Skip to content

Os aviões não pilotados: a violacão mais covarde dos direitos humanos

15/12/2013

Vivemos num mundo no qual os direitos humanos são  violados, praticamente em todos os níveis, familiar, local, nacional e planetário. O Relatório Anual da Anistia Internacional de 2013 com referência a 2012 cobrindo 159 países faz exatamente esta dolorosa constatação. Ao invés de avançarmos no respeito à dignidade humana e aos direitos das pessoas, dos povos e dos ecossistemas estamos regredindo a níveis de barbárie. As violações não conhececem fronteiras e as formas desta agressão se sofisticam cada vez mais.

 

A forma mais convarde é  a ação dos “drones”, aviões não pilotados que a partir de alguma base do Texas, dirigidos por um jovem militar diante de uma telinha de televisão, como se estivesse jogando, consegue identificar um  grupo de afegãos  celebrando um casamento e dentro do qual, presumivelmente deverá haver algum guerrilheiro da Al Qaeda. Basta esta suposição para com um pequeno clique lançar uma bomba que aniquila  todo o grupo, com muitas mães e crianças inocentes.

 

É a forma perversa da guerra preventiva, inaugurada por Bush e criminosamente levada avante pelo Presidente Obama que não cumpriu as promessas de campanha com referência aos direitos humanos, seja ao fechamento de Guantânamo, seja à supressão do “Ato Patriótico”(antipatriótico) pelo qual qualquer pessoa dentro dos USA pode ser detida por suspeita de terrorismo, sem necessidade de avisar a família. Isso significa sequestro ilegal que nós na América Latina conhecemos de sobejo. Verifica-se em termos econômicos e também de direitos humanos uma verdadeira latinoamericanização dos USA no estilo dos nossos piores momentos da época  de chumbo das ditaduras militares. Hoje, consoante o Relatório da Anistia Internacional, o país que mais viola direitos de pessoas e de povos são os Estados Unidos.

 

Com a maior indiferença, qual imperador romano absoluto, Obama nega-se a dar qualquer justificativa suficiente sobre a espionagem mundial que seu Governo faz a pretexto da segurança nacional, cobrindo áreas que vão de trocas de e-mails amorosos entre dois apaixonados até dos negócios sigilosos e bilionários da Petrobrás, violando o direito à privacidade das pessoas e à soberania de todo um país. A segurança anula a validade dos direitos irrenunciáveis.

 

O Continente que mais violações sofre, é a África. É o Continente esquecido e vandalizado. Terras são compradas (land grabbing) por grandes coroporações e pela China para nelas produzirem alimentos para suas populações. É uma neocolonização mais perversa que a anterior.

 

Os milhares e milhares de refugiados e imigrantes por razões de fome e de erosão de suas terras são os mais vulneráveis. Constituem uma sub-classe de pessoas, rejeitadas por quase todos os países, “numa globalização da insensibilidade” como a chamou o Papa Francisco. Dramática, diz o Relatório da Anistia Internacional, é a situação das mulheres. Constituem mais da metade da humanidade, muitísssimas delas sujeitas a violências de todo tipo e em várias partes da Africa e da Ásia ainda obrigadas à mutilação genital.

 

A situação de nosso pais é preocupante dado o nível de violência que campeia em todas as partes. Diria, não há violência: estamos montados sobre estruturas de violência sistêmica que pesa sobre mais da metade da população afrodescendente, sobre os indígenas que lutam por preservar suas terras contra a voracidade impune do agronegócio, sobre os pobres em geral e  sobre os LGBT, discriminados e até mortos. Porque nunca fizemos uma reforma agrária, nem política, nem tributária assistimos nossas cidades se cercarem de centenas e centenas de “comunidades pobres”(favelas) onde os direitos à saúde, educação, à infra-estrutura e à segurança são deficitariamente garantidos. A desigualdade, outro nome para a injustiça social, provoca as principais violações.

 

O fundamento último do cultivo dos direitos humanos reside na dignidade de cada pessoa humana e no respeito que lhe é devido. Dignidade significa que ela é  portadora de espírito e de liberdade que lhe permite moldar sua própria vida. O respeito é o reconhecimento de que cada ser humano possui um valor intrínseco, é um fim em si mesmo e jamais meio para qualquer outra coisa. Diante de cada ser humano, por anônimo que seja, todo poder encontra o seu limite, também o Estado.

 

O fato é  que vivemos num tipo de sociedade mundial que colocou a economia como seu eixo estruturador. A razão é só utilitarista e tudo, até a pessoa humana, como o denuncia o Papa Francisco é feita “um bem de consumo que uma vez usado pode ser jogado fora”. Numa sociedade assim não há lugar para direitos, apenas para interesses. Até o direito sagrado à comida e à bebida só é garantido para quem puder pagar. Caso contrário, estará ao pé da mesa, junto aos cães esperando alguma migalha que caia da mesa farta dos epulões.

 

Neste sistema econômico, político e comercial se assentam as causas principais, não exclusivas, que levam permanentemente à violação da dignidade humana. O sistema vigente não ama as pessoas, apenas sua capacidade de produzir e de consumir. De resto, são apenas resto, óleo gasto na produção.

 

A tarefa além de humanitária e ética é principalmente política: como  transformar este tipo de sociedade malvada numa sociedade onde os humanos possam se tratar humanamente e gozar de direitos básicos. Caso contrário a violência é a norma e a civilização se degrada em barbárie.

 

34 Comentários leave one →
  1. 15/12/2013 9:09

    ” Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo o desígnio do seu coração”(Genesis 6:5).

    Encerrando este trecho a Bíblia nos diz que apesar da maldade um homem que:1. Noé achou graça diante do Senhor, 2. que era homem justo e íntegro, 3.que andava com Deus.

    Entendo, que a maldade do homem pode ser mudada para uma atitude de amor, se o homem andar com Deus, e é aqui que entra o evangelho redentor de Jesus e do nosso compromisso com Ele.

  2. 15/12/2013 9:15

    Esta deveria ser uma das questões nas escolas. O tema ética é igual a religião: se fala, se discute e até se faz elogios a esta, mas não passam de debates que não saem dali. O valor humano se avalia por aquilo que ela é ou tem (para quem as leis se aplicam ou não). Este tipo de comportamento se aplica até na religião, onde a lei de igualdade deveria ser aplicável, porém, ainda vale mais, aquele que tem mais. O valor econômico dita o valor de um homem.

    • 20/12/2013 10:40

      Paulo bom dia!
      Há na instituição escolar um conflito permanente de correntes de pensamento.
      De um lado estão os que desejam que a educação tenha um caráter formativo, onde o homem seja respeitado em sua diversidade, aí pensemos em nomes como Paulo Freire um ícone da educação brasileira.
      Por outro lado há uma crescente tendência em colocar a escola a serviço do sistema capitalista.
      Este propósito vem recheado de boas intenções e traz nomes complexos:competências, habilidades e vem através de instituições autorizadas no cenário mundial, pois além dos sistemas de aferição nacional, há os mecanismos internacionais…
      A escola está sob uma pressão que torna-se cada dia mais complexo, formar cidadãos competentes e menos infelizes e neuróticos…
      A máquina seletiva tornou-se uma ordem em nosso tempo…e nascer deve rimar com vencer obstáculos de forma intermitente…
      O tema ética deve estar de tal forma impregnado em nossa prática na escola, apesar de um sistema tão desumano.
      Aí temos filhos e entramos nesta roda viva…ou corremos atrás, ensinamos nossos alunos e filhos a correr juntos…ou sucumbiremos…enfim você conclui brilhantemente:
      “O valor econômico dita o valor de um homem”.

      • 26/01/2014 8:11

        isso, é preciso mudar todo o sistema de educação, a começar pelo ensinamentos de diversas matérias … as quais na maioria da s vezes o que é ensinado é mentira ie. portugues descobriu o brasil … a verdadeira história da igreja corrupta etc…

  3. 15/12/2013 9:31

    Precisa falar mais alguma coisa? acho que não mestre Leonardo. Parabéns, antes de tudo, pela coragem de postar isso na mídia.

  4. Margarida Braga permalink
    15/12/2013 9:55

    Caro Leonardo…
    Sua voz ainda que forte é abafada pelo sistema.
    Não tenho esperança que a humanidade ainda se sente em torno da causa maior que é a própria vida.
    Somos massacrados por um modelo de seletividade desumana desde o momento em que chegamos neste mundo.
    Os discursos ganham palavras bonitas e as datas enchem de luzes e flashes o mundo, numa forma de cegar o homem e miná-lo em sua intelectualidade para perceber o caminho escuro que estamos trilhando…
    Ironicamente como no Dia Internacional da Mulher…comemora-se exatamente o quê?
    A mutilação de mulheres…que ocorre a revelia de nossa vontade, mas autorizada pelo nosso descaso?…
    Estamos atados pelas correntes de quem pode mais…
    E tudo gira em torno disto:
    A vida está para o sistema assim como o sistema está para o sistema…
    As escolas…precisam desesperadamente fabricar números para fazer bonito nos sistemas de aferição externa…com uma ferocidade onde se massacra o processo de inclusão verdadeira…sou pedagoga…
    Aí olho os pequenos:hiperatividade, dislexia, e tantas outras dificuldades e síndromes comuns ao ser humano produto do mundo moderno…pois há de se perguntar:
    -Como crianças produtos desta pressão podem ser tranquilas e felizes..?
    -Não podem…já nascem com uma inquietação latente, uma angustia crescente que deságua no momento da socialização escolar…
    Onde haverá espaço para eles neste contexto competitivo e excludente…o que cabe a mim como educadora que deseja promovê-lo e um sistema que meramente classifica… ?
    Não há lacuna, para o verdadeiramente humano, há espaços usados hipocritamente, transvestidos de roupagem de falsa inclusão…
    A classificação do homem é algo natural mesmo antes da concepção.
    Fui ao ultrassom com minha filha e o médico disse:
    Seu bebê recebe a nota oito…
    Aí fiquei pensando e indaguei a ela.
    -E se seu bebê não fosse aprovado, o que você faria?
    A vida…dom de Deus…está nas mãos do homem em seu estado mais lastimável de compreensão de seus propósitos na terra.

    • 26/01/2014 8:08

      Keshav Goswami tb diz isso:

      Eles desvirtuam Deus da sua potência com suas imaginações ilusórias negando Sua onipotência e eternidade, nome, forma, qualidades e passatempos. Assim como uma aparição fantasmagórica deixa sua existência em um claro dia de sol, o demoníaco também deixa de existir quando a luz do conhecimento sobre Deus aparece. Justo como um vampiro sabe que seu poder depende da escuridão, as pessoas demoníacas estão sempre cuidadosas em manter as pessoas na escuridão da ignorância para então firmemente controlar a opinião pública através da mídia, monitorando bem de perto todos os movimentos contrários representados pelos conceitos divinos e os mantendo o mais nebuloso possível.
      Com esta estratégia, o verdadeiro conhecimento do Supremo Deus, apesar de estar disponível neste mundo para aquele que realmente o procura, é mantido bem longe da consciência diária real do povo e como em um sonho estes demônios as confortam como efêmeras visões de um glorioso futuro para apaziguar as pessoas em seus naturais desejos de se relacionar com Deus. Assim, o povo é enganado e as massas são categoricamente deprivadas da sua posição constitucional e do seu direito pessoal de saber que são partes e parcelas de Deus.”

  5. Mathias Mentzing permalink
    15/12/2013 10:09

    Exatamente, triste realidade! Quanta Fé, esperança e paciencia, amor, tolerancia precisamos ter para superar esses desafios, essas crises, o antagonismo do ser humano? Não podemos perder o otimismo mesmo sendo criticos… A força tem que vir da Fé….

  6. 15/12/2013 10:25

    Caríssimo Boff,você sempre põe em palavras aquilo que sinto no coração. Obrigada! Neste artigo, só vejo uma solução: conscientizar as pessoas a mudarem a si mesmas. Já que não podemos mudar o mundo diretamente, vamos mudá-lo mudando a nós mesmos.

  7. 15/12/2013 10:39

    … Mas é natal…precisamos nos agarrar a esta esperança de renovação, pelo menos neste breve tempo de falsa felicidade terrena…ou sucumbiremos sob as mazelas da dor espiritual e moral, sob o nome de depressão e teremos que viver sob o efeito de tranquilizantes…e psiquiatras…que não estão autorizados a desautorizar o sistema, resta-lhes pois anestesiar a humanidade…

  8. 15/12/2013 12:20

    Somos conscientes de tudo que é publicado? Por que as religiões contribuem para esta violência?

  9. alan permalink
    15/12/2013 13:33

    Queria ler neste espaço um artigo de Boff sobre as atrocidades do governo cubano no que diz respeito aos direitos humanos.

  10. 15/12/2013 14:09

    Reblogueó esto en PASO A LA UTOPÍA.

  11. Ada Maria Bonomini permalink
    15/12/2013 14:21

    Um grande e belo desabafo desse Homem que foi impedido de falar,a muito tempo atrás…agora vem com tudo.

  12. 15/12/2013 17:02

    Caro Leonardo, realmente essa realidade é terrível! A minha tese de doutorado é sobre tecnologias de vigilância e sociedade de segurança. Faço um estudo de ética teológica sobre a tensão entre segurança social e autonomia do indivíduo. Tenho estudado essa realidade e espero , em breve, começar uma reflexão sobre esses novos problemas. Que eu conheça não existe uma legislação que enquadre os ‘drones’, mas penso que começam a se tornar uma questão seríssima e que deve ser regulamentada!

  13. Enedina Pierdoná permalink
    15/12/2013 17:13

    Sua reflexão me traz sempre preocupação com o futura da humanidade. Grandes podtencias vão engolindo as menores e estas vão desaparecendo. Sempre acomapnho assuntos desse porte, porque também faço parte dessa humanidade

  14. Anita permalink
    15/12/2013 17:29

    Meu Deus, onde vamos parar? Estive em uma palestra em que o palestrante acredita que essa barbárie que atravessamos será o princípio para arrumarmos a casa. Será????

  15. Manoel Mendonça permalink
    15/12/2013 19:14

    Se levantar a cabeça e ampliar o seu horizonte, verá que sempre foi assim. Sempre existiu e existirá uma nação que predomina sobre as outras, inclusive com homens como o senhor mesmo dizendo que tudo está errado. E a covardia não está no modo como se mata e sim no fato de matar.

  16. Fernando Vasconcelos permalink
    15/12/2013 20:05

    Talvez, matando um aqui, outro acolá, consigam evitar um novo ataque a solo americano. Talvez! No ultimo, foram mortos, se não estou enganado, umas 4000 pessoas, maioria de civis. Portanto há forte controvérsia sobre o que foi postado no seu blog.

    • 17/12/2013 13:02

      Fernando
      A vida não pode estar sob o signo da controvérsia. Ela deve ser sempre protegida e não morta sem mais nem menos em nome de uma segurança neurótica que vê em qualquer um um pouco diferente um potencial terrorista.
      lboff

  17. José Roberto Demmer permalink
    16/12/2013 7:59

    Quando leio artigos do nosso guru, Leonardo Boff, onde o conheci pessoalmente, em Blumenau, no início dos anos 80, fico cada vez mais apreensivo com as suas preocupações quanto ao futuro da humanidade. Realmente, essa globalização mostra um avanço cada vez maior de poucos poderosos. A grande massa, está cada vez mais confinada e mau tratada nas periferias dos grandes centros. Estão destruído as reservas naturais do planeta, em nome e em defesa do crescimento Econômico. As pessoas são instruídas para o consumo exagerados de coisas fúteis sem sentido nenhum, sem atender a qualidade necessárias daquilo que é fundamental para a sobrevivência do ser. Lamentável, Leonardo, que aquilo que é vossa preocupação, não chega aos ouvidos e consciência dos governantes.

  18. 16/12/2013 13:25

    O ser humana em primeiro lugar atrelado a natureza que é parte de nós, o lucro posterior a pessoa humana. Morrendo a natureza, morre o homem e finda a vida.

  19. Cícero Trindade permalink
    16/12/2013 13:33

    Ótimo texto professor, em relação aos drones eu já havia me referido a eles em meu perfil no G+, onde observei q os EUA com esses equipamentos julgam, condenam e executam mundo afora desrespeitando países, acordos, convenções e etc…e não dá nada para eles.

  20. 16/12/2013 14:00

    Republicou isso em reblogador.

  21. 16/12/2013 16:02

    Contraditório em alguns trechos, meu caro. Vou esclarecer.

    Você diz: “O respeito é o reconhecimento de que cada ser humano possui um valor intrínseco, é um fim em si mesmo e jamais meio para qualquer outra coisa.”

    Concordo com essa afirmação. Somo um fim em nós mesmo e nunca podemos servir de meio para o interesse de outras pessoas. Ayn Rand já dizia isso.

    Porém, no paragrafo seguinte você diz:

    “Até o direito sagrado à comida e à bebida só é garantido para quem puder pagar. Caso contrário, estará ao pé da mesa, junto aos cães esperando alguma migalha que caia da mesa farta dos epulões.”

    Oras, a partir do momento que alguém tem o “direito” de água ou a comida (que na verdade não são direitos e sim bens) algum cidadão deve servir de meio, algum cidadão deve ser forçado a trabalhar para fornecer esse “direito”.

    Para que o alimento seja “garantido” para outras pessoas existem dois caminhos:
    O caminho moral, onde um trabalhador vende seu produto a outros homens produtivos.

    Ou o caminho imoral, que são chamados de direito garantido pelo constituição brasileira, onde um trabalhador é violentado e forçado a entregar seu trabalho produtivo a pessoas improdutivas e consequentemente imorais, para garantir o “direito” destes.

    • 17/12/2013 12:56

      Vagner,
      as contradições estão na sua cabeça não no meu texto. Um trabalhador não é meio, é uma pessoa produtiva, não é um escravo.
      lboff

  22. 16/12/2013 17:51

    Pois é, bastaria um mínimo de informação para que muita gente começasse a ver quem são os verdadeiros terroristas.

  23. Alberto Gomes Cardoso permalink
    18/12/2013 22:06

    É incrivel, nós como sociedade aceitamos e ainda vamos continuar elegendo seres corruptos para nos governar; mas onde estão os cristãos, onde estão os seguidores de Alá, de krishina; onde estão os que creem, quando ando de bike aos domingos vejos os templos em geral lotatos; ao mesmo tempo sei que os índios estão sendo desimados, a miséria é imença; os rios, mijamos cagamos e jogamos nossos lixos Porque as pessoas do “bem” não conseguem se unir em prol de uma vida melhor, não temos coragem de assumir que tá uma merda; é esperamos o salvador, estamos indo para o céu ao nirvana e quem sabe a iluminação; É quem somos nós humanos? União, mas para isto acontecer precisa da confiança e hoje confiar é algo complexo mas como é belo poder confiar pois aí seremos amigos, e um dará a mão ao outro, mas atualmente parece que o mais facil e jogar no lixo o ser humano por isso elegeremos como sociedade no ano da copa seres corruptos para guiar nossas vidas, e resaremos para os deuses para nos salvar.

    • 26/01/2014 8:06

      concordo, precisamos de união para mudar algo .. todos os líderes religiosos juntos …

  24. Kal Angelus permalink
    04/01/2014 13:44

    Entre concordância e questionamento, só lamento que a “barbárie” humana – atemporal e hereditária – tem, como corroboração em um de seus pilares, instituições sustentadas por uma fé cega num “Deus” raivoso que, através de interesses humanos – sustentados na compilação daquilo que se declarou sagrado (A Bíblia, por exemplo…) -, segrega e “queima” (Hoje, de maneira mais light) os que não se coadunam dentro das condutas de basílicas e redes midiáticas de novas igrejas ” neopetencostais. Ou alguém não sabe de onde veio a inspiração divina das Cruzadas, o aniquilamento dos Anabatistas, Cátaros, Bogomilos… E outras “Barbáries”mais? (O motivo é bem conhecido e perdura nas novas formas de alienamento através do ópio de todos os tempos: Religiões agregadas a Igrejas ensandecidas por poderes políticos e econômicos!!!!!) E como acreditam os Filhos de Deus que Este mata a quem reclama e blasfema (Números 16: 49, Levitico 24:10-23), é melhor eu parar por aqui; afinal, não acredito num “deus” que não sabe pele menos: Dançar!!!!!! O que me acorda toda manhã (e a muitos) é pé de valsa e ensina que o pecado habita no excesso e que a Bíblia Sagrada (fechada) deveria ser colocada na entrada de cada casa (sem postigo) com um único ensinamento sobre a capa: AME! (Quem se for , verá – Kal Angelus)

  25. 26/01/2014 8:00

    vemos por algumas declarações aqui feitas, como é caótica a situação da desinformação popular e seus entedimentos sobre os diversos assuntos aqui tratados …. Leonardo bem disse sobre a injustiça que é feita hoje a nível de barbárie, o que os Vedas tb aprovam dharmnea hina pasubhih samana ” Uma sociedade sem precetos religiosos, é uma sociedade de animais’ .. podemos relatar tb os gazes químicos e cancerigenos que estão sendo desejados em nossos solos e acima de nossas cabeças … arsenic, barium e mercúrio são um dos seus componentes .. em fim é um mundo de bárbaros, onde os demoniacos estão no ‘poder’ como diz a Bíblia … é nosso dever combate-los com igual força …

  26. 02/04/2014 0:08

    INCONSCIÊNCIA HUMANA

    Neste mundo onde crianças perecem: doenças,
    fome, maus tratos; onde mulheres não só apanham,
    mas também morrem maltratadas por seus parceiros,
    deveríamos questionar tanto o ideal quanto a lógica familiar.

    Nem o racismo, nem as religiões, nem o capitalismo
    somam nossos males maiores, mas – as famílias – sim!
    Formaram e formam as grandes guerras, as pequenas batalhas,
    a maioria das atrocidades e o excesso populacional.

    O egoísmo familiar gera ‘baleias’ sem condições
    de sobreviverem; veem-se forçadas à atitudes antissociais,
    até criminosas, para justificarem o existir no compra-compra .
    Sem lógica no caos estabelecido ou na ordem do caos …

    A instituição familiar inviabiliza um equilíbrio
    frente ao individualismo covarde mundial,
    aos sacrifícios e às barbáries favoráveis para a prole.
    Justificadas vidas, perpetuando-as ao parir filhos e mais filhos…

    Casais versus: a superpopulação, o caos socioambiental,
    a crescente criminalidade, mesclados à miséria e à insatisfação.
    As conveniências ditam as regras do ser contra o outro…
    Ah, os eternos embates por descendentes: sublimação !

    Patologia mais mistério no bojo do individualismo.
    Generalizada e animalesca mostra-se a criminalidade;
    a maioria permanece desamparadamente insegura, aumentando
    maldades e neuroses. O próprio sobreviver incorpora a vitória!

    A instituição familiar deveria alicerçar o “mundo justo”.
    Contudo, pares insatisfeitos têm filhos por vinganças,
    por desespero, por sonho inconsequente e assim caminham..
    Ainda chamam-na de “sagrada família”…

    VIDA ILÓGICA

    Sondo o espelho Vejo-me!
    Observo demais seres por todos os sentires …
    Existem – sim – por incrível que pareça.
    “Penso, logo existo.” […] “Sei que nada sei.”

    Existir sem saber o por quê, o por quem,
    o até quando. Tudo é mistério, ilógico.
    As contradições gritam, gritam nada saber.
    Ações se tornam refúgios de nosso nada …

    Agimos como animais desesperados, perdidos.
    Tentamos encontrar freios ao sofrimento
    para atingir o plausível. No entanto, raciocinamos
    ilogicamente, adotando atitudes indignas…

    Nascer, sofrer e morrer. Que vida, hem?
    Lutas infindáveis com tamanha penúria universal…
    Os milênios desmerecem qualquer comemoração.
    Socialmente, continuamos na pré-história. Misticismo!

    Nós

    Molhada, assustada, veio chegando…
    Uma tempestade acontecia no litoral.
    Ondas batendo, lambendo o costado rochoso;
    raios eletrizantes, cortando os céus !

    Olhar hipnótico e empático, sem preliminares.
    Pompoarismo tântrico: surpreendemo-nos !
    Cara a cara, horas a fio, dias e noites.
    Sentia seus instintos, sua lascívia …

    Um só um, um só corpo, um só desejo.
    Desejos. Você e eu, carne na carne.
    Via sua alegria extasiante pelo olhar imóvel;
    tocava sua pele, sentindo-me levitar no jogo !

    Acontecia o abraçar, o encaixar, o devanear.
    Adentrava seus delírios, seus pensamentos.
    Desvanecimento entre lábios com mergulho
    na essência; vez por mim, vez por você.

    Animais brincando: fusão dos corpos nas sedas.
    Amor! Tocava cada parte de seu corpo!
    A ponta da língua, nos mapas prazerosos,
    rastreava sabores nos formatos.

    A entrega silenciosa, vagarosa… Simbiose.
    Contraía-se em mim. Ah, prazer nos veios
    quentes, úmidos, lascivos, mágicos!
    Sua insaciabilidade, sua vontade de satisfazer-me…

    Nos amamos no zênite, sonhando com o infinito.
    Atingimos o encanto indizível da felicidade,
    deixando colorido o significado da vida…
    Por fim, perdidos abraçados.

Trackbacks

  1. Os aviões não pilotados: a violac...
  2. Os aviões não pilotados: a violacão mais covarde dos direitos humanos | EVS NOTÍCIAS.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: