ação e do impacto da coletividade que se arma para enfrentar os inimigos ocultos e poderem assegurar uma imagens translúcida de futuro. Esse é um quadro que aponta uma transformação no cenário. Dela nascem possibilidades. Uma delas seria a dos homens se reunirem para implantar uma sociedade calcada na divisão coletiva de bens redistribuindo-os do domínio dos senhores sem face, que se articulam através de entidades paquidérmicas múltiplas e entrelaçadas por uma rede de convênios e fraudes as mais diversas.

    Outra seria criar uma espécie de realidade artificial aonde os homens aprenderão a viver ”para si” para continuar vivendo a ponto de esquecer que aquilo que a vida tem de melhor reside na saudade que a nossa passagem deixa para o coração daqueles que se abriram para nos conhecer enquanto parceiros de vida e irmãos jungidos sob o manto da identidade. Nesse tipo de mundo o Estado oferecerá regalias, benesses para os bons garotos e súditos que melhor se comportarem e seguirem na sua vidinha para si mesmos. Serão tempos que os homens lembrarão das suas lutas em seus livros de história, orgulhosos do plano de Governo de coalizão que retomou as rédeas da economia. O ”cinto” que prende a fivela provavelmente será objeto de lembrança dos senhores com melhor lembrança. A vida em seu curso e suas vicissitudes animarão os filhos daqueles que empreenderam a grande luta a retomar a sua vidinha ”para si”, procurando por um emprego mais vantajoso e por novas possibilidades de lazer, alguns até mesmo se enveredando para o lado dos vícios e dos jogos.

    Tempo em que a história se guarda nos aparelhos eletrònicos e que não são mais contadas em rodas animadas, abertas para o debate…

  47. Rebeca permalink
    05/10/2012 8:45

    Caro Leonardo Boff

    Penso que não seria o caso do senhor voltar a escrever a partir dos pobres, ou dos lugares sociais onde estão os explorados e injustiçados deste país. Em vez de focar e centralizar suas reflexões na trajetória do partido PT e seus lideres, disse Jesus ” dai a Cesar o que é de Cesar”, deixe-os eles terão o que merecem. Precisamos profetizar, como diz a Bíblia, e para isso temos que estar com os pés na base, isto é, lá onde estão os indígenas, quilombolas, ribeirinhos, pescadores, estes estão sendo expulsos de suas terras por causa de grandes projetos como Belo Monte, cujo o aval para essa monstruosidade vem sendo legitimada por todos os governos deste país, inclusive o PT. O que o senhor pensa em relação a isso? Concordo que as senzalas e a Casa Grande continuam, mas veja bem onde elas se encontram. Sim vai depender muito do ponto de vista de onde um está e a opção feita.Por que o senhor não escreve algo em defesa destes povos e da natureza que também sofre com todo esse programa do PAC? Desmascarando assim esses falsos governos ditos de esquerda que seguem criminalizando, perseguindo e assassinando a mãe natureza, seus filhos e filhas.

    • Sinvaldo Serpa permalink
      30/09/2013 1:10

      Mas Boff não é Simpatizante do PT??!!
      tem um trecho de uma entrevista dele nesse site onde ele demonstra essa simpatia – http://homemculto.com/com-lula-e-pt-no-governo-a-comunista-teologia-da-libertacao-chega-ao-poder-no-brasil-igreja-da-libertacao-chegou-ao-poder-entrevista-historica-de-leonardo-boff/

      “Agencia Brasil – O contexto atual é da chegada ao poder de um grupo político muito ligado à organização da base cristã no Brasil. Como o sr. assiste a este momento?

      Boff – Eu estou muito feliz, porque a Teologia da Libertação, que nasceu no final dos anos 60 e se consolidou nos anos 70, 80 e até hoje, criou lideranças muito grandes na sociedade. São cristãos que, a partir da fé, militam contra a pobreza, a favor da justiça, comunidades de base, que são mais de um milhão, círculos bíblicos, que são mais de dois milhões. Ajudaram a criar sindicatos, é uma das pilastras que criaram o PT.

      Muitas lideranças hoje no governo são crias da igreja. Acho que cinco ministros vêm dessa fermentação da igreja da Libertação. O governador Zeca, do Mato Grosso do Sul também. O governador Jorge Viana foi aluno meu, amigo quando eu trabalhava no Acre durante muitos anos no mês de janeiro, fevereiro. Tanto o irmão dele, Tião, como a Marina Silva são fruto dessa igreja da Libertação, que hoje chegou ao poder e carrega junto o sonho dos cristãos, não só o de criar uma sociedade boa, mas uma antecipação do reino de Deus, o reino da fraternidade, da justiça, do resgate da criação.

      É um sonho generoso e de uma densidade ética poderosa, de transparência, de evitar toda mentira, todo engodo, toda manipulação do bem público. É uma contribuição que a Libertação trouxe à sociedade brasileira e que se esperava do cristianismo durante 500 anos. Ele foi cúmplice da colonização como invasão, foi cúmplice da escravidão. Hoje há um cristianismo de libertação, que resgata o sonho de Jesus, que é uma força de mudança. Ela está ajudando a melhorar o país, junto com outras forças políticas sindicais, de outras religiões cristãs ou afro-brasileiras que também assumiram a causa dos pobres.É uma força que garante que alguma coisa vai mudar nesse país.”

    • Sinvaldo Serpa permalink
      30/09/2013 1:19

      Rebeca, ele em um artigo desse Blog ele demonstra simpatia pelo partido em questão!
      http://leonardoboff.wordpress.com/2012/09/17/manter-viva-a-causa-do-pt-para-alem-do-mensalao/

  48. André Cibien Savergnini permalink
    28/11/2012 16:39

    Tenho um sonho de um dia ir até a casa do Leonardo Boff em Petrópolis.
    Quem sabe?
    Grande abraço

  49. Antonio Sergio da Costa Nunes permalink
    12/12/2012 9:23

    Caro Leonardo Boff, sou seu assíduo leitor desde muitos anos, principalmente qdo militei nas Comunidd Eclesiais de Base aqui em Belém do Pará, hj sou prof. de Filosofia e Pe. da ICAB, gostaria muitíssimo que vc escrevesse sobre Dom Carlos Duarte Costa que foi excomungado por Pio XII em 1945, por suas ideias libertárias enquanto precursor da Teologia da Libertação. Desde já meus sinceros cumprimentos.

  50. Celino Vauve permalink
    10/01/2013 14:48

    Señor Leonardo Boff se que tiene muchas ocupaciones pero quisiera preguntarle sobre un tema que es la Apologetica,

    ¿Que es la Apologetica para usted?

    ¿Que piensa usted de la Apologetica?

    Muchas gracias un gran abrazo

    Celino Vauve

    • 14/01/2013 12:01

      Celino
      La apologetica es una parte de la teología que quiere ofrecer las buenas razones de nuestra fe de cara a aquelos que no la aceptan, la critican y hasta la atacan.
      En este sentido es algo positivo.
      Pero con los enfrentamientos con las iglesias salidas de la Reforma la apologetica asumió un caracter defensivo y agresivo de los demas, intentando la desmoralización, cosa que no tiene mucho que ver con el Evangelio y más con el poder.
      Hoy casi no existe esa materia en la teología por que aprendemos a convivir, a respetar la opinión del otro y ver mas los puntos que nos acercan do que los puntos que nos alejan.
      Pero hay si una apologetica hoy especialmente de cara a cierto tipo de ciencia como la de Dowkins y otros que consideran toda la religión una enfermidad a ser extirpada o visiones de mundo que negan todo tidpo de trascendencia. Un bueno ejemplo de apologetica es uno de los ultimos textos de Hans Küng, talvez el teologo mas prolifico de la Iglesia catolica, que escribió un libro que vale la pena leerlo:Der Anfang aller Dinge: el comienzo de todas las cosas (Piper Verlag 2005). Se trata de un dialogo apologetico entre moderna cosmologia y comprensión cristiana del universo. Acepta puntos, critica otros, asimila perspectivas y hace de la fe algo razonable.
      La apologetica tiene poco lugar en mi produccion. Tengo una si, que es la defensa de la causa de los pobres y de los derechos de la Madre Tierra y de la naturaleza.
      un abrazo
      lboff

      • Celino permalink
        15/01/2013 16:37

        Muchas gracias Señor Boff por tomarse un tiempo en dicipar mi duda gracias un abrazo

  51. Lílian Gomes de Souza permalink
    16/01/2013 11:06

    Olá… Estou terminando minha graduação em Ciências Sociais e minha monografia é em cima do tema da Teologia da Libertação e cada livro, texto ou artigo que leio, fico cada vez mais fascinada pelas suas ideias, e sua cosmovisão. Beber da fonte primeira sobre esse tema não somente tem enriquecido meus trabalho academico como também algumas percepções particulares a respeito do mundo em que vivemos e pelo qual travamos nossas lutas diárias…
    Parabéns pelo excelente trabalho e que a fonte continue a jorrar para o auxilio das próximas gerações.
    Abraços… Lílian

    • 16/01/2013 20:40

      Lilian,
      Obrigado por suas palavras generosas. É bom que mais pessoas como vc se ocupem com os temas que a teologia da libertação, desde os anos 60 do século passado, tem suscitado: a questão dos pobres e oprimidos, vítimas de um tipo de construção social que para se firmar precisa continuamente sacrificar vidas, humanas, da natuerza e hoje a própria Mãe Terra. Temos que nos libertar deste tipo de habitar o planeta senão iremos tambem nós ser devorados. Temos uma tarefa ingente pela frente: inaugurar, mesmo em miniatura, o novo. Ele é como uma semente: contem a vida de toda a planta.
      abraço com fraternura
      lboff

  52. Nilza de Lourdes Nogueira Scarato permalink
    08/02/2013 15:16

    Boa tarde Frei Leonardo Boff! É uma honra para mim e um dos sonhos realizados poder enviar uma mensagem a voce. Sou sua fã mais de trinta anos, através do nosso saudoso Padre Antonio Ferreira Martins, pároco em Matias Barbosa MG, e fiquei feliz quando meu sobrinho, Jonas Nogueira que é Franciscano e trabalha no Colégio Santo Antonio em Belo Horizonte, postou no face, sua visita no CSA para uma palestra, fiquei triste, pois gostaria de ter ido para assistir e se posssível ter falado com voce.Mas não faltará ocasião,se Deus quiser! Estou realizando um sonho de minha juventude, cursando faculdade de Letras e Literatura, li alguns livros seus, são incansáveis, sempre temos que retomá-los para novas experiencias, é incrível.Agradeço a Deus por esse momento e a voce essa oportunidade. Um abraço fraterno! Nilza de Lourdes Nogueira Scarato

    • 08/02/2013 22:43

      Nilza
      Obrigado por suas palavras generosas e a lembrança do Padre Antonio. Quando ele faleceu ele atendia Sossego, perto de Santa Ana do Deserto. La na fazenda dos Monteiros eu estava ultimando meu livro sobre a SS. Trindade. Uma comissão do povo veio me pedir para ficar por lá para atender a fé do povo. Foi uma das coisas mais duras de minha vida, quando tive que explicar-lhes que estava ligado ao ensino da teologia e que não podia ficar. Mas até hoje me persegue a idéia.É muito digno à SS.Trindade antender a fé do povo do que escrever um livro sobre a SS.Trindade. Até hoje penso que Deus vai me cobrar por esse decisão preferindo os livros à vida de fé do povo.Deus passou eu não soube escutar sua voz pela voz daqueles moradores.
      um abraço e se realize em seus estudos tão ansiados.
      lboff

  53. Frederico Binato permalink
    14/02/2013 14:47

    Estimado Professor Leonardo Boff, és um orgulho pra nossa gente. Lembro-me, quando aluno da Santa Úrsula na década de 80, passei a me interessar pela religião a partir de seus ensinamentos, que, junto com o Pe. Medoro, outro expoente da cultura religiosa, frequentávamos um seminário no Rio de Janeiro, cujo nome não me recordo, e lá aprendemos a entender a religião não como um dogma imposto pela hierarquia, mas, sim, como caminho para a Libertação em todos os seus níveis. Devo a essa guinada em minha vida, a leitura que hoje se me é de fundamental importância e à crítica mordaz que me faz menos oprimido. Com carinho, respeito e admiração.

  54. Luís Felipe Borduam permalink
    15/02/2013 2:23

    Leonardo Boff,

    Tenho buscado me aprofundar sobre a Teologia da Libertação e confesso que tenho me tornado um admirador de seus escritos. Apesar de já ter ouvido falar anteriormente sobre sua pessoa e obra o que me impulsionou a pesquisar mais foi uma entrevista feita pelo colunista da Veja Augusto Nunes ao filósofo Luiz Felipe Pondé e postada em 08/08/2011 (Santos entre taças de vinho) – Segue link para leitura completa da entrevista: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/santos-entre-tacas-de-vinho/.

    Nesta entrevista, entre outras coisas, o filósofo faz a seguinte colocação:

    Quando o cristianismo cruza o pensamento de esquerda, como no caso da Teologia da Libertação, a humildade se perde?
    Sim. Eu vejo isso empiricamente em colegas da Teologia da Libertação. Eles se acham puros. Tecnicamente, a Teologia da Libertação é, por um lado, uma fiel herdeira da tradição cristã. Ela vem da crítica social que está nos profetas de Israel, no Antigo Testamento. Esses profetas falavam mal do rei, mas sem idealizar o povo. O cristianismo é descendente principalmente desse viés do judaísmo. Também o cristianismo nasceu questionando a estrutura social. Até aqui, isso não me parece um erro teológico. Só que a Teologia da Libertação toma como ferramenta o marxismo, e isso sim é um erro. Um cristão que recorre a Marx, ou a Nietzsche – a quem admiro -, é como uma criança que entra na jaula do leão e faz bilu-bilu na cara dele. É natural que a Teologia da Libertação, no Brasil, tenha evoluído para Leonardo Boff, que já não tem nada de cristão. Boff evoluiu para um certo paganismo Nova Era – e já nem é marxista tampouco. A Teologia da Libertação é ruim de marketing. É como já se disse: enquanto a Teologia da Libertação fez a opção pelo pobre, o pobre fez a opção pelo pentecostalismo.

    L. Boff, dentro destas afirmações gostaria de saber seu posicionamento, principalmente nas perguntas que faço:

    1. A Teologia da Libertação desconsidera o pecado original e idealiza o povo?

    2. É possível ter uma Teologia da Libertação não marxista?

    3. Você acha possível uma aproximação da Teologia da Libertação com o protestantismo? (seja ele tradicional, pentecostal ou neo-pentecostal)

    4. Você acredita em salvação e acesso a vida eterna fora de Jesus Cristo e da experiência da regeneração ou novo nascimento?

    5. Você concorda que a Teologia da Libertação no Brasil se tornou em um misticismo Nova Era?

    6. Se a última afirmação de Pondé está correta, na sua opinião por que os pobres “preferiram” o pentecostalismo? Por causa do marketing, como Pondé afirma?

    Não sei se este é o melhor canal para fazer estas perguntas, mas terei eterna gratidão e será de grande enlevo espiritual e intelectual para mim as respostas.

    O assunto tem me fascinado. Sou estudante de teologia (protestante) e estou tendencioso em fazer minha monografia voltado para o tema e ver as possíveis aproximações haja visto que é uma matéria um pouco relegada nos apriscos evangélicos.

    Desde já agradeço pelo seu tempo e atenção a mim conferidos,

    Paz e Bem!

    Felipe Borduam

    • Frederico Moreira Guimarães permalink
      16/02/2013 21:46

      Oi Felipe, meu nome é Frederico Guimarães.

      Eu sei que a sua pergunta está destinada ao prof. Leonardo Boff, de quem admiro muito a obra e a pessoa. Vou me antecipar um pouco na resposta da 3ª questão aguardando, é claro, uma resposta do prof. Leonardo Boff que, com certeza, será muito melhor e mais profunda do que a minha.

      Eu sou estudante de Teologia numa instituição evangélica e pesquiso sobre Teologia da Libertação há algum tempo. Inclusive, há muitos teólogos da libertação dentro do protestantismo histórico, como Rubem Alves (igreja presbiteriana), Milton Schwantes (luterano) e Cláudio Ribeiro de Oliveira (metodista), além de pensadores que se alinham com aspectos desta forma de fazer teologia.

      Muitas das colocações do prof. Pondé são superficiais, de quem, acredito, desconhece a teologia da libertação e a sua contribuição. Não desmerecendo o conhecimento de Pondé, que é um ótimo acadêmico e filósofo, especialista em Pascal e, embora eu discorde da maioria do que ele diz, é importante ouvir o diferente para crescermos com as críticas. Acontece que ele não é teólogo e, por isso, as posições dele tornam-se superficiais em suas críticas à teologia da libertação.

      Se você quiser algumas sugestões ou dicas, pois tenho uma boa bibliografia para iniciantes no assunto, é só me avisar.

      Grande abraço e, mais uma vez, parabéns ao professor Boff pela grande contribuição que tem dado sempre para a teologia latino-americana e para o povo sofrido do nosso continente.

      • Luís Felipe Borduam permalink
        18/02/2013 1:38

        Frederico,

        Muito grato mesmo pela resposta. Tenho me “alimentado” muito intelectualmente e espiritualmente com os texto do prof. Boff. Contudo, como sou incauto no assunto e tenho sido impactado positivamente pelo mesmo acabo me alongando nas perguntas e colocações. Agradeceria por de mais se pudesses me fazer algumas indicações de materiais para iniciantes no tema.

        Em Cristo,

        Felipe Borduam

      • Frederico permalink
        04/03/2013 19:23

        Luís Felipe, aqui é o Frederico.

        Para não congestionar o site do nosso estimado professor Leonardo Boff, você pode entrar em contato comigo por e-mail, pelo fredhf@bol.com.br

  55. Glorinha bomfimyung permalink
    19/02/2013 22:21

    Caríssimo Leonardo Boff, sua presença é muito forte para os educadores que acreditam que a vida é dadiva e vale a pena! Saber cuidar é importante norte em minhas aulas, pois trabalho com educação patrimonial e as causas da preservação do patrimonio cultural encontram eco em suas palavras. Obrigada grande mestre, por suas palavras vindas de Cristo. Gostaria de encontra-lo em palestra em Brasilia. Maria da Gloria Bomfim Yung, professora na Escola Parque 308 sul, Brasilia, DF

  56. 27/02/2013 17:27

    Señor Leonardo

    Me llamo Pedro López y le escribo del Canal NTN 24 internacional, con la intención de invitarlo a nuestro programa La Tarde Fin de Semana, éste sábado, para que nos hable acerca de la iglesia católica en una entrevista realizada a través de Skype.

    Mi correo para que me responda lo más pronto posible es pedro.lopez.90@hotmail.com
    y también para indicarle que si es una propuesta verdadera y no un intento de burla.

    Atentamente
    Pedro López
    Periodista Canal NTN 24 Internacional
    Bogotá D.C., Colombia

  57. Beatriz Monteiro permalink
    06/03/2013 11:41

    Sr. Leonardo Boff, gosto muito de seus artigos e fiquei muito feliz ao conhecer seu blog para acompanhar seus escritos. Estou estudando a Doutrina Espírita – estou iniciando – e, claro, busco entendimento histórico também. Por favor, poderia me orientar/indicar alguns livros para ler sobre o nascimento da igreja católica (me disseram que ela existe antes de Jesus), biografia de Jesus, etc. Também me disseram que a oração Pai Nosso é universal – qual origem desta oração? Faço estas perguntas porque nos centros espíritas rezam o Pai Nosso, não sou contra, mas não esperava. Obrigada pela atenção e espero que responda. Beatriz Monteiro.

  58. 14/03/2013 19:11

    Dr. Leonardo Boff: estamos interesados en invitarlo al programa Otro Tema de la cadena de noticias TN en Argentina este martes. Nos gustaría poder tener un contacto con Ud. Esperamos atentamente su respuesta. Muchas Gracias.

  59. Ângelo permalink
    14/03/2013 21:47

    Olá,meu caro Leonardo Boff.Admiro muito sua biografia.
    Gostaria de saber se você tem algum email para contato disponível.Agradeço,desde já.

  60. Reinaldo Ricchi Jr. permalink
    15/03/2013 0:19

    PAX ! SAGRADA FAMÍLIA , ROGAI POR NÓS ! Ao fazer seu primeiro discurso, disse o Papa Francisco: “E agora quero dar a Bênção, mas antes… antes, peço-vos um favor: antes de o Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que me abençoe a mim” . Eu sou completamente ignorante em Teologia, mas é o Pastor Universal quem abençoa o Povo de Deus, e não o contrário. Não é isso que está escrito no Catecismo da Igreja Católica? Por qual razão o Papa Francisco inverteu esta lógica tão profunda? Um grande abraço fraterno ! Minh’ alma engrandeceria profundamente o Senhor se pudéssemos dialogar sobre este meus questionamentos ! Sagrada Família, rogai por nós ! +

  61. Yasmin permalink
    17/03/2013 0:11

    .

  62. 18/03/2013 17:57

    Leonardo, Le dejo una traducción rápida del doc al español, por si le sirve de algo. Con afecto cristiano, Daniel oliva (Quito, Ecuador)
    ——————————————————–
    Un ejercicio diferente del papado es posible
    16/03/2013
    La grave crisis moral que atraviesa todo el cuerpo institucional de la Iglesia ha significado que el cónclave elija una persona que tiene la autoridad y el coraje para hacer reformas de gran alcance en la Curia romana e inaugurar una forma de ejercicio del poder papal que sea conforme al espíritu de Jesús y al ritmo con la conciencia de la humanidad. Francisco es su nombre.
    La figura del Papa es tal vez el mayor símbolo de lo sagrado en el mundo Occidental. La sociedad, a través de la secularización, ha desterrado lo Sagrado, en ausencia de líderes de referencia; y con la nostalgia del padre como el que dirige y crea confianza e indica el camino, se centraron en la figura del Papa estas angustias ancestrales de los seres humanos que podían leerse en los rostros de los fieles en la Plaza de San Pedro. Por esta razón, es importante analizar el tipo de ejercicio del poder que el Papa Francisco ejercerá. En su primer discurso dijo que “presidirá en la caridad” y no como quienes en el pasado tenían el poder judicial a través sobre toda la iglesia. Para los cristianos es esencial el ministerio de Pedro como el que tiene que “confirmar a los hermanos y hermanas en la fe”, de acuerdo con el mandato del Maestro. Roma, donde están enterrados Pedro y Pablo, fue desde el principio, por encima de las otras iglesias, la referencia a la unidad, por la ortodoxia y el celo.
    Esta perspectiva es bien aceptado por los restantes iglesias no católicas. La pregunta es cómo ejercer esta función. El Papa León Magno (440-461), en un vacío de poder imperial, tuvo que hacerse cargo del gobierno de Roma. Tomó el título de Papa y de Sumo Pontífice, que era título del emperador, e incorporó el estilo imperial del poder monárquico absoluto y centralizado, con sus símbolos, vestimentas y estilo del palacio. Los textos relacionados con Pedro, que en Jesús tenían un sentido de servicio y la primacía del amor, se interpretaron como estricto poder jurídico. Todo esto culminó con Gregorio VII, quien con su “Papae Dictatus” (la dictadura del Papa) se arrogó los dos poderes, el religioso y el de la sociedad civil. Nace una gran institución, obstáculo total a la senda de la libertad de los cristianos y de la sociedad. A partir de aquí el Papa emerge como un monarca absoluto con la plenitud de todos los poderes, como el Canon 331 lo expresa claramente. Aumenta la demanda de subordinar a su poder toda a todas las iglesias.
    Este ejercicio absolutista siempre ha sido cuestionado, sobre todo por los Reformadores. Pero nunca se suavizó. Como reconociera Juan Pablo II, este estilo de ejercitar la función de Pedro es el mayor obstáculo para el ecumenismo y y de la aceptación por parte de los cristianos que vienen de la cultura moderna de los derechos y la democracia. Para compensar esta falta, los dos últimos papas han organizado una espectacularidad de la fe, con viajes y eventos de masas como la de los Jóvenes a llevarse a cabo en Río de Janeiro.
    Esta forma monárquica y absolutista representa una desviación de la intención original de Jesús y ahora, con Francisco, debería ser reconsiderada a la luz de la intención de Jesús. Será un papado pastoral y al servicio de la caridad y de la unidad en lugar de un papado del poder jurídico absolutista. El Concilio Vaticano II ha establecido herramientas instrumentales para una reformulación en el gobierno de la Iglesia: el Sínodo de los Obispos, vaciado y hecho hasta ahora un instrumento de asesoramiento, mientras que fue concebido como un instrumento deliberativo. Se plantearía un órgano ejecutivo que gobernaría la Iglesia con el Papa. Fue creada por el Concilio la colegialidad de los obispos, es decir, las conferencias continentales y nacionales ganarían más autonomía para permitir un enraizamiento de la fe en las culturas locales, siempre en comunión con Roma. Los representantes del pueblo de Dios, los cardenales y obispos, clérigos y laicos, e incluso las mujeres ayudarían a elegir a un Papa para toda la cristiandad. Se hace urgente una reforma de la Curia en la línea de la descentralización. Es verdad que lo hará el Papa Francisco. ¿Por qué el Secretariado para las religiones no cristianas no podría funcionar en Asia? ¿Y el ministerio de la unidad cristiana en Ginebra, cerca del Consejo Mundial de Iglesias? Una de las misiones, ¿en alguna ciudad de África? ¿Qué podríamos decir de los derechos humanos y de la justicia en América Latina?
    La Iglesia Católica podría transformarse en una instancia no autoritaria de valores universales, del cuidado de la Tierra y por la vida en peligro, en contra de la cultura de consumo, a favor de la sobriedad compartida, enfatizando la solidaridad y la cooperación a partir de los últimos y contra el estrés de la competencia. El tema central no es la Iglesia sino a la humanidad y la civilización que puede desaparecer. ¿Cómo ayuda la Iglesia a su conservación? Todo esto es posible y factible, sin renunciar a nada en la sustancia de la fe cristiana. Importa que el Papa Francisco se un Juan XXIII Francisco tercer mundo, un “Papa bueno”. Sólo entonces podrá rescatar la credibilidad perdida y ser un faro de espiritualidad y esperanza para todos

    • 21/03/2013 0:36

      Gracias, hermano, por la traduccion. Pero María José Gavito Milano ha hecho una tambien que siempre la publico en el blog.
      Pero admiro tu esfuerzo y lo alabo
      lboff

  63. Moizes Daymon de Vasconcellos Luz permalink
    28/03/2013 18:41

    Bondoso Frei Leonardo tenho lido seus artigos em seu blog, entrevistas na TV e fiquei impressionado com sua lucides e fé diante do Evangelho de Jesus redivivo, atuante, compromissado e amoroso. Eu e a gigantesca legião de fãs de seu trabalho pelos menos favorecidos de recursos físicos e da alma te aplaudimos de pé e rogamos ao responsável por nosso planeta, diante do Criador, o filho do carpinteiro humilde que lhe abençoe nesta árdua luta contra a ignorância que gera o egoismo que nos assola.
    Obrigado!!! :)

  64. 01/04/2013 3:57

    lieber leonardo Boff,
    gerne wuerde ich mit ihnen in kontakt treten, finde aber keine mailadresse.
    seit 2 jahren lebe ich in Venezuela, um die kommunale bewegung zu unterstuetzen. was ich bisher von ihnen weiss, ist dies auch ihr hauptanliegen.
    auch wenn ich atheist bin, trage ich eine grosse achtung fuer Jesus von Nazareth in mir. er war Jude und waere auch nie mitglied einer christlichen kirche geworden.
    dass ich mich fuer kommunen einsetze, liegt daran, dass mir die menschen wichtig sind und nicht die institutionen.
    mit lieben gruessen, willi uebelherr, wube@gmx.net
    merida/venezuela

    • 01/04/2013 14:51

      Willi
      Fröhliches Osternfest
      Mein e-mail Adresse
      contato@leonardoboff.com

      alles Gute
      lboff

      • 18/04/2013 3:22

        Boff, sou fã do seu trabalho…

        Gostaria que o senhor opinasse sobre um poema de minha autoria, que trata do amor incondicional de Deus.

        Fraternalmente,
        José Chadan

        ah, e que o Senhor abençoe seu trabalho sempre!!
        ______________

        O ASTROLÁBIO DE DEUS

        Anjos cantaram num coração amargo
        O canto do amor esconde mil segredos
        Nele ouvem-se clarinetes e a voz das águas
        Eu era como o que do fundo do abismo saía
        Deixando o ódio e a lascívia
        Rumo ao Agape e às causas perdidas
        E a maior delas: os que estavam ao meu lado
        No abismo, e eu não via

        O amor é o astrolábio de Deus
        Confiados nele os navegantes se lançam nos mares
        E o leviatã se acalma
        A segurança mora com os famintos
        Sabendo que o pão será servido (mesmo se não for de trigo)
        Invejosos se envergonham de nem tudo terem tido
        A riqueza é dada ao que ama, de graça
        Fonte a jorrar do Céu

        Não preciso subir em escadas
        Ou em prédios para bebê-la,
        Basta olhar ao lado
        E, se avistar alguém digno de amor, ame-o
        Mas quem não é digno de amor?
        Os estupradores, as prostitutas, os assassinos são os mais dignos de
        amor
        E aquele que lhes nega o amor
        É o mais indigno de amor

        Ó Amor
        Qual é a tua essência?
        És como a pomba-rola
        Indo e vindo como quer
        A história nos conta teu percurso
        Pelas mãos dos homens

        E nos lábios dos poetas
        Tuas vozes
        Jesus?! Um subversivo em teu nome
        Quebrou os grilhões do legalismo
        E as gaiolas dos religiosos
        Voemos feito pombas
        Voemos como anjos
        Se anjos existem ou não…
        Mas algo canta no mundo
        Quem tem ouvidos ouvirá

        Mas olhe!
        Nada é prometido
        A recompensa do amor
        É o próprio amor
        Quem o dá o aumenta em si mesmo
        É diferente de tudo o que acaba
        E os anjos cantaram
        Até que eu dormisse…
        (Para minha mãe)

  65. Reverendo Ministro Antônio Carlos Patrício permalink
    26/04/2013 16:40

    Leonardo, gostaria de saber de sua disponibilidade para participar de uma conferencia em ciências, filosofia e teologia ainda esse ano. Por favor, entre em contato por e-mail: antoniocarlospatricio@gmail.com. Dependemos de sua resposta para marcar esse evento. Estamos cuidando dos detalhes. O evento poderá se realizar em Campina Grande, na Paraíba e pode ser no feriadão do mês de outubro deste.

  66. Antonio Castro permalink
    09/05/2013 13:24

    Prezado Leonardo Boff, gostaria de saber se exite algum email pelo qual eu pudesse entrar em contato diretamente com você. Se for possível esse contato por favor me informe pelo email que deixei cadastrado para esse comentário. Agradeço desde já e parabenizo pelo trabalho realizado com tanta paixão.

  67. Carlienne Carpaso permalink
    11/05/2013 10:26

    Boff, preciso do seu e-mail para entrar em contato com você. Sou estudante de jornalismo da Universidade Federal do Piauí e estamos organizando um encontro nacional dos estudantes de comunicação social do país através da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social. Por favor, me dê retorno, com urgência, para podermos dialogar: cps.comunicacao@gmail.com

  68. 01/06/2013 12:11

    Maravilhoso, trabalho da singularidade e da complexidade bem articulada aos princípios, valores, projetos, propósitos, crenças na jornada alquímica, científica e espiritual – com contextualização das tarefas do humano, no social, com responsabilidade e sustentabilidade autêntica e compositora – parabéns Leonardo Boff e colaboradores!!
    Adoraria ter estes textos todos na tradução da língua portuguesa – por gentileza!!
    Abraços e gratidão!!
    Márcia Lilla

  69. Priscila permalink
    21/06/2013 14:09

    Leonardo Boff,
    Sou uma estudande the theologia em KY e gostaria de conversar com vc sobre seu livro “HOLY TRINITY, PERFECT COMMUNITY.” Eu estou escrevendo uma pequena dissertacao comparando a trinidade e a nossa responsabilidade com nossos irmaos e irmas. Por favor, eu gostaria de contatar vc por facebook, email, or telefone. Meu nome e Priscila de Jesus Alves e meu email. Obrigada antecipadamente, Priscila

  70. 03/07/2013 0:50

    Sou admiradora de Leonardo Boff de longa data,foi com muita alegria que hoje apareceu na minha página do Face,o Blog de Leonardo Boff,, fiquei radiante… encontrei uma dificuldade:,poucos os textos em Português,tentei o google tradutor,não traduziu… ,não tenho muita habilidade com a internet…mas passo o dia buscando textos…músicas…e tudo o mais que esta ferramenta nos proporciona, eu aposentada,,tenho tempo para desfrutar dos benefícios da tecnologia…como ter acesso dos textos em Português? Abç

  71. 28/07/2013 23:56

    Leonardo, todos os seus livros que li, me serviram de grande lição: Jesus Cristo Libertador, O Rosto Materno de Deus, Sacramentália ( aquele que tem um toco de cigarro e uma xícara na capa), maravilhoso e os outros que li. Você é um privilegiado por Deus: coloca as coisas de uma maneira muita clara de fácil compreensão. Parabéns pelo seu trabalho!

  72. Regina Célia de Lima permalink
    29/07/2013 0:54

    Excelente texto Doutor, a presença do Papa Francisco foi de uma importância imensa neste período crítico que estamos atravessando. Senti a ausência de representantes de comunidades carentes, na via sacra não havia necessidade de atores, a meu ver, pois os cariocas sabem muito bem se colocar diante de uma grande multidão. Espero que o Papa Francisco tenha conseguido perceber nossas carências… E que Deus nos ajude….

  73. 31/07/2013 10:59

    Olá, querido Leonardo Boff!

    Agradeço por contribuir grandemente acerca do tema “espiritualidade”. Há mais de 6 anos pesquiso sobre a temática, e pude ter um novo olhar a partir de um de seus livros “Espiritualidade: Um Caminho de Transformação”, e suas entrevistas na mídia.

    O escolhi para ser o meu referencial conceitual na minha dissertação de mestrado em Ciências do Cuidado em Saúde, pela UFF/ RJ. Espero um dia poder conhecê-lo pessoalmente…

    Que Deus tenha misericórdia de ti e te dê paz!!!

  74. 31/07/2013 13:26

    Bom dia!
    Acredito que muitos deveriam ler esse texto, para entender o contexto da vinda do Papa ao Brasil. Gostaria de publicar no meu jornal, com os devidos créditos

  75. 11/08/2013 0:25

    Un saludo atento. Allá por fines de 1970, en la ciudad de México, en mi búsqueda, tuve la oportunidad de asistir en dos ocasiones, a un curso (seminario) de introducción al estudio de la Biblia, equivalente a dos años de estudio. Entre la bibliografía, nos fue recomendada la lectura de Jesucristo Liberador, del franciscano Leonardo Boff. Ni qué decir que el tal curso fue determinante para mi, en mi búsqueda. En el curso de los años, llegué a leer la mayor parte de las obras que, en español, encontré de don Leonardo, el hermano Leonardo Boff. Ni qué decir que lo he tomado como uno de mis maestros. Iglesia, Carisma y Poder, lo leí desde luego. No lo conservo porque creo lo regalé. También leí El Evangelio del Cristo Cósmico, en referencia al pensamiento del padre P. Teilhard de Chardín. Los Sacramentos de la Vida y etcétera. Con el tiempo me he enterado que Leonardo Boff ha tomado como prioridad en sus escritos, en la web, los problemas planetarios, de la crisis planetaria, desde la opción por los desvalidos, desde luego, pero como interés central, la crisis ambiental envolvente. Estas últimas semanas ha centrado su interés en la novedad del nuevo Papa de nuestra Iglesia, Francisco. Un Papa ¡jesuita y de espíritu franciscano!, según entiendo. En los últimos años, aprovechando las maravillosas nuevas tecnologías, divulgo, creo que de manera intensa, los escritos de don Leonardo. No tengo títulos, pero aprendo mucho de los académicos y creo que vamos en el mismo barco (diría también que la misma barca, je je). En cuanto a la existencia o no existencia de Dios, me permito dar mi opinión a través de un escrito que transcribo a continuación y que titulé: Entrevista con Papá Diosito. De ser pertinente, ojalá pueda publicarse aquí. Esta elaborado con pretensiones literarias. Doy un enlace de uno de mis blogs, por si tengo el honor de que se visiten. Y pongo otro enlace, de un tema más peliagudo, que llamo Sueños Guajiros. Ojalá merezca su atención. Gracias mil y allá van de mi ronco pecho, como decimos aquí en México:

    ++++
    ENTREVISTA CON PAPA DIOSITO
    Silviano Martínez Campos
    —Señor, papá Diosito, con todos mis respetos, o sea, con todo mi temor, permíteme hacerte una entrevista con motivo de esta Semana Santa, para mis posibles lectores.
    —Me vienen entrevistando desde hace más de cien mil años, desde que los hombres tienen uso de razón.
    —Sí, y hay entrevistas muy famosas, las de Abraham y Moisés o la de Job, pero a éste cómo le fue por pedirte cuentas, y a mí mismo, guardando las proporciones, en el curso de la vida me has dado respuestas aún no digeridas; pero esta entrevista sería para publicarse.
    —Tu crees que todo puede publicarse, también en estas dimensiones hay censuras, pero censuras piadosas, para no sobrecargarlos con demasiada información.
    —Es cierto, porque Pablo, el apóstol, decía que al recién converso, o sea al neófito, primero habría de dársele biberón antes de los alimentos fuertes como carnitas, al igual que a niño y, en realidad, en estas cuestiones, todos somos infantes; pero Jesús, tu Hijo, también dijo que lo dicho por El en secreto debía difundirse desde las azoteas, o sea, a través de los medios de comunicación.
    —Me pediste una entrevista y la estás cambiando a diálogo, aunque también me gusta el diálogo. Y siempre he dialogado con ustedes, aun cuando las más de las veces ha sido diálogo de sordos. En fin, viene la entrevista, pero te aguantas las respuestas.
    —Puedo grabarla, o confías en mi memoria.
    —En tu memoria sí confío, aunque la tienes débil, tan débil que a menudo te olvidas del Decálogo; en cuanto a grabarla, tú sabrás, has grabado mi ley en libros y obras de arte, tus interpretaciones llenan bibliotecas y, ya ves, el mundo que te encomendé, no es el mismo que salió de mis manos. Mejor me gustaría conservaras la grabación original que puse desde siempre en tu corazón.
    —Creía que esta entrevista era personal, pero veo estás cargando sobre mis hombros el peso del mundo.
    —¿No será que confundes lo personal con lo individual?, ¿no tus mismos pensadores dicen por allí que cada ser humano es la especie y representa la especie?. En fin, puedes preguntar si quieres.
    — ¿Realmente existes?, porque muchos lo dudan, sobre todo en estos tiempos calamitosos.
    —Realmente existes tú, porque saliste de mí. En cuanto a mí, sencillamente soy. Pero no te metas en esos enredos, eso es lo que te embrolló, tu dialéctica libresca, aunque por supuesto respeto tu cultura. ¿Por qué no me preguntas en tu lenguaje campesino?, ¿no crees que sería más fácil entendernos?.
    Podrías por ejemplo preguntar a dónde regresa el rayo de sol reflejado en el ala de una mosca, si retorna a las alturas o penetra en las profundidades; dicen que escucho los pasos de las hormigas y podrías interrogarme si la sonrisa de un pequeño también ilumina la materia oscura del universo, o si un suspiro, o un lamento del hombre atribulado, de no encontrar eco en el corazón del hermano, puede retumbar en los agujeros negros; si los cantos de los grillos son el concierto que impide oír los gritos de los condenados, como se decía antes, o más bien piadosamente atenúa los coros de ángeles y bienaventurados porque tu oído aún no está terminado para poder escucharlos sin estallar de gozo.
    De que te enredas, te enredas si insistes en desentrañar los secretos del átomo y aplicarlos a tu técnica, pero puedes hacerlo, eres libre. Aunque me gustaría más bien preguntaras sobre cómo engarzar dos miradas sin que las corte la desconfianza y el recelo; cómo concertar dos afectos en uno solo para que vibren al unísono pulsados por una sola mano en dos entrelazadas; cómo orquestar una y mil voces en una sola para entonar la canción que realmente vale, la oda de la vida; o cómo encontrar la tierra prometida donde todos coman, todos canten, todos sepan, todos amen.
    —Así está mejor, dime, entonces, ¿por qué a los niños les gusta lo pequeño?, por qué guardan sus caricias para u n cachorrillo y reducen el mundo al tamaño de sus cuerpos; en cambio los adultos soñamos con grandezas y pretendemos escalar montañas y conquistar universos; pero como el Sísifo del mito regresamos una y otra vez al punto de partida.
    —Porque los niños no han salido de mi seno, pueblan todavía el reino de los sueños y su inocencia los arraiga aún en el paraíso. Están todavía en el vivero de mi jardín, donde cultivo con esmero su plantita que será trasplantada, a su tiempo, en otros suelos, fértiles o áridos, para que también a su tiempo fructifiquen.
    Pero no te preocupes, a todos los trato como a niños, no que pretenda siempre retenerlos en viveros, sino los quiero libres y adultos; pero mi afecto va para ustedes y quién te dijo que el único lenguaje es el del logos, el del verbo; también de un suspiro se forma un alfabeto y en una mirada se descifra el universo.
    Con una palmada, a tiempo, se desarma una furia y mediante un susurro se deshace un vocerío; un afecto lo descifras en la clave de una nota, o bien escalas el señuelo en la tonada; te remontas al cielo en el vaivén de una sinfonía o te explico el mundo en el momento de un acorde; pero también te doy la clave de las cosas en el ritmo ternario, o cuaternario de una ranchera melodía surgida de las raíces de la tierra.
    —Parece poesía, ¿sirve de algo para acercarnos a ti, en nuestros tiempos azarosos?.
    —Construiste tu ciencia en torno al intelecto y tejiste con los siglos la técnica moderna; sentaste los principios de las cosas en grandiosas teorías y sistemas de pensamiento que culminaron en complicadas ideologías. Y a través de ciencia, técnica, pensamiento e ideas encontraste de nuevo los límites del mundo. ¿Qué más da entonces que vuelvas al principio y redescubras el afecto y el sentido del ritmo mesurado y busques la razón de las cosas a través del lenguaje más profundo y más abarcante de la poesía y el mito?.
    — ¿Y no sería esto una regresión?
    —Alabo desde luego tu ciencia y tu técnica y tus sistemas de pensamiento; has usado la razón que te dí, pero serás tu ahora, como Job, quien me conteste: ¿Es o no regresión el arsenal atómico que has logrado acumular, capaz de acabar con tu vida?, ¿Es o no regresión la guerra moderna destructiva, aunque toda guerra siempre ha sido armada por las huestes de Caín?, ¿Es o no regresión parte de tu industria y de tu técnica que viene esterilizando ríos, lagos, mares, suelos y amenaza con trastornar la placenta de tu Tierra?.¿Es o no regresión el que se hayan desatado sin aparente control los azotes de la violencia multiforme, la real y la simbólica, al grado de que empieza a llamarse a tu cultura, una cultura de la muerte?. Y hay más, aún, muchos se han olvidado en teoría o en práctica, de que existo y allí está la explicación.
    —No tengo respuestas claras; pero has de disculpar, estamos tratando de desenredar las cosas, en lo pequeño comunitario y en lo grande planetario.
    —Otra pregunta más: ¿es o no regresión establecer, mediante su ciencia económica y sistemas de poder, en la teoría y en la práctica, modelos de organización que facilitan la acumulación de bienes en pocos y el despojo masivo de los más, cuando los bienes de la tierra son para todos?
    —No tengo respuesta clara y creo que ni muchos economistas Pero una pregunta más: ¿cómo podemos salir de este calvario que llamamos crisis?.
    —Respuestas técnicas no las tengo, no les gustó mi mundo, háganlo a su manera, pero les doy una receta: ámense.
    —¿Cómo?.
    —Pregúntenle a Jesús, mi Hijo, mi Ungido, mi Cristo, mi Enviado.
    —Gracias Señor, papá Diosito, te trato así de cariño.
    —De nada. No lo olvides, siempre estoy disponible para las entrevistas; ¡pero cuidado!, que duelen las respuestas.
    —Algo más que desees agregar, tú siempre tienes la primera y la última palabra.
    —Y tú también la tienes: ¿No es la Palabra, el Emmanuel, al que recuerdas en la Semana Santa?. Si lo recuerdas siempre, siempre encontrarás la respuesta.

    (Publicado en GUIA, Semanario Regional Independiente, Zamora, Mich., México, Las Ventanas, 7-B, 16/IV/1995; y en ETCETERA, semanario, La Piedad, Mich.)
    (Y reproducido en diversos sitios web, entre otros, http://www.silviano.wordpress.com )

    http://silviano.wordpress.com/2011/04/29/suenos-guajiros-rusticos-vi-silviano-martinez-campos/

  76. Arsonval Lamounier Junior permalink
    17/08/2013 13:20

    Sou grande admirador da sua obra, o que me fez conhecer pessoalmente o sr. e sua ONG em Petrópolis. Me formei médico em Teresópolis, li diversas de suas obras, te acho uma grande luz… mas já desde a eleição da Dilma me pergunto quais são as ligações que o sr. tem com as propostas deste governo federal para com os pobres, e principalmente ao meio ambiente? O que assisto deste governo é uma falta de vergonha e incompetência, que eu fico boquiaberto com tanta mentira. Não é possível que esta história de Bolsas dê dignidade aos mais necessitados, sem um projeto de educação real. Não é possível que Belo Monte, Código Florestal ou o pólo petroquímico de Itaboraí (aí bem debaixo da sua barba) sejam do apoio do sr.! Agora vi uma declaracao do Lula ( http://www.youtube.com/watch?v=kXilUXmPduI ) onde ele diz que chegou ao poder por “estar com a Teologia da Libertação”… Se esta tua postura de apoio ainda existe, será para mim uma grande decepção ao ver que um homem como o sr se veste do fanatismo ideológico e acredita que a única saída contra aqueles que fizeram a ditadura é um grupo/quadrilha de políticos como o que atualmente governa o Brasil. Me desculpe qualquer excesso, mas por uma postura franciscana real e fraterna, peço sua resposta.

  77. 27/09/2013 13:45

    Más que un comentario, deseo saludar de todo corazón a un maestro. Leornardo Boff fue mi maestro en Petrópolis, cuando un grupo de estudiantes franciscanos bolivianos hicimos estudios de Teología con él en los años 70. Ahora ya en mi tierra Cochabamba-Bolivia sigo recordando aquella vivencia profundamente humana y lleno de sabiduría cuando el Prof. Titular de la materia Teología Sistemática Frei Boaventura Kloppenburg presentó que a partir de aquel momento se haría cargo de su materia su discípulo más aventajado y éste era el recientemente graduado Doctor en Teología en la Universidad de Munich, Frei Leonardo Boff.
    Mi nombre es José Antonio Rocha Torrico, actualmente Decano de la Facultad de Ciencias Sociales en la Universidad Pública Mayor de San Simón, Cochabamba-Bolivia, con estudios de doctorado en Alemania en Antropología Cultural. Hermano Leonardo siga acompañando a los movimientos sociales e inspirando abrir siempre nuevos rumbos para todos nosotros y el cosmos. Muchas gracias. Que nuestra Pachamana siempre le ilumine!!

    • 29/09/2013 7:47

      Torrico,
      que bueno encontrarte después de tanto tiempo. Sigo todo lo que ocurre en Bolivia y me refiero muchas veces en mi charlas sobre el “bien vir” que es una contribución andina para la cultura social mundial.
      un gran abrazo
      lboff

  78. 28/09/2013 20:09

    Por que não tem 9+ tradução, tá muito difícil, muitos admiradores da página não dominamos outras línguas.

    • 29/09/2013 7:42

      Luiz Rogerio
      Todos os artigos em outras linguas saem antes em portugues aqui no blog. É so procurar.
      lboff

  79. Irmã Ana Marcia matias da Silva permalink
    29/09/2013 23:55

    sou Ir . Ana Marcia e gosto muito das suas palavras animo e coragem …

    • Sinvaldo Serpa permalink
      10/10/2013 2:17

      Irmã Ana Marcia vc por acaso sabe que este individuo não faz mais parte da igreja?!

      • 10/10/2013 8:18

        Sinvaldo,
        Nunca deixei a Igreja e nunca fui escomungado. Apenas passei para o estado laico, estado de Jesus que não era da tribo de Levi,portanto, não era sacerdote, mas da de Davi, portanto, leigo.Para sua informação: já recebi convite do Papa Francisco para um encontro ainda neste ano em Roma.
        Ademais, não use a linguagem dos policiais. Não sou “indivíduo”, tenho nome.
        Que o Espírito nunca lhe falte
        lboff

      • Felipe permalink
        10/10/2013 11:42

        Uau! Tbm achei descortês e de certa forma anti-cristã a atitude do Sinvaldo. Mas, deixando este fato a parte e aproveitando o ensejo de sua colocação prof. Boff, não seria o caso de Jesus tbm ser da tribo de Levi, assim como da tribo de Davi?

        Maria era prima de Isabel e seu esposo Zacarias era sacerdote. Neste caso não poderíamos afirmar que Nosso Senhor Jesus era tanto de uma linhagem sacerdotal (Araâmica) como de uma linhagem real (davídica)?

        Obrigado por suas considerações que sempre me enchem de conhecimento e vida!

      • 11/10/2013 10:48

        Felipe
        Para a religião bíblica só conta a linha do homem, do marido, do pai. José entra, nas genealogias de Mateus e Lucas, para incluir Jesus nessa linha, já que José era da tribo de Davi.Ao menos a epistola aos Hebreus diz que Jesus descendia da tribo de Davi, sobre a qual nada se diz sobre o sacerdócio.
        abraço
        lboff

      • Felipe permalink
        12/10/2013 22:19

        Ok. muito obrigado!

      • Sinvaldo Serpa permalink
        21/10/2013 0:42

        o que você quer dizer nessa frase, “Apenas passei para o estado laico, estado de Jesus que não era da tribo de Levi,portanto, não era sacerdote, mas da de Davi, portanto, leigo”, Jesus não é Deus encarnado o qual entregou o ministério da igreja a Pedro, como ele pode ser um leigo se ele é Deus!!??

      • 24/10/2013 21:36

        Sinvaldo
        Ele é Deus encarnado. Enquanto encarnado era judeu da tribo de Davi. Leia a Epistola aos Hebreus e ai vc lerá que ele não era levita,portanto, não era da casta sacerdotal.
        lboff

      • Sinvaldo Serpa permalink
        25/10/2013 20:43

        Jesus não deixou uma igreja?? e depois dele não tem uma hierarquia??

  80. Saulo de Sousa Castro permalink
    13/10/2013 5:59

    Meu querido Leonardo Boff, você é uma referência intelectual e espiritual que tenho. Estou com 54 anos, próximo de me aposentar como bancário, cursando administração pública à distância na UFSJ com a esperança de, através de uma carreira acadêmica, contribuir na construção de um “novo mundo novo”.
    Meu planejamento é produzir alguns artigos, no 5º, 6º e 7º períodos; depois realizar o TCC no 8º, fazer o mestrado, doutorado…; procurando trilhar um caminho que contemple minha esperança.
    Sobre o caminho, motivo de estar pela primeira vez me comunicando com você, pensei que não adianta a administração pública resolver nenhum de seus inúmeros problemas se ela não ajudar a salvar a Mãe Terra e por isso pretendo trilhar o caminho de fazer da administração pública uma forte aliada da luta de salvarmos nosso lar.
    É mais ou menos assim: O tal do PIB, termômetro do deus mercado, é talvez o maior cabo eleitoral dos processos eleitorais nos dias de hoje e precisamos pelo menos fazer com que o saneamento básico, tão escondido debaixo da terra, passe a ocupar esse lugar…
    Vou tomar suas obras como referência…
    Obrigado e um fraterno abraço.

  81. 16/10/2013 22:40

    Bueno, generalmente no digo nada, no tengo los título académicos que el profesor ostenta, sin embargo no puedo pasar callado frente al tema sin decir algo al respecto, me toca por una cuestión existencial y porque nadie puede apropiarse de la verdad por más argumentos que consiga.
    Estoy de acuerdo con la figura del Jesús histórico y el Cristo de la fe, la tradición y la religión, todo eso.
    No estoy de acuerdo con ese Reino de los Cielos, ni ese afán de politizar su acción hacia ninguna liberación de los pobres, en realidad si su deseo libertario hubiera sido tal, lo hubiera realizado, pero no, su reino no era de este mundo, y sí milagros y prodigios realizo como señales de su poder, fue por compasión, los sanaba y perdonaba y les dio de comer un par de veces pero no se quedo en eso, estaba más interesado en las almas que en los cuerpos y la Justicia del amor es para ser ejercitada por sus elegidos, porque claramente no somos todos hermanos, como dice, ni tampoco hijos, seremos todos sus criaturas y algunos pueden ser llamados hijos! Mo es lo mismo!
    Era totalmente sobrenatural y si no se hubiera levantado de entré los muertos habría pasado a la historia sin provocar el quiebre de los tiempos. Ninguno de sus cobardes discípulos hubiera vuelto a morir por El si no lo hubieran visto vivo después de su crucifixión.
    No! Estimados teólogos! Lo más grande que nos dejo fue esa visión de eternidad, de resurrección! De vida eterna!! De eso hablaba!! No de justicia social ni igualdades socialistas revolucionarias, no seria religión, pero sí relación personal y eterna. Y allá estaremos al fin de los tiempos los que ejercitamos la Fe!!! Obedecemos, llevamos frutos y confesamos con nuestros labios que Jesucristo es el Señor!!

    • 17/10/2013 0:18

      Yanigamarra
      Según tu teología Jesús jamás iba a morir condenado en la cruz,sino de viejo cercado de discipulos.Todo es tan harmonioso y sobrentural… Pero no fué asi.Murió como consequencia de su practica y de su mensaje que escandalizaba a la gran mayoria.No te olvides que dijo:Felices los pobre; y el juicio final se decide a partir de la relacion de amor y solidaridad hacia ellos, no por dogmas o otra cosa. El resumen del mensaje de Jesús,lo dice la mas antigua tradicion teologica, se encuentra en el la oracion del Padre Nuesto. Mire que en esta oracion se une Padre Nuestro con Pan nuestro, une el impulso hacia el Padre y la consideracion de las necesidades humanas atendidas con el pan. No debemos separar lo que Cristo ha unido.Solamente uniendo Padre Nuestro con Pan nuestro podemos decir Amen. Y entonces estaremos dentro de la herencia que Él nos ha dejado. No hay cielo sin la tierra.
      lboff

  82. ivanilsa pereira de sousa permalink
    22/10/2013 10:04

    compartilho de sua causa e de sua luta por um mundo mais humano e menos capitalista.te adoro

  83. 16/11/2013 20:01

    Gostei de você.
    Ou será que gostei do Eu em você?

  84. José Augusto Antunes permalink
    10/12/2013 16:09

    http://WWW.AMIGOSDEDEUS.NET

  85. Thiago permalink
    13/12/2013 18:02

    Doutor Leonardo,
    Pretendo publicar um livro e acho que o Sr. é do conselho editorial. Enviei um email para editorial@vozes.com.br com a introdução e umas passagens do livro. Penso que poderá gostar. O título provisório é “Direito do Apocalipse: a humanidade racional”. O livro tem a pretensão de ser científico e filosófico e coloca o Alcorão dentro dos livros bíblicos…

  86. Irene Bernardo permalink
    30/12/2013 9:56

    Sr.Leonardo Boff,quanta alegria sinto em poder deixar aqui um recado,tenho muito que dizer por isso busquei em minha memoria a primeira entrevista que lí e procurei saber quem era sua pessoa.Quando eu era consultora de cosmético da Natura.Li uma entrevista sua ao reporter eco,tv cultura,senti que meu espirito entrava em sintonia com alguem que eu não conhecia e pensava como eu pensava e sentia como eu sentia.Caso tenha como localizar esta entrevista,se possível envie para mim,Gostaria de tornar a le-la.

    • 31/12/2013 14:24

      Irene
      Eu nao arquivo entrevistas. Mas creio que se vc for ao Google certamente encontrará pois la se guarda tudo.
      Feliz ano de 2014
      lboff

  87. 03/01/2014 8:36

    Excelente los escritos de Leonardo Boff

  88. 13/01/2014 18:29

    olá senhor L Boff, é com muito prazer que lhe escrevo.

    estou fazendo faculdade de administração e tenho que comentar um texto seu, ” Bento 16 e a Guerra na Igreja”, estou um pouco perdida no assunto,
    como o senhor ver os evangélicos ? é a favor de bento 16, quando afirma que a unica igreja que salva é a igreja católica?

    na verdade o que queria dizer com o texto “bento 16 e a guerra na igreja?”

    obrigada!!!

    • 16/01/2014 14:15

      Amanda
      Não lembro de ter formulado assim meu artigo. Veja no meu blog do ano de 2013 e 2012 varios artigos osbre ele e sua compreensão de Igreja. (blog: leonardoboff.wordpress.com)
      Como fui aluno dele, ele depois de Papa radicalizou sua posição, negando às demais igrejas o titulo de Igreja, reservando-a somente à I.Catolica.
      Curiosamente na tese que fiz na Alemanha publicada sob os auspicios dele tenho um longo capitulo sobre a eclesiaidadae das igrejas. O fato é que elas não se reconhecem mutuamente. Se houvesse esse mutuo reconhecimento não precisaria mais de ecumenismo.
      lboff

  89. 23/01/2014 19:58

    Parabéns Leonardo pelos artigos. Sempre são ótimo. Será que posso reproduzir teus artigos no jornal atual de São Mateus do Sul Paraná. Gostaria de saber se tenho a tua autorização. abraço. Daniel.

  90. Darc y Brega permalink
    16/02/2014 9:32

    Prezado Professor Leonardo,

    espero encontrá-lo bem. Escrevo porque gostaria que o senhor escrevesse uma crítica ao livro “Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado”, de Romeu Tuma Jr., como o senhor fez em outros excelentes artigos sobre a política brasileira contemporânea.

    Muito obrigado.

    Abraço,

    Darcy Brega

  91. Rogério Gomes da Silva permalink
    02/03/2014 11:52

    Bom dia, para Leonardo Boff, temos que conversar.

  92. 03/03/2014 1:26

    como cristiano creo que el Sr. Bofi como teólogo hace una muy buena contribución al mejoramiiento de nuestro comportameinto humano…

  93. 18/03/2014 1:58

    aunque no se portuguez lo entiendo muy bien y me ha sido muy util leer los planteamientos de los seguidores,muchos, y los detractores del señor L.Boff, com ambos he aprendido mucho y lo seguiré haciendo ,gracias…

  94. Lucas permalink
    21/03/2014 1:12

    Começo a trilhar o caminho na vida Francisca na OFM, me alegraria muito um conselho do senhor. Abraço

    • 21/03/2014 3:52

      Lucas
      seja o mais simples possivel e sinta-se irmão de todos,tambem das criaturas da natureza. E em tudo procure ver primeiro o lado de luz e menos o de sombras, poque, como dizia S.Francisco, não termos razões de nos queixar de Deus.
      Paz e Bem
      lboff

      • Lucas permalink
        21/03/2014 7:30

        Obrigado Frei Leonardo. E porfavor, que livro o senhor me aconcelharia?

      • 21/03/2014 19:27

        Lucas,
        Eu aconselharia o meu livro com capitulos curtos mas bem detalhados: Proteger a Terra-cuidar da vida: como evitar o fim do mundo, Record, Rio 2010.
        bom proveito
        lboff

  95. Rosely Cardoso permalink
    24/03/2014 22:06

    Boa noite sr Leonardo.
    Bem estou me formando em Relações Internacionais e meu tcc é sobre o papel da Igreja na ditadura, pretensiosamente quero saber se me concederia algo…um norte, uma indicação de livro… uma entrevista?! ( PURA PRETENSÃO! Mas…)
    Obrigado!

  96. 27/03/2014 7:31

    Caro frei Leonardo Boff. Sou professor da Universidade Federal do Ceará e estou organizando um curso aberto e livre com o tema “Uma introdução à reflexão sobre Ciência, Tecnologia e Deus”. Gostaria de saber se o senhor poderia contribuir conosco com um texto, um vídeo ou simplesmente seus preciosos comentários em nossos fóruns. A ideia é que mesmo depois do curso encerrar o material e discussão fique disponível livremente para as pessoas poderem acessar. O que o senhor acha? Dentro dos temas trabalhados, podem haver sub-temas e o senhor poderá propôs-los. Infelizmente, as datas estão muito em cima pois o curso foi idealizado e está sendo implementado por voluntários e só consegui este período para ter um bom volume de pessoas de dentro da mina universidade e de fora.

    Atenciosamente,

    Prof. Wellington Wagner F. Sarmento (www.virtual.ufc.br)

    Título: Uma introdução à reflexão sobre Ciência, Tecnologia e Deus
    Pré-requisitos: Nenhum
    Curso Livre e aberto ao público totalmente a distância

    Endereço para cadastro (disponível para cadastro em 28/03/2014): http://www.solaredx.virtual.ufc.br

    Objetivos:

    - Refletir sobre a dicotomia entre a compreensão do divino e da Natureza;
    - Discutir os conceitos de Ciência e Tecnologia;
    - Refletir sobre a necessidade ou não de Deus;
    - Discutir o processo filosófico de reflexão sobre os temas abordados;
    - Estudar os reflexos da Ciência, Tecnologia e de Deus no cotidiano.

    Ementa:

    O que é Ciência? Do que ela trata?; O que é Tecnologia? Qual sua relação com a Ciência; Como surgiu a necessidade de deus do ponto de vista antropológico?; O que é fé? Há realmente multa exclusão entre fé em um Deus e a Ciência?; Por que nossas concepções teístas ou ateístas influenciam em nossas vidas.

    Descrição da Carga Horária

    1) Definições e discussão de Ciência, do ponto de vista filosófico. 4 h/a
    2) Definições e discussão sobre Tecnologia, sua relação com a Ciência e seu impacto no dia a dia das pessoas. 4 h/a
    3) A existência Humana e sua necessidade do Divino. 4 h/a
    4) “Se Deus não existisse precisaria ser inventado”: a necessidade de Deus para o ser Humano e suas implicações na vida das pessoas. 4 h/a
    5) Realmente existe contradição entre Ciência, Tecnologia e Deus? 4 h/a

    Inscrições: 31/03/2014 – 04/04/2014
    Início do curso: 07/04/2014
    Fim do curso: 21/04/2014
    Carga-horária: 20 h/a (carga-horária compatível com curso presencial)

    Avaliação: frequência nas discussões e participação nas tarefas propostas.

    Média: Para aqueles que obtiverem média 7,0 será emitido uma declaração de participação no curso.

    • 27/03/2014 13:23

      Wellington
      Obrigado pelo convite. Mas tenho uma agenda nacional e internacional muito sobrecarregada, todos que implicam escrever textos. Assim não tenho disponibilidade de participar de seu curso.
      No meu blog nestes ultimos tempos tenho abordado varias vezes a questão de Deus e da ciência, O lugar de Deus na nova cosmologia. Entre no meu blog e veja nmos vários anos, procurando nas referencias em religião e teologia que vc encontrará bastante material. Pode aproveitar o que lhe parecer mais adequado.
      um grande abraço
      lboff

  97. 10/04/2014 1:17

    muy agradecido por su preocupación por el bienestar de los individuos , nuestra madre tierra y los desamparados del mundo…….

  98. Ludmilla permalink
    02/05/2014 16:48

    Caro Leonardo Boff, gostaria de falar co o senhor. Sou a Irmã Ludmilla do Prado.

  99. Rodney Soares Bezerra permalink
    08/05/2014 2:50

    Prezado Dr Leonardo Boff,

    Bom dia.
    Minha mãe, Sra Maria Antonieta Soares, (ex freira Ir. Terezinha) em Capinzal-SC, deseja contactar-lhe para dizer que envia um grande abraço, parabenizando-o, pois é leitora de seus livros.

    • 08/05/2014 20:15

      Maria Antonieta (Ir Terezinha)
      Que surpresa. Vc ficou sempre na memoria da familia e minha. Belos tempos aqueles de Capinzal. Comparados com os de hoje viviamos no paraiso terrenal. Que tenha boa saude e a irradiação que sempre a caracterizou.
      Com carinho
      Genezio (Leonarado Boff)

  100. Vereecken permalink
    09/05/2014 8:13

    Auriez-vous les mêmes connections en français ou en anglais? Merci d’avance

    • 10/05/2014 17:10

      Vereecken
      Il y a toujours dans cet blogue une traduction de mon article en anglais,en aleman, espgannol et italien.Pas encore en français.
      cordialemment
      lboff

  101. Vereecken permalink
    11/05/2014 10:55

    Muchos Grazias. English is OK for me as well as German.
    Thank you.
    Jean-Marie Vereecken

  102. Vinicius permalink
    26/05/2014 21:17

    Prezado Frei e Prof. Boff,

    Adorei o seu blog. Estou preparando um projeto de pesquisa teológica sobre as relações da Graça com a imaginação produtiva no pluralismo pós contemporâneo.

    Será que o senhor indicaria algumas de suas obras que ofereçam possíveis reflexões sobre esses pontos?

    Muito obrigado,

    Vinicius

    • 28/05/2014 1:11

      Vinicius
      Tenho escrito um tratado sobre a Graça que foi traduzidp em varias linguas e teve boa acolhida na comunidade teologica. Acaba de sair nova edição pela Vozes (vendas@vozes.com.br)
      um abraço
      lboff

      • Vinicius permalink
        04/06/2014 11:45

        Muito obrigado, frei. Abraços

      • Sergio Gonzalez permalink
        06/06/2014 14:54

        gracias por su interesante información…

  103. 31/05/2014 13:51

    Tb sou sua fã Mestre. Admiro sua luta e seu trabalho. Parabéns!

  104. Synthia Santiago permalink
    17/06/2014 13:39

    Elucidativo, claro, conciso. . . Leonardo Boff sempre será um homem muito além do seu tempo. Excelente página!

  105. ezequiel l. andrade permalink
    18/06/2014 22:53

    Professor Boff, participei de diversos encontros ecumênicos em São Paulo e outros estados. Naquela época, com o modismo da Teologia da Libertação achava que o PT era ou significava uma mudança radical na economia, na política e questões sociais de nosso país. Houvia as palestras do sr como de frei Betto com muita atenção e esperança de novos-tempos.Ora, onde anda o Betinho, ou melhor, Frei Betto, desde a primeira eleição de Lula não ouço falar dele na mídia ( o betinho). E a ética do PT acabou, juntamente, com seus fundadores ( Zé Dirceu e Zé Genuino). Será que podemos acreditar, ainda, em partido politico, nesse país. Será que as palavras de baixo-escalão não foram dirigidas, indiretamente, a impunidade que atravessa o Brasil. Chega de mensalão… fora corruptos, seja lá de qualquer partido político.

  106. Marcos Roberto Vaz Pinto permalink
    22/06/2014 10:05

    Leo, é uma alegria poder deixar aqui minha mensagem. A primeira vez que li um livro seu, foi na década de 80 quando eu ainda era adolescente. Sou seu fã e mais do que deixar uma mensagem virtual, meu sonho é o de poder passar um dia com você, conversar e trocar idéias. Já tive a oportunidade de vê-lo e tirar um foto contigo no ano de 2013 na cidade de Rio Claro, mas não tivemos oportunidade de conversar. Esse é meu sonho. Abraços.

  107. 05/07/2014 0:57

    gracias por su sabia
    preocupación permanente por la superación de todos los que lo seguimos.

  108. 20/07/2014 1:38

    Caro Leonardo Boff,
    Um grande prazer poder ler suas mensagens com as quais acabei tendo uma breve aula de teologia.
    Mas me interessei muito, e me identifiquei muito, com o pouco que li aqui nesta, com o seu atual assunto, que pelo que entendi fala sobre tudo o que mais gosto, que é Amar a Mãe Terra e todos os seres como irmãos. Esta é uma filosofia minha de vida, e que graças a deus consegui passar para meu filho (hoje c/ 20 anos).
    Fiquei muito feliz de saber que alguém a quem eu admiro tanto também leva isso a sério!
    Vou ler os outros artigos da sua página, que falam mais diretamente do assunto, antes de qualquer outra observação! E sei que vou gostar!!!
    Mas desde já muito obrigada pela página!
    Adorei!
    Abraço :)

  109. 04/07/2014 21:20

    Estudo há muitos anos o Feng-shui desde o tempo que uma mestranda minha na UERJ foi morar um tempo na China para estudar em loco como funciona lá. Escreveu brilhante tese que ainda não foi publicada pela ignorância e desinteresse das editoras.
    lboff

Trackbacks

  1. Matéria Incógnita » Ser humano acelera risco de extinção em massa na Terra
  2. BLOGS AMBIENTALES | Pearltrees
  3. My Homepage
  4. O comunismo ético e humanitário de Oscar Niemeyer – Por Leonardo Boff « Eduardo Santana
  5. Matéria Incógnita – Inovação e Criatividade » A Eterna Criança na bela mensagem de Natal de Leonardo Boff
  6. " F I N I T U D E "
  7. ¿Una nuevca alianza entre ciencia y religión?. Leonardo Boff | Desde mi ronco pecho
  8. http://leonardoboff.wordpress.com | " F I N I T U D E "
  9. Contra el olvido del Espíritu Santo. Leonardo Boff | Aquí también, "nosotros los pueblos"
  10. Contra el olvido del Espíritu Santo. Leonardo Boff | Desde mi ronco pecho
  11. Francisco se desnuda para cubrir la desnudez del Papa. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  12. Francisco se desnuda para cubrir la desnudez del Papa. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  13. Francisco se desnuda para subrir la desnudez del Papa. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  14. “Sólo un Dios puede salvarnos”. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  15. La Tierra es Madre, titular de derechos | Alice News
  16. Signos del Espíritu en nuestro mundo. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  17. Signos del Espíritu en nuestro mundo. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  18. Signos del Espíritu en nuestro mundo. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  19. As multidões nas ruas: como interpretar? | Alice News
  20. Um credo mínimo de um cristianismo essencial. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  21. SUSCETÍVEL FEBRIL
  22. O que o Papa Francisco trouxe até agora de novo. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  23. O que é e o que nao é sustentabilidade segundo F. Capra. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  24. The Pope of freedom of spirit and cordial reason. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  25. A extrema arrogacia do império: a espionagem universal | PASO A LA UTOPÍA
  26. O duro recado que o Papa Francisco passou aos Bispos. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  27. Desafio urgente: a responsabilidade socio-ambiental das empresas | Alice News
  28. O resgate necessário da sensibilidade ecológico-social. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  29. Carta Pública al Papa Francisco: una Asamblea por la vida en la Tierra. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  30. El Papa Francisco y la despaganziación del papado. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  31. El Papa Francisco y la despaganización del papado. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  32. Contra a imbecilidade do atual anticomunismo. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  33. En medio del malestar mundial hay lugar para la alegría. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  34. En medio del malestar mundial hay lugar para la alegría. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  35. En medio del malestar mundial hay lugar para la alegría. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  36. A carícia essencial que resgata nossa humanidade.Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  37. A sabedoria chinesa do cuidado: o Feng Shui | PASO A LA UTOPÍA
  38. Leonardo Boff e o Feng Shui - Aline Mendes - Casa Quantica
  39. La filosofía china del cuidado: el Feng Shui. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  40. La filosofía china del cuidado: el Feng Shui. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  41. La filosofía china del cuidado: el Feng Shui. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  42. La gestación del pueblo brasileño, la universidad y el saber popular. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  43. Ética e Política. BBB. ¨Big Brother Brasil. Um Programa Imbecil.¨ Uma Opinião | MariaLDario's Blog
  44. O povo brasileiro: um povo místico e religioso. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  45. O nosso lugar no conjunto dos seres. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  46. QUANDO A GRANDE TRIBULAÇÃO CHEGAR A TERRA TERÁ ENFIM SEU MERECIDO DESCANSO. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  47. Cuando llegue la gran tribulación la Tierra tendrá al fin su merecido descanso. Leonardo Boff. (De Waldemar Boff) | PASO A LA UTOPÍA
  48. Cuidar de la Madre Tierra y amar a todos los seres. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  49. Cuidar de la Madre Tierra y amar a todos los seres. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  50. Cuidar de la Madre Tierra y amar a todos los seres. Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  51. Perder-se para encontrar-se: o monge, o gato e a lua. Leonardo Boff. (De Waldemar Boff) | PASO A LA UTOPÍA
  52. A sexta feira santa da Terra e sua ressurreição. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  53. EVS NOTÍCIAS.
  54. Renovar el contrato natural con la Madre Tierra. Leonardo Boff | PASO A LA UTOPÍA
  55. Renovar el contrato natural con la Madre Tierra. Leonardo Boff | LOS ALREDEDORES
  56. Renovar el contrato natural con la Madre Tierra.Leonardo Boff | mitierramaravillosa
  57. Leonardo Boff e o Feng Shui : Aline Mendes · Casa Quantica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 390.758 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: