Pular para o conteúdo

Sustentabilidade e cuidado: um caminho a seguir

16/06/2011

Há muitos anos, venho trabalhando sobre a crise de civilização que se abateu perigosamente sobre a humanidade. Não me contentei com a análise estrutural de suas causas, mas, através de inúmeros escritos, tratei de trabalhar positivamente as saidas possíveis em termos de valores e princípios que confiram real sustentatibilidade ao mundo que deverá vir. Ajudou-me muito, minha paricipação na elaboração da Carta da Terra, a meu ver, um dos documentos mais inspiradores para a presente crise. Esta afirma:”o destino comum nos conclama a buscar um novo começo. Isto requer uma mudança na mente e no coração. Requer um novo sentido de interdependência global e de responsabilidade universal”.

Dois valores, entre outros, considero axiais, para esse novo começo: a sustentabilidade e o cuidado.

A sustentabilidade, já abordada no artigo anterior, significa o uso racional dos recursos escassos da Terra, sem prejudicar o capital natural, mantido em condições de sua reprodução, em vista ainda ao atendimento das necessidades das gerações futuras que também têm direito a um planeta habitável.

Trata-se de uma diligência que envolve um tipo de economia respeitadora dos limites de cada ecossistema e da própria Terra, de uma sociedade que busca a equidade e a justiça social mundial e de um meio ambiente suficientemente preservado para atender as demandas humanas.

Como se pode inferir, a sustentabilidadae alcança a sociedade, a política, a cultura, a arte, a natureza, o planeta e a vida de cada pessoa. Fundamentalmente importa garantir as condições físico-químicas e ecológicas que sustentam a produção e a reprodução da vida e da civilização. O que, na verdade, estamos constatando, com clareza crescente, é que o nosso estilo de vida, hoje mundializado, não possui suficiente sustentabildade. É demasiado hostil à vida e deixa de fora grande parte da humanidade. Reina uma perversa injustiça social mundial com suas terríveis sequelas, fato geralmente esquecido quando se aborda o tema do aquecimento globl.

A outra categoria, tão importante quanto a da sustentabilidade, é o cuidado, sobre o qual temos escrito vários estudos. O cuidado representa uma relação amorosa, respeitosa e não agressiva para com a realidade e por isso não destrutiva. Ela pressupõe que os seres humanos são parte da natureza e membros da comunidade biótica e cósmica com a responsabilidade de protege-la, regenerá-la e cuidá-la. Mais que uma técnica, o cuidado é uma arte, um paradigma novo de relacionamento para com a natureza, para com a Terra e para com os humanos.

Se a sustentabilidade representa o lado mais objetivo, ambiental, econômico e social da gestão dos bens naturais e de sua distribuição, o cuidado denota mais seu lado subjetivo: as atitudes, os valores éticos e espirituais que acompanham todo esse processo sem os quais a própria sustentabilidade não acontece ou não se garante a médio e longo prazo.

Sustentabilidade e cuidado devem ser assumidos conjutamente para impedir que a crise se transforme em tragédia e para conferir eficácia às praticas que visam a fundar um novo paradigma de convivência ser-humano-vida-Terra. A crise atual, com as severas ameaças que globalmente pesam sobre todos, coloca uma improstergável indagação filosófica: que tipo de seres somos, ora capazes de depredar a natureza e de por em risco a própria sobrevivência como espécie e ora de cuidar e de responsabilizar-nos pelo futuro comum? Qual, enfim, é nosso lugar na Terra e qual é a nossa missão? Não seria a de sermos os guardiães e e os cuidadores dessa herança sagrada que o Universo e Deus nos entregaram que é esse Planeta, vivo, que se autoregula, de cujo útero todos nós nascemos?

É aqui que, novamente, se recorre ao cuidado como uma possível definição operativa e essencial do ser humano. Ele inclui um certo modo de estar-no-mundo-com-os-outros e uma determinada práxis, preservadora da natureza. Não sem razão, uma tradição filosófica que nos vem da antiguidade e que culmina em Heidegger e em Winnicott defina a natureza do ser humano como um ser de cuidado. Sem o cuidado essencial ele não estaria aqui nem o mundo que o rodeia. Sustentabilidade e cuidado, juntos, nos mostram um caminho a seguir.

Autor de “O Cuidado necessário”: na vida,na ecologia, na saúde,na educação, a sair pela Vozes.

17 Comentários leave one →
  1. Arthur Salviano permalink
    16/06/2011 6:52

    Como diria a sabia da floresta: o preço do cuidado é sempre menor que o preco do reparo.

    Curtir

  2. 16/06/2011 7:24

    Brilhante texto de Leonardo Boff, num mundo tão egoísta e individualista, cuidar e sair de si e olhar o outro.

    Curtir

  3. Alexandre E. S. Visconti permalink
    16/06/2011 7:28

    A carta de índio seatle ao presidente norte americano ainda no século retrasado é um belo exemplo do cuidado com a natureza que nos fala Leonardo Boff. Interessante notar que, apesar de um selvagem aos olhos dos brancos, eram muito mais evoluidos que estes, exatamente, pelo contato intimo com a nateza e a compreensão da importância desta na teia da vida. O mais interessante ainda é que eles iam além, pregando o Deus Ecumênico e Ecológico, de todos os homens (e até dos possíveis alienígenas do universo), o verdadeiro Deus e não o Deus regional, cultural, segmentado pelos homens na sua tentativa de entender o divino.
    Talvez seja a hora de procurarmos por esse Deus, obviamente, o Deus universal e verdadeiro e não o Deus das religiões tradicionais, dos templos, sinagogas e igrejas. Talvez seja a hora de ensinarmos mais às nossas crianças sobre esse Deus, o Deus Ecológico e Ecumênico, o Deus frontalmente contra fundamentalismos, sectarismos, racismos e outros tantos ismos.

    Curtir

    • Gilson Alves Barbosa permalink
      16/06/2011 17:47

      Certamente o Deus Desconhecido das civilizações antigas, de Lucano e de Nietzche.
      Concordo com você. Urge reencontrarmos o Deus que a todo permea e do qual somos parte.

      Abraços Gilson

      Curtir

  4. 16/06/2011 8:10

    A visão dos princípios que devemos alterar para vivermos em harmonia com a natureza, com nosso planeta Terra, infelizmente me parece bem longínqua da mentalidade egoísta de nossa civilização atual. As sociedades estão cegas de tanto materialismo e consumo inconsequente, é algo enraizado. Acredito que se houver mudança, será drástica, consequência de grandes desastres, promovendo uma transição de valores abrupta na humanidade, e creio que este tempo está prestes a chegar. O homem não mudará sozinho, algo vai força-lo a perceber o que está fazendo.

    @LeonardoFelter

    Curtir

    • 17/06/2011 14:02

      Sou da mesma opinião sua, a de que o ser humano vai mudar mesmo somente depois de um fenomenal desastre ecologico-social. Estimo que não vai demorar muito. É o alerta de muitos cientistas que afirmam com a entrada maciça do metano, liberado nas colotas se derretendo e do parmafrost (solos congelados)especilamente da Sibéria pode ocorrer um “aquecimento abrupto” até 4 graus Celsius, pois o metano é 23 vezes mais agressivo que o dióxido de carbono. Com isso, grande parte da vida conhecida, inclusive a humana poderá desaparecer.

      Bem disse Hegel no final de sua Filosofia da História:”O ser humano aprende da história que não aprende nada da históri. mas aprende tudo do sofrimento”. Talvez seja este o nosso caminho fatal. Embora, acredite com Santo Agostinho, que o ser humano aprende também e, quem sabe, mais do amor.

      Então vamos ter que mudar por sofrimento e por amor à Mãe Terra.

      lboff

      Curtir

      • Alexandre E. S. Visconti permalink
        18/06/2011 8:04

        Caro Leonardo,

        Concordo que isto seja uma possibilidade real, mas não uma fatalidade. Concordo quanto ao aprendizado, pois se não vai pelo amor, vai pela dor; mas, sou professor universitário de Ciências do Meio Ambiente há mais de 25 anos e acompanhei a drástica mudança de mentalidade dos alunos. Comparo também com a minha época de estudante. Certamente, o homem está aprendendo em função do que o planeta responde, mas não sei se dará tempo para contornarmos os problemas, pois que ainda estamos presos a fortes amarras socio-econômicas dos séculos passados. Acredito que agora só a tecnologia poderá nos salvar (talvez a geo engenharia) que deverá ser empregada em função da mudança da mentalidade que se expande em velocidade cada vez maior através dos meios de comunicação, preponderando a internet, que tb foi um grande avanço tecnológico. Por tudo isto, temos que ter esperança e acreditar no homem, que só aprende apanhando, mas acaba aprendendo, individual e coletivamente falando, a evolução da humanidade com um todo.

        Abraço.

        Curtir

  5. 16/06/2011 9:55

    Emocionou-me tal artigo, pois a 9 anos atras tive meu primeiro contato como um livro, e esse livro era Saber Cuidar, dificilmente me importava com leituras, mas em uma desses coincidências do destino, me deparei com o livro… a partir dai percebi q esse era o tema q mais me chamava a atenção, por ser o tema mais escasso na sociedade como um todo, assim fui indo lendo outros livros do sr. e alguns na mesma linha como Capra, q tmb identifiquei muito… assim até hj me dedico a essa questão, as vezes não tão bem compreendido…
    Pra finalizar agradeço de coração ao sr. caro Mestre LB… me ajudoumeuito a se encontrar dentro de mim mesmo, resgatando valores submersos…
    Obs; estou ansioso pra ler esse novo livro…rs… assim q lançar divulga pra gente….
    Um imenso abraço fraterno a Todos…

    Curtir

    • 17/06/2011 14:03

      Obrigado por suas palavras generosas. Às vezes basta uma palavra essencial, como o cuidado, para se abrir uma janela que nos mostra paisagens inusitadas.

      Não saei conhece o meu livro “A águia e a galinha: uma metafora da condição humana” e seu seguimento :”O despertar da águia: o dia-bolico e o sim-bolico na construção da realidade” Ambos são da Editora Vozes.
      Muita gente reforçou sua auto-estima com a leitura destes livros. São livros-síntese de muitos saberes que fui acumulando ao largo da vida. Recomendo-os pois vejo que está numa busca sincera e séria.

      Um abraço e juntos na mesma caminhada

      lboff

      Curtir

      • 17/06/2011 15:43

        Agradeço suas palavras me conforta e da forças pra continuar nessa busca sincera e séria, q por sinal sempre deram pela sequência dos livros citados acima, foram o iniciar da “busca”, mas são sempre uma releitura qndo os pego para folha-los…. sendo assim q nos banhe sempre das sínteses de vossas experiencia… ao meu ver iluminada, pois a opção-Terra/excluídos é a unica opção para os seres de boa-vontade, que querem um mundo melhor, o “Bem Viver”, quero dizer, do resto é só olhar a realidade q estamos inseridos… o sr. é um grande Mestre, q Iluminou meus passos…
        Agradeço noavamente… Abrço fraterno ao sr. e a todos…

        Curtir

  6. Elma Nery permalink
    16/06/2011 14:06

    MONDAY, JULY 14, 2008
    SUSTENTABILIDADE A NEGAÇÃO elma nery
    Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana.
    Propõe-se a ser um meio de configurar a civilização e atividade humanas, de tal forma que a sociedade, os seus membros e as suas economias possam preencher as suas necessidades e expressar o seu maior potencial no presente, e ao mesmo tempo preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais, planejando e agindo de forma a atingir pró-eficiência na manutenção indefinida desses ideais.
    A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro.
    Para um empreendimento humano ser sustentável, tem de ter em vista 4 requisitos básicos. Esse empreendimento tem de ser:
    • ecologicamente correcto;
    • economicamente viável;
    • socialmente justo; e
    • culturalmente aceito.

    Colocando em termos simples, a sustentabilidade é prover o melhor para as pessoas e para o ambiente tanto agora como para um futuro indefinido. Segundo o Relatório de Brundtland (1987), sustentabilidade é: “suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas”. Isso é muito parecido com a filosofia dos nativos dos Estados Unidos, que diziam que os seus líderes deviam sempre considerar os efeitos das suas ações nos seus dependentes após sete gerações futuras.
    O termo original foi “desenvolvimento sustentável,” um termo adaptado pela Agenda 21, programa das Nações Unidas. Algumas pessoas hoje, referem-se ao termo “desenvolvimento sustentável” como um termo amplo pois implica em desenvolvimento continuado, e insistem que ele deve ser reservado somente para as atividades de desenvolvimento. “Sustentabilidade”, então, é hoje em dia usado como um termo amplo para todas as atividades humanas.
    Na economia, crescimento sustentado refere-se a um ciclo de crescimento econômico real do valor da produção (descontada a inflação), sendo portanto relativamente constante e duradouro, assentado em bases consideradas estáveis e seguras.
    A sustentabilidade não existe, pois não conseguimos um equilíbrio ambiental a tal ponto de ele dar sustentabilidade a qualquer coisa.
    A sustentabilidade é extremamente abstrata, quando ela trata do futuro,pois suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas.
    Estamos no ponto do esgotamento ambiental, em tudo está sendo usado a sustentabilidade para mascarar um desenvolvimento insustentável.
    Equivocados os que evocam um desenvolvimento em bases pseudo sustentáveis, quando teremos o impacto zero?
    Quando o equilíbrio homem X meio ambiente X desenvolvimento será conseguido????
    É como se estivéssemos colocando em uma balança o triângulo da vida…o homem com suas necessidades básicas e fúteis o desenvolvimento urgente para satisfazer as necessidades humanas e o meio ambiente desgastado…em proporções mundiais muito grande.
    A balança nunca chegará ao equilíbrio……a sustentabilidade não existe e nunca existirá….
    O sinergismo existente no planeta de todas as agressões ambientais deixa cair por terra a sustentabilidade ela é uma utopia…..
    A palavra foi criada com o intuito de mascarar mega projetos destrutivos em massa…os tais projetos sócio ambientais, não vamos discutir o mérito e sim a causa final…..a falta de critérios técnicos para definir o que é sustentebilidade verdadeiramente.
    Se ela só existe no abstrato….como fazer para que exista????
    O uso da palavra é errôneo…é falso discurso tanto para os políticos, para os programas de governo e pelos ambientalistas….que assumiram a postura da defesa do que não existe.
    Sustentabilidade e ecoeficiência…..deveriamos estar neste enfoque discutindo tudo que age na natureza, contra ela….nas análises fala-se em alguns pequenos, mas muito pequenos elementos da natureza que estão sendo protegidos, analisados, mas a natureza é tudo…ar, água, solo e plantas.
    Em qual projeto se houve falar em proteção do solo, das águas subterrâneas, da somatória destes elementos todos da natureza.
    Como ser sustentável…se tratamos cada elemento individualmente, cada empresa, cada negócio, isoladamente.
    Estamos em um planeta…com seus recursos esgotáveis.não temos políticas com práticas responsáveis…
    O mundo deve ser visto como um todo, não compartimentado, cada município, cada estado, cada país, fazendo parte do todo, para discutirmos o que ode ser sustentável.
    As questões sociais, da fome das grandes tragédias, não fazem parte da sustentabilidade?
    Afinal, sustentabilidade existe?
    Não, ela não existe, nem se consegue ser sustentável, no máximo conseguimos que a balança sempre esteja pendida para um lado, nunca em equilíbrio.

    Curtir

    • 19/06/2011 1:46

      Jamais qlq coisa será “sustentável” enquanto houver o ‘requisito básico’ economicamente viável… esse enquanto desigual, linear e acumulativo, só serve pra poucos e no mundo somos muitos…

      Curtir

  7. 24/06/2011 20:10

    Falar em sociedade democrática, é pressupor que se considere a igualdade entre os pares.
    Ao se mencionar bem estar social se entende, vidas dignas com justiça social, sem que se aceite mártires e permita-se carrascos.
    Precisamos pensar juntos a base para compartilhar nossas vidas e a vida do planeta, com responsabilidade, respeito e amor, respaldados nas política públicas e num ordenamento econômico voltado à vida.

    Curtir

  8. 17/07/2011 13:43

    Vim em busca de ajuda.Sempre me senti solitária neste meu percusso.Sou enfermeira,poetisa e sempre tive meu olhar como instrumento de trabalho,prazer e vida:A arte de Cuidar.Através do meu olhar preveni agravos,protegi filho,amei,expeli rancores e dores,fui feliz,vigiei a morte de muitos,o renascer e o nascer de tantos.Plantei uma árvore em defesa do meio ambiente,que abraço essa bandeira hasteada tão alto que hoje é quase impossível não olhar e ver que nossa terra pede socorro.Só os cegos d’alma é que não querem ver,porque sei que muitos cegos,os verdadeiros deficientes físicos ,estes conseguem ver a grandeza dessa luta.E só há tão pouco tempo,graças a tecnologia e amigos fiquei sabendo de seus escritos,desejos,luta pela vida através do cuidar,melhor, do bem olhar.Escrevo há algum tempo um livro que fala sobre o Olhar do Cuidado,especialmente sobre o olhar enquanto instrumento de trabalho.O Olhar do Enfermeiro.Achava que eu era apenas uma visionária,uma borboleta louca,a varrer a poeira desumana que mata de dor,o globo.Parabéns e obrigada por manter minhas esperanças,voltarei para aprimorar e engrandecer minha jornada e contribuição nesta vida.

    Curtir

  9. felipe permalink
    04/08/2011 12:57

    essas palavra mim ajudo muito

    Curtir

  10. 06/08/2011 13:14

    Obrigado
    Se nós seres humanos perdermos a oportunidade de caminhar ao encontro da Humanidade, ela nos encontrará na sua para morrer, acho que agora só resta um, caminho, é o caminho final. Esta afirmação é dolorida da o Ter. Um Ter que nunca teve nada além da condição de ser Humano.
    Uma coisa é certa, o destino da Humanidade sempre está atrelado, naturalmente, a cada geração de homens, que já foram e na incerteza assim continuará para nós e futuras gerações, quantas mais ainda houverem..
    Geração por geração que existiu, nunca houve para o ser humano interesse em ser Humanidade.
    Humanidade, definida pelo próprio homem é solidariedade, é amor.

    Curtir

Trackbacks

  1. Sustentabilidade e cuidado: um caminho a seguir

Deixe uma resposta para Denise de Souza Pimentel Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: