Pular para o conteúdo

Um Deus anônimo

26/12/2012

Como homem, Jesus é como todos os homens: um trabalhador, carpinteiro como seu pai, José e um camponês mediterrâneo. Nem super-herói nem um especialmente piedoso que chamasse a atenção.

Era um homem de vila, tão pequena, Nazaré, que nunca é citada em todo o Antigo Testamento, talvez com uns 15 casas, não mais. Participou do destino humilhante de seu povo, subjugado pelas forças de ocupação militar romana. Nenhum documento da época falou dele, fora dos evangelhos. Não era conhecido nas rodas nem de Jerusalém e muito menos de Roma.

Como diz ironicamente o poeta Fernando Pessoa, Jesus não tinha biblioteca e não consta que entendesse de contabilidade. Ele é um anônimo no meio da massa do povo de Israel.

O fato de ter sido a encarnação do Filho de Deus não mudou em nada essa humilde situação. Deus quis se revelar nesse tipo de obscuridade e não apesar dela. E precisamos respeitar e aceitar esse caminho escolhido pelo Altíssimo.

A lição a se tirar é cristalina: qualquer situação, por humílima que seja, é suficientemente boa para encontrar Deus e para acolhermos a sua vinda nos labores cotidianos.

Jesus, disse São Paulo, não se envergonhou de ser nosso irmão. E efetivamente é nosso irmão, não só porque quis se revestir de nossa humanidade, mas é nosso irmão, principalmente por ter participado de nossa vida cotidiana, tediosa, sem brilho e renome, a vida dos anônimos.

Disso tudo tiramos essa singela lição: a vida vale a pena ser vivida assim como é – diuturna, monótona como o trabalho do dia-a-dia – e exigente na paciência de conviver com os outros, ouvi-los, compreendê-los, perdoá-los e amá-los assim como são.

Ele ainda é nosso irmão maior, enquanto dentro desta vida de luz e de sombra, viveu tão radicalmente sua humanidade a ponto de trazer Deus para dentro dela, um Deus próximo, companheiro de caminhada, energia escondida que não nos deixa desesperar face aos absurdos do mundo.

Por isso, precisamos, a despeito de tantos pensadores desesperados e céticos reafirmar: o Cristianismo não anuncia a morte de Deus. E, sim, a humanidade, a benevolência, a jovialidade e o amor incondicional de Deus. Um Deus vivo, criança que chora e ri e que nos revela a eterna juventude da vida humana perpassada pela divina.

Leonardo Boff
Semana do Natal, 26/12/2012.

Anúncios
17 Comentários leave one →
  1. Glauson Mendes permalink
    26/12/2012 20:36

    Leonardo Boff,
    você e seus pensamentos são luz para todos nós. Obrigado por ser e nos falar sobre humildade.
    abraços

    Curtir

  2. Eduardo Macedo permalink
    26/12/2012 20:53

    Leio este artigo e lembro de “O Reino de Deus está em Vós”, talvez o maior livro de Tolstoi. Feliz Natal, caríssimo Leonardo Boff.

    Curtir

  3. Frederico Moreira Guimarães permalink
    26/12/2012 21:20

    Parabéns pelo post e muito obrigado por sempre anunciar a humanidade, tão negada por alguns, do nosso Deus.

    Curtir

  4. RomeroMarcius permalink
    26/12/2012 21:39

    Leonardo Boff, não me canso de dizer, o Senhor é demaaaiiis!
    E viva Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor dos Povos e de todas a Nações, ressucitado eternamente. Amém!

    Curtir

  5. Cris Elena Romano permalink
    26/12/2012 21:50

    Mestre, a maior definição deste, que com suas sábias palavras ,nos direciona ao verdadeiro Deus e o define de modo extraordinário.Obrigada Leonardo por sua existência e por podermos acompanhá-lo através de suas mensagens , reflexões que nos remetem a essência do ser e nos impulsiona a sermos melhores . Abraço fraternal, Cris Elena.

    Curtir

  6. Ramon permalink
    26/12/2012 23:09

    Quando vc diz: “de conviver com os outros, ouvi-los, compreendê-los, perdoá-los e amá-los assim como são”, vc quer dizer?: faça isso ou ficará só!

    Curtir

  7. 27/12/2012 2:54

    Um texto muito edificante.feliz ano novo Leonardo e a todos quanto esta mensagem alcançar!

    Curtir

  8. Alexandre E. S. Visconti permalink
    27/12/2012 8:43

    A grandeza de Jesus está em sua humildade e, principalmente, em sua humanidade. Porém, veja bem: Jesus também como Deus, seria o Princípio, o Fim, o Tudo, o Todo, a Síntese, o Ômega, o Incriado, o Inominável, a Suprema Sapiência, a Inteligência e a Suprema Afetividade, o Incomensurável, o Criador de todo Cosmo, de todos os Universos, o Imanente, oTranscendente, enfim, o forçosamente Poderoso Criador do Céu e da Terra. Não teria graça Jesus ter sido o homem que foi sendo também Deus, seria até uma covardia. Por isso, Jesus foi tão magnífico como homem quanto insignificante seria como o verdadeiro Deus. Porém, temos que reconhecer que esta propalada dogmática “consubstanciação de Jesus com Deus” foi necessária para a história do cristianismo e por que não, da própria humanidade.

    Curtir

  9. 27/12/2012 9:50

    O grande desafio da humanidade: aceitar, compreender, viver o outro! …é tão simples e tão complicado…enquanto sou, também estou no outro. A minha luz reflete no outro que reflete em mim. O Deus vive no outro…Boas festas!

    Curtir

  10. Ángeles. permalink
    27/12/2012 12:03

    Querido Leonardo Boff , grazas por publicar seu sentir e seu pensar, permitindo que outros podamos compartir e aprender. Feliz Nadal para vostede e todos os seus seres queridos.

    Curtir

  11. 27/12/2012 12:04

    Parabéns Boff por sua colocação quanto a personalidade de Jesus, nos mostrando as condições humanas em meio à esta falsa espiritualidade que vivemos nos últimos dias.
    Saudações Teles

    Curtir

  12. 27/12/2012 12:47

    É acalentador ouvi-lo falar em Deus, assim …tão perto de nós, tão companheiro, fazendo-nos repensar que devemos ser mais humildes, mais tolerantes com nossos limites.Respeitosamente,Isabel

    Curtir

  13. Lucas permalink
    27/12/2012 12:51

    Boff,
    José homem simples e que como tantos homens simples do nosso Brasil não espera um sinal grandioso, mas no sábio silêncio ensinado pela vida acreditam que a confiança em Deus vai sempre de novo mostrar um caminho melhor…..

    Curtir

  14. Roberto Luccas. permalink
    28/12/2012 0:14

    Não acredito que Jesus homem foi um Jeca tatu.
    Não dá prá fazer tanta teologia no Jeca tatu.
    Esse homem deve ter falado e ensinado tantas coisas……..
    Pensando bem os evangelhos são meia duzia de palavras prá uma vida de uns 38 anos.
    E onde estão estão essas falas e ensinamentos?
    Tudo perdido? Deus passou por aqui e deixou que tudo se perdesse?
    Eu sim como um jeca tatu perto de um homem , melhor um padre ,porque sempre será padre, acredito que até o respirar do Homem de Nazaré não estão perdidos.
    As palavras de Jesus ,eu creio nisso, estão cravadas na Igreja e no coração de todas as pessoas que passam por esse planeta azul
    Concluo , creio nos evangelhos ,mas prefiro a Igreja.” Antes caminhar com a Igreja que caminhar sozinho”

    Feliz ano novo e sempre amado frei Leonardo.

    Curtir

  15. Joelson Gabriel permalink
    28/12/2012 9:27

    Graças a Ele você escreve em português. Feliz 2013 para vc!

    Curtir

  16. janete_design@hotmail.com permalink
    30/12/2012 13:32

    ” JESUS CRISTO e o fIlho de DEUS SE FEZ HOMEM DE CARNE E OSSO ! VIVEU E MORREU !!! MAS…RESSUSCITOU 3 DIA !!RESSUSCITOU
    E VIVO ESTA !!!!! PARA SEMPRE ! AQUELE QUE NAO CRER NISSO ESTA PERDIDO JESUS CRISTO E O UNICO CAMINHO NINGUEM CHEGARA A DEUS SE NAO FOR POR ELE !!!! JESUS CRISTO ”

    Curtir

    • Alexandre E. S. Visconti permalink
      31/12/2012 7:15

      Então, dois terços da humanidade,a priori, está irremediavelmente perdida e você é uma privilegiada por Deus ter lhe permitido nascer de graça do lado cristão, parabéns.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: