Skip to content

Para uma definição do terrorismo

14/02/2014

   As manifestações massivas de junho/julho de 2013, em grande parte pacíficas e as outras havidas neste ano de 2014 que mostraram a atuação violenta dos black blocs que, mascarados, quebram agências de bancos, vitrines de lojas e depredam edifícios públicos, atacam violentamente policiais, culminando com a morte do cinegrafista Santiago Andrade, suscitaram o tema do terrorismo.

 

       É importante que se entenda que o terrorismo não é um fenômeno da guerra, mas da política. O terrorismo irrompe no seio de grupos insatisfeitos com os rumos da política do país ou da economia e que já não acreditam nas instituições, nem no diálogo e muito menos em mudanças sociais significativas. Pode até ocorrer que se opõem de tal maneira ao sistema mundial e nacional vigente, o capitalismo neoliberal, que investem contra seus símbolos, danificando-os. Ilusoriamente pensam que destruindo-os atingem o coração do sistema. Esse não se muda pela violência puntual mas por um processo histórico-político, por mais prolongado que seja. Tais grupos vem carregados de ressentimento, de amargura e de raiva. Dão vasão  a este estado de ânimo através de ações destrutivas.

 

Paradigmático foi o atentado terrorista de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos. Num lapso de uma hora, os símbolos maiores da ordem capitalista no nível econômico as duas Torres Gêmeas em Nova Iorque, no nível militar o Pentágono e no nivel político a Casa Branca (o avião destinado a ela foi derrubado antes) foram diretamente golpeados.

 

A partir de então se instalou o medo em todo o país. E o medo produz fantasmas que desestabilizam as pessoas e a ordem vigente. Assim, por exemplo, um  árabe, em Nova York,  pede uma informação a um policial e este o prende, imaginando ser um terrorista. Depois se verifica ser um simples cidadão inocente. Com frequência o Governo norte-americano,  especialmente, sob o Presidente Bush, assustava a nação inteira, anunciando a iminência de atentados. Embora não tenham acontecido até agora, acabam alimentando a paranóia generalizada.             

 

Esta femenologia mostra a singularidade do terrorismo: a ocupação das mentes. Nas guerras e nas guerrilhas como na Colômbia precisa-se ocupar o espaço físico para efetivamente se impôr. Assim foi no Afeganistão e no Iraque.  No terror não. Basta ocupar as mentes e ativar o imaginário através da ameaça de novos atentados e do medo que então se internaliza nas pessoas e nas instituições.

 

 Os norte-americanos ocuparam fisicamente o Afeganistão dos talibãs e o Iraque de Saddan Hussein. Mas a Alqaeda que perpetrou os atentados, ocupou psicologicamente as mentes dos norte-americanos. Fizeram dos EUA uma nação refém do medo, do Governo ao simples cidadão.

 

A profecia do autor intelectual dos atentados de 11 de setembro, o então ainda vivo Osama Bin Laden, feita no dia  8 de outubro de 2001, infelizmente, se realizou: “Os EUA nunca mais terão segurança, nunca mais terão paz”. Ocupar as mentes das pessoas, mantê-las desestabilizadas emocionalmente, obrigá-las a desconfiar de qualquer gestou ou de pessoas estranhas, eis o que o terrorismo almeja e nisso reside sua essência.

 

       Para alcançar seu objetivo de dominação das mentes, o terrorismo segue a seguinte estratégia:

 

       (1) os atos têm de ser  espetaculares, caso contrário, não causam comoção generalizada;

 

(2) os atos, apesar de odiados, devem provocar admiração pela sagacidade empregada;

 

(3) os atos devem sugerir que foram minuciosamente preparados;

 

(4) os atos devem ser imprevistos para darem a impressão de serem incontroláveis;

 

(5) os atos devem ficar no anonimato dos autores (usar máscaras) porque quanto mais suspeitos, maior o medo;

 

(6) os atos devem provocar permanente medo;

 

(7) os atos devem distorcer a percepção da realidade: qualquer coisa diferente pode configurar o terror. Basta ver alguém das comunidades pobres da periferia, ou os rolezinhos entrando nos shoppings e já se projeta a imagem de um assaltante potencial.

 

       Formalizemos uma compreensão suscinta do terrorismo: é toda  violência espetacular, praticada com o propósito de ocupar as mentes com  medo e pavor.

 

O importante não é a violência em si,  mas seu caráter espetacular, capaz de dominar as mentes de todos.

 

       Um dos efeitos mais lamentáveis do terrorismo foi ter suscitado o Estado terrorista como os EUA. Criou-se uma legislação que fere os direitos humanos, impõe vigilância sobre toda a população, criou o organismo de segurança nacional com altas verbas para sua implantação em todo o pais, projetou a “guerra infinita” contra o terrorismo em qualquer parte do mundo com a ameaça de utilização de qualquer tipo de arma, não excluidas as armas nucleares. E organizou uma rede de espionagem eletrônica global que tudo e a todos controla.

 

       Está em debate no Ministério da Justiça, nos órgãos de segurança do Estado e no Parlamento  uma legislação visando tipificar os atos destrutivos dos black bocs de terrorismo. Sem dúvida, os atos obedecem à lógica terrorista mas não significa ainda um terrorismo articulado e organizado. Há o risco, já advertido pelo Ministro da Justiça Eduardo Cardoso, de não instaurarmos o medo na sociedade que acaba inibindo as manifestações populares, legítimas no regime democrático. O próprio povo com medo acaba se retraindo e terá dificuldade em apoiar estas manifestações legítimas.

 

Mais importante em saber quem cometeu e comete atos de terrorismo é saber o porquê se recorre a ele. Ai a importância do acompanhamento dos órgãos de informação, do diálogo aberto com todos os estratos da sociedade, especialmente, com aqueles mais penalizados pelo tipo de sociedade que temos, altamente desigual e discriminatória. Difundir mais e mais a educação e infundir confiança, amor às pessoas e cuidado de uns para com os outros como o disse, exemplarmente, a esposa do cinegrafista Sebastião Andrade  e o enfatizou recentemente a ministra Maria do Rosário da Secretaria Nacional de Direitos Humanos num encontro na OAB do Rio a propósito da Comisão da Verdade.

 

São caminhos de outro tipo de estratégia política, certamente mais eficazes que a pura e simples repressão policial que ataca os efeitos mas não atinge o coração do problema deste terrorismo ainda inicial.

 

Veja do autor, Fundamentalismo, terrorismo, religião e paz,  Vozes,  Petrópolis 2009.

 

 

43 Comentários leave one →
  1. 14/02/2014 23:28

    Republicou isso em Econo Marx 21.

  2. 14/02/2014 23:28

    Prezado Leonardo Boff,
    Parece-me que uma “legislação visando tipificar os atos destrutivos” como sendo terrorismo, é tudo o que a direita quer, para manter as instituições intocáveis e o poder nas mãos da elite. Não que sejamos favoráveis a atos destrutivos, é óbvio, mas bastaria uma firmeza maior das autoridades competentes, coibindo a baderna em manifestações, para que o fenômeno Black Bloc fosse superado. Compareceu à manifestação e está mascarado? Vamos lá se identificar na delegacia! Compareceu de novo à manifestação e está novamente mascarado? Vamos lá na delegacia se identificar outra vez. E pronto! Ou não?

    • Michel permalink
      18/02/2014 5:16

      Acho incrível ver a quantidade de esquerdistas pedindo por mais repressão. Não aprenderam nada com a ditadura? Lindo ver petistas, a filha do torturador direitista do RS e a revista veja repetindo o mesmo discurso de criminalização das máscaras. Existem inúmeros motivos para que alguém proteja sua identidade em manifestações, perseguição pela polícia, por skinheads, despersonalização e negação de lideranças. Nem todo cobrem o rosto em protestos há muito tempo e a maioria não participa de black block. Vamos proibir o anarquismo também? Aposto que é isso que alguns querem, e depois reclamam dos reaças que querem criminalizar o comunismo. Falam de Black block como se fosse algo que surgiu em junho passado, justamente porque antes de a mídia dar importância nem sabiam q isso existe há mais de 10 anos. Não concordo com a tática, acho um risco que não vale à pena e vejo vários pontos a serem criticados no black block, mas essa demonização maniqueísta carregada de desinformação e teorias da conspiração beira o ridículo. Todo petista está careca de ver um monte de notícia manipulada acusando o PT de inúmeras coisas a ponto de saber distinguir uma notícia manipulada como ninguém, mas a maioria prefere ignorar tudo que aprendeu quando o alvo não é o PT, mas sim pessoas que não apoiam o partido. Chamaram de autoritários aqueles que queriam proibir bandeiras de partidos em manifestações (concordo isso é autoritário mesmo) mas proibir máscaras e pedir mais repressão para mascarados tudo bem. É nessa hora que a máscara cai e vemos que o poder faz ao partido que se diz dos trabalhadores. Parece até a revolução dos bichos. Com uma esquerda assim, quem precisa de direita?

      • RomeroMarcius permalink
        19/02/2014 16:33

        O problema que vejo nas máscaras em manifestações é que não falta quem se esconda atrás delas para badernar (praticando vandalismo)! Para mim, manifestação é uma coisa e baderna é outra. Sou radicalmente contra leis mais duras para punir, pois uma “legislação visando tipificar os atos destrutivos” como sendo terrorismo, é tudo o que a direita quer, para manter as instituições intocáveis e o poder nas mãos da elite. Mas sou completamente favorável à identificação sistemática e repetitiva de todos os mascarados nas manifestações, a ser realizada pelas Forças de Segurança. Afinal de contas não se tem notícia de que os maiores questionadores e revolucionários de todos os tempos, tenham usado máscaras, mas sim, mostraram ” a cara”, e, a que vieram!

  3. 14/02/2014 23:35

    Se a reforma política não acontecer e começar pelo legislativo com um sistema mais homogêneo de representação busque praticar o que está proposto em CF, seria o caso de um sistema distrital puro e sem manipulações, os próximos símbolos a serem atacados, serão esse… não os foram por acreditar ainda na democracia.. e não ditadura ou fascismo como alienados ai ficam falando pelos cotovelos…

  4. 15/02/2014 0:53

    Republicou isso em wanderleifgomes.

  5. Frank Freitas permalink
    15/02/2014 8:19

    Sou um admirador do seu trabalho. Mas, não concordo com a criminalização dos movimentos sociais. Não há mudança sem sangue. Nossos república está severamente contaminada pela corrupção e o descaso com as classes populares. O estado brasileiro tornou se um padrasto cruel, incompetente e a serviço das classes dominantes. Deve ser combatido em todos os níveis. A imprensa tornou se a personificação do conceito de alienação. A informação que era pra libertar aprisiona. A escola reproduz a lógica do sistema. Como falou Nietzsche, é preciso ter o csos dentro de si para gerar uma estrela.

    • 16/02/2014 4:30

      Frank
      Em nenhum momento apoio a criminalizaçã dos movimentos sociais mas dos atos criminosos dos bleck Block.
      lboff

      • Ariel permalink
        16/02/2014 8:55

        Black Block se legitimos, sao herois da resistencia! Se nao fossem eles, o povo teria apanhado apenas, como foi no inicio das manifestacoes no Rio e Sao Paulo…se nao fosse por eles, nem haveria ainda, boatos de manifestacoes…

    • Ariel permalink
      16/02/2014 8:53

      Só ha mudanca em sangue…infelizmente é assim, e sempre será! Vejas as revolucoes mundo que existiram…TODAS com sangue e cabeças da elite governamental…passeata da paz, com baloes brancos, e pomba da paz no final, é cooper no parque! O governo adora esse tipo de manifestacao, pq nao o incomoda, nao mexe com eles!

  6. 15/02/2014 9:16

    o homem no comando do homem, a interesse de alguns. A mente humana é o campo minado mais fácil de se atacar. O medo, arma mortal contra os ideais. Quem sabe disso governa o mundo.

  7. 15/02/2014 9:29

    Meu amigo Boff, cada vez mais fascinantes seus comentários. Fechou com chave de ouro sua belíssima opinião, ao afirmar:
    “Mais importante em saber quem cometeu e comete atos de terrorismo é saber o porquê se recorre a ele. Ai a importância do acompanhamento dos órgãos de informação, do diálogo aberto com todos os estratos da sociedade, especialmente com aqueles mais penalizados pelo tipo de sociedade que temos, altamente desigual e discriminatória. Difundir mais e mais a educação e infundir confiança, amor às pessoas e cuidado de uns para com os outros…”.
    O Brasil, meu caro mestre, está precisando de “escolas” para ensinarem a educação brasileira que cada vez mais se perde em burocracias, testes e vestibulares sem nenhum sentido científico e totalmente desconexos da pedagogia moderna. A educação que temos forma um sistema que cria leis, é verdade, mas não sabe o que fazer com elas. E algumas legislações incitam, no seu bojo, é mais violência ainda. As cadeias brasileiras são verdadeiras fábricas de bandidos. Os direitos humanos invertem a natureza da vida social: tratam o cidadão de bem como bandido, e o bandido como inocente [cheio de direitos e proteção].
    Revoltada e desprotegida pelo Estado, a quem mantém pagando impostos absurdos, a sociedade responde também com violência para se defender. Recentemente, um comerciante vizinho meu foi surpreendido por três bandidos que lhe deram voz de assalto. No ato, os bandidos deram um tiro na cabeça do comerciante. Aí, os moradores da mesma rua saíram em peso, cercaram os bandidos (que, assustados com o número de populares, ficaram sem reação), tomaram as suas armas e os mataram. Depois, os esmagaram com paus, pedras e soquetes. No fim, puseram gasolina sobre os corpos para porem fogo. Mas a polícia chegou na hora e impediu.
    Veja só onde chegamos! Como podemos definir uma sociedade que cada vez mais se especializa na cultura do crime e da violência? Como proceder diante de uma realidade social em que não há política pública para promoção da paz? O que fazer se até mesmo as legislações alimentam a cultura da punição e da violência? A justiça é violenta. A política é violenta. A polícia, além de corrupta, é violenta. O sistema, enfim, é violento. O que fazer?
    Por isso, parabéns mais uma vez pelo artigo.

    • Ariel permalink
      16/02/2014 8:57

      O governo recorre ao terrorismo todo dia…quer mais terrorismo que saber q se um PM se aproximar vc vai levar uma bolacha na cara, e o maximo que vai poder fazer é se encolher, ou levar um tiro? O governo usa o terrorismo todo dia, com suas contas e gastos exorbitantes que em nda, ajuda a populacao…apenas seus interesses…isso sim é terrorismo!

  8. 15/02/2014 12:37

    Minha intuição, que não falha, me deixa claro que são orquestradas essas violências e orquestradas pela extrema direita, que conta com a midia e com forças de fora do País.

    • 15/02/2014 21:25

      Adella
      Eu penso a mesma coisa. É semelhante ao golpe de classe com uso das forças armdas dada em 1964. A CIA estava profundamente metida. Para que é feita a espionagem pelo mundo e sobre o Brasil, sobre a Presidenta e tantos outros? Não é uma diversão. Serve a propósitos imperiais que não podem ser contraditados e sofrer nenhuma resistência.Aqui não devemo ser ingênuos. E eles têm seus aliados aqui dentro que podem até ser identificados como o foram em 1964. São os mesmos de sempre.

      lboff

      • Ze Facilitador permalink
        17/02/2014 0:08

        Perfeito! Não é só uma elitização interna de nosso país, mas um domínio de homem sobre homem de forma mundial. Eu sempre me pergunto como deve ser feita a revolução social do mundo, já que passeatas pacíficas servem apenas para os dominadores dizerem-se democratas e continuarem seu domínio, revoltas armadas torna-os cada vez mais fortes, pois é a violência uma de suas principais armas, além do que, se os revoltosos vencerem pelas armas continuarão com o mesmo padrão de domínio, pois sua vitória veio através da violência. Como pregações de paz, de vida em comum, de não domínio do homem sobre o homem chegarão as mentes dos humanos que habitam a terra se os meios de comunicação, a educação as instituições que têm domínio sobre as massas são de propriedade dos dominadores. Este comentário não é um ato desistência, pois como disse o grande antropólogo brasileiro Darcy Ribeiro: “…Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca…
        Frases – http://kdfrases.com“.

      • Maria Alice Henne permalink
        17/02/2014 7:58

        Concordo com você, Leonardo. O golpe está a camimho. Vivo na Venezuela e lhe confirmo, o modus operandi é exatamente o mesmo. Máscaras, violencia e discurso vazio.

  9. 15/02/2014 14:26

    Do texto:

    “Pode até ocorrer que se opõem de tal maneira ao sistema mundial e nacional vigente, o capitalismo neoliberal… Há o risco, já advertido pelo Ministro da Justiça Eduardo Cardoso, de instaurarmos o medo na sociedade que acaba inibindo as manifestações populares, legítimas no regime democrático. O próprio povo com medo acaba se retraindo e terá dificuldade em apoiar estas manifestações legítimas.”
    – O que é que mais confere legitimidade a essas manifestações senão o desastrado plano político do PT, aderindo à receita neoliberal, à corrupção e à formação da base de apoio mais atrasada possível na política nacional, tudo em nome da perpetuação no poder.

    – Ainda bem que reconhece, o governo neoliberal do PT.

    – Pode ocorrer também, a simples ação de forças conservadoras, de governos, de agentes policiais, se infiltrando nos movimentos da cidadania com a finalidade de conter a crescente participação/agregação popular nesses movimentos. Como já vai bastante identificada e mesmo reconhecida a infiltração de PMs sem farda intervindo nesses movimentos de massa.

    “Difundir mais e mais a educação e infundir confiança, amor às pessoas e cuidado de uns para com os outros”

    – Com relação à educação, porque simplesmente, não cumprir a Constituição, que a situa como, direito da cidadania e obrigação do Estado.

  10. 15/02/2014 14:33

    Republicou isso em PASO A LA UTOPÍA.

  11. Suzana Zacharias permalink
    15/02/2014 15:56

    O governo quer de qualquer forma calar as nossas reclamações. Um governo com tantas pessoas que sofreram com a ditadura militar e que até praticaram atos considerados de terrorismo, sequestro, bombas…, pensando hoje nessa forma de calar a sociedade . Vergonha lamentável.

  12. Nilce Maria permalink
    15/02/2014 17:01

    Pertinente o tema. Sim, é necessário que discutamos os eventos a partir de sua base filosófica, não apenas seus efeitos.
    Faz-se mister resgatar e implementar a ideologia da Paz, do respeito, da fraternidade tão esquecida pela maioria .

  13. Marcos André permalink
    15/02/2014 21:27

    Texto muito esclarecedor, me faz lembrar a Rede Globo não sei porque rsrsrsss

    • Ariel permalink
      16/02/2014 8:59

      Bem assim…a rede globo chama qualquer um de vandalos, bandidos se forem as manifestacoes…comecou no programa do luciano narigudo…e o povo como é bobo comprou a ideia!

  14. 15/02/2014 22:00

    Republicou isso em luveredas.

  15. 16/02/2014 0:32

    Em termos práticos, resumo o testo do Srr. BOFF como : grupos ideológicos ou insatisfeitos politicamente, tem o direito de impor suas ideias utilizando de todos e qualquer meios, que inclui terrorismo depredador, físico ou mental etc.
    Isto não se assemelha com as práticas dos “coronéis ” que perdurou anos no nordeste brasileiro? Também as atitude dos donos de escravos? Os terroristas/insatisfeitos irados em questão são minorias ativas como os senhores de engenho etc. Só dominavam os escravos (mais fortes e numerosos) que seus donos, devido a violência física e mental ! O mesmo com os coronéis !
    ESTA PROLIXIDADE FILOSÓFICA não é simplesmente a tentativa de encobrir a vontade da maioria ? UTILIZA-SE A LEI DO MAIS FORTE OU A OUSADIA ANIMALESCA DO BANDITISMO …!
    Aproveitam -se do povo e famílias pacíficas.
    Por que não procuram impor sua idéias e vontades pelo convencimento do eleitores ?
    Vao me dizer que o povo não sabem votar… Concordo. Então temos que ensinar…
    Os governos e políticos utilizam os mais diversos mecanismos da máquina do estado para
    direcionar os votos dos humildes e ingênuos, como abono família, falsas promessas etc.
    Então temos que bloquear estas ações com criatividade e modificação de leis etc….
    Hoje li que 78% dos casos constatados de violências nestas manifestações foram dos policiais. Só 22% dos manifestantes cometeram violência e atacaram/assassinaram policiais.
    Acho naturalmente que gostariam que mais 28% tivessem atacado/matado policiais para equilibrar melhor os confrontos dos bandidos com os responsáveis pela nossa segurança……

    Vejo no posicionamento do Sr. BOFF, que admirei um muitos artigos publicados, desta vez
    simplesmente resume neste artigo o PRINCIPIO DO ANARQUISMO ……

    • 16/02/2014 4:28

      Arilton,
      Lamento dizer que vc não entendeu meu artigo. Confunde descrição que faço dos blck block como afirmação minha e apoio a eles. Descrevo para depois refutá-los. Leia com vagar e procure entender.
      lboff

  16. Rita de Cássia Barbosa Pereira permalink
    16/02/2014 1:04

    Caríssimo Senhor Leonardo

    Obrigada por ser corajoso o bastante para colocar sua resposta a Adelia Silvia Penna Ramos e assim responder minhas inquietações. Sinto que estamos a um passo de outro golpe militar e acredito que se não formos vigilantes o teremos se a Presidente Dilma Roussef for reeleita. Tenho certeza que todo este terrorismo nas manifestações são as gotas d’ água que farão o copo transbordar e infelizmente o governo tem acusado injustamente aqueles, que no futuro serão os que o defenderão!!!

    Não existe respeito da imprensa de maneira alguma sobre nada do que tem sido feito em benefício do país.

    Ouvindo os telejornais ou lendo a imprensa, temos a impressão que estamos sendo assaltados a todo momento, 24 horas por dia, por políticos do PT!!!!
    Os comentários gerais são de que nunca houve tanta corrupção!!!!

    Senhor Leonardo, isso é verdade?!

    O que eu vejo é que os políticos que estão aí, ainda são os mesmos, com excessão de um ou outro, e que a Presidente da República tem podido fazer muito pouco em relação a tudo, tanto são os acordos que tem que fazer com estes velhos políticos. Sem contar nos filhos de alguns grandes, que agora no lugar de seus pais, continuam assolando o país com suas velhas políticas.

    Mais; em relação ao modo como a política imperialista dos EUA, tem manipulado todo o mundo, me admira o modo ingênuo como alguns brasileiros tem se deixou levar pela imprensa.

    Obrigada por seu excelente artigo, alías muito pontual.

    Sinceramente

    • 16/02/2014 4:23

      Rita de Cassia
      A midia comercial, digamos o nome, O Globo, Estadão, Folha, Zero Hora seus diretores estão todos com úlcera. Não aguentam o PT no poder, pois dizem que aquele lugar é deles. Ouvi de um militar a frase: O Lula pode ir para o Palacio do Planalto,mas como limpador de banheiro, nunca como Presidente. E não sabem como derrotar demorcraticamente epor via eleitoral o PT. Vão criar estratagemas para inviailizar um novo governo PT. A CIA sempre está por tras, como esteve em 1964. Não sem razão espiam tudo. Não é para se divertir, mas para eventuamente intervir atraves de seus chapas brancas nacionais. Por isso devemos prestar atenção. Golpe militar é excluido porque os militares aprenderam a lição. Jamais quererão pegar um novo abacaxi, com a oposição mundial contra. E nem possuem quadros para dirigir um pais complexo como o Brasil.
      lboff

      • Ariel permalink
        16/02/2014 9:02

        O problema do Lula, é posar de bom moço, mas ter tudo aquilo que a velha politica pode trazer…escandalos, falso moralismo, achismos, facilidades…ele representa tudo isso, e fica bem claro em seus discursos! Nao respeita nem tempo de propaganda politica! É acender vela pra Deus e para o Diabo! Por isso sua forma de gestao está caindo em desgosto…é dizer que vai arrumar a casa, mas empurrar a sujeira para baixo do tapete!

      • 18/02/2014 13:24

        Meu caríssimo Boff,
        Como vamos fazer, então? Que sociedade estamos a um passo de ter? Já não aguentamos mais tanta desordem, e você sabe do que estou falando. A ideologia positivista brasileira “Ordem e progresso” (copiada, ingenuamente, de Augusto Comte) há tempo se perdeu. Além disso, acho que, em vez de positivismo, estamos precisando de bom senso, o que o país desconhece e ignora.
        Você não acha que tá na hora de a sociedade fazer uso do princípio da democracia e se organizar em todos os sentidos para se auto-educar? Já que as instituições do governo não fazem isso? Talvez criar ações de assistência educativa para a família contribuísse na construção de uma sociedade mais justa e harmônica. Também criar escolas especiais dentro do sistema penitenciário (que, juridicamente, é clamado de “centro de reabilitação social”, mas que, na prática, é o contrário) seria um bom começo.
        Quando eu digo “escolas especiais”, estou falando, também, de educação profissionalizante para detentos e, ainda, assistência psicológica, social e espiritual tanto para o preso como para a família dele. Ver a penitenciaria como um lugar de ações punitivas só vai aumentar a violência no país.
        Se nada for feito, assim penso, a “coisa” só vai piorar.
        Abraço,
        B.S.

  17. Laura permalink
    16/02/2014 2:06

    Cinegrafista (Santiago) Andrade

  18. 16/02/2014 8:49

    Republicou isso em TeologiaLivree comentado:
    Artigo do teólogo Leonardo Boff sobre a discussão a cerca de “terrorismo” no Brasil. Vale a pena conferir

  19. Ariel permalink
    16/02/2014 9:04

    Falam tanto da imprensa, do jornalista que morreu! Mas nao lembram dos mais de 10 que morreram ano passado, em Junho…e a maioria culpa da selvageria do estado, que os reprimiu, por manifestarem-se…

  20. mauro tadeu permalink
    16/02/2014 16:39

    Correção: É Santiago Andrade, não Sebastião.

  21. Tchau e beijo permalink
    16/02/2014 18:53

    Léo amigão, o tal do “líder” do bléqui blóqui, que apareceu suicidado em Floripa, era cria das comunidades de base da CNBB.

  22. Paulo Carvalho permalink
    17/02/2014 12:46

    Tenho muita admiração por ti, l Boff, o seu histórico de luta tanto dentro quanto fora da igreja. Mas fico triste por alguns artigos onde vejo que entregou-se a conveniência de defender posições apenas para justificar ações do PT. Como muitos dos seus admiradores, fui militante e comprei botons, adesivos e cartazes de Lula, do PT para ajudar na construção de um país justo e ético. Mas essa turminha passou a perna em todos esses sonhos. Suas práticas tornaram-se piores daqueles que antes tinham o poder, porque chegaram lá às custas da utopia dos outros.
    Esses moleques mascarados (black bloc) são uns coitados, pagos por algum grupo que se beneficia deles. Duvido que tenham alguma convicção política, o que não se encaixa com terrorista.
    Terrorismo mesmo foi e é o que o PT fez com os nossos votos e aprofundou ainda mais a lama que é o Brasil.
    Lamento o rumo que tomou esse que foi um grande pensador. Justificador das ações de um bando de ladrões corruptos que se aproveita do suor de tantos brasileiros.

  23. Noabe Coelho permalink
    19/02/2014 19:03

    estes discursos são tão retrógados quanto as soluções propostas… sempre ideologizando a ação social e assim transferindo responsabilidades: “Parece-me que uma “legislação visando tipificar os atos destrutivos” como sendo terrorismo, é tudo o que a direita quer, para manter as instituições intocáveis e o poder nas mãos da elite” (para citar apenas um de vários comentários. Se a esquerda está há dez anos no poder, não tem sentido esta desculpa clássica apresentado pelo falido esquerdismo ideológico

  24. Gina Girão permalink
    21/02/2014 14:15

    Colaborando: http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/4671117

  25. jvilsemar permalink
    05/05/2014 17:45

    Combatem os efeitos mas existe pouco interesse em combater as causas sociais. Podem usar da influência que o Terrosismo causa junto ao povo para calar esse povo. O Terrosismo pode até ser financiado por fanáticos do Estado e depois controlar tudo e a todos a título de segurança contra o Terrorismo, mas a realidade é manter o povo no cabresto.

  26. Sulamita Dina Gomes de Araujo permalink
    31/03/2016 23:55

    O maior combustível do terrorismo é o próprio ódio. Quando a pessoa se deixa dominar pelo ódio, ela vive num pintado com as cores do preconceito, marcado pelos matizes da conspiração e emoldurado pela ignorância, de acordo com Louis J. Freeh, diretor do FBI.
    Essas pessoas se afiliam a grupos terroristas afim de aniquiliar aquelas pessoas que não aceitam sua cultura. Em outros casos, os futuros terroristas se sentem motivados a entrar nessas facções quando passam a desacreditar das autoridades do seu país.
    Para muitos, o terrorismo é um sintoma de um problema. O objetivo é eliminar as causas que levam as pessoas a se afiliarem ao terrorismo como: liberdade, a dignidade, a justiça e os valores humanitários. Somente assim, o terrorismo pode ser neutralizado, de acordo com Michael Shimoff, em seu ensaio “A política do terrorismo”.

Trackbacks

  1. Leonardo Boff – Para uma definição de terrorismo | Meu blog de política!
  2. Para uma definição do terrorismo « Associação Rumos
  3. Para uma definição do terrorismo « Associação Rumos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: