Skip to content

1964: o uso dos militares pelos grupos civis reacionários

01/04/2014

Os 50 anos do golpe militar, pela violência que implicou, agora devidamente tirada a limpo pela Comissão Nacional da Verdade, não pode deixar nenhum cidadão honesto indiferente. Importa assinalar claramente que o assalto ao poder foi um crime contra a constituição e uma usurpação da soberania popular, fonte do direito num Estado democrático. O primeiro Ato Institucional de 9/4/1964 alijou esste princípio da soberania popular ao declarar que “a revolução vitoriosa como Poder Constituinte se legitima por si mesma”. Nenhum poder se legitima por si mesmo; só o fazem ditadores que pisoteiam qualquer direito. O golpe militar configurou uma ocupação violenta de todos os aparelhos de Estado para, a partir deles, montar uma ordem regida por atos institucionais, pela repressão e pelo Estado de terror.

Bastava a suspeita de alguém ser subversivo para ser tratado como tal. Mesmo detidos e sequestrados por engano como inocentes camponeses, para logo serem seviciados e torturados. Muitos não resistiram e sua morte equivale a um assassinato. Não devemos deixar passar ao largo, os esquecidos dos esquecidos que foram os 246 camponeses mortos ou desaparecidos entre 1964-1979. E agora está sendo descoberta a eliminação de muitos indígenas, tidos como empecilho ao crescimento econômico. Sobre alguns deles foram lançadas até bombas de napalm.

O que os militares cometeram foi um crime lesa-pátria. Alegam que se tratava de um estado de guerra, um lado querendo impor o comunismo e o outro defendendo a ordem democrática. Esta alegação não se sustenta. O comunismo nunca representou entre nós uma ameaça real pois qualquer manifestação neste sentido foi brutalamente reprimida, não sem o apoio da CIA dos EUA. Na histeria do tempo da guerra-fria, todos os que queriam reformas na perspectiva dos historicamente condenados e ofendidos – as grandes maiorias operárias e camponesas – eram logo taxados de comunistas e de marxistas, mesmo que fossem bispos como o insuspeito Dom Helder Câmara.

Contra eles não cabia apenas a vigilância, mas para muitos a perseguição, a prisão, o interrogatório aviltante, o pau-de-arara feroz, os afogamentos desesperadores. Os alegados “suicídios” camuflavam apenas o puro e simples assassinato. Em nome do combate ao perigo comunista, se assumiu a prática comunista-estalinista da brutalização dos detidos. Em alguns casos se incorporou o método nazista de incinerar cadáveres como admitiu o ex-agente do Dops de São Paulo, Cláudio Guerra. Causa espanto e constitui até um problema filosófico a falta de remorsos que o coronel reformado Paulo Magalhães recentemente manifestou à Comissão Nacional da Verdade de ter atuado na Casa da Morte de Petrópolis, de ter torturado, assassinado, mutilado cadáveres e ter ocultado o corpo do deputado Rubens Paiva. Rudof Höss, comandante do campo de extermínio nazista em Auschwitz que segundo seus próprios cálculos em sua autobiografia mandou para as câmaras de gás cerca de um milhão de judeus, também não mostrava nenhum arrependimento. Divertia-se atirando ao leu sobre os prisioneiros e chorava com uma criança ao chegar em casa ao saber que seu passarinho preferido havia morrido. É o mistério da iniquidade.

O Estado ditatorial militar, por mais obras que tenha realizado ( “o milagre econômico” foi apropriado apenas por 10% da população, pelos mais ricos, no quadro de um espantoso arrocho salarial), fez regredir política e culturalmente o Brasil. Expulsou ou obrigou ao exílio nossas mais brilhantes inteligências e nossos artistas mais criativos. Afogou lideranças políticas e ensejou o surgimento de súcubos que, oportunistas e destituídos de ética e de brasilidade, se venderam ao poder ditatorial em troca benesses que vão de estações de rádio a canais de televisão. E muitos deles estão ai, politicamente ativos e ocupando altos cargos da administração do Estado democrático.

Os que deram o golpe de Estado devem ser responsabilizados moralmente por esse crime coletivo contra o povo brasileiro, como vários juristas o estão pedindo. Os militares se imaginam que foram eles os principais protagonistas desta façanha nada gloriosa. Na sua indigência analítica, mal suspeitam que foram, de fato, usados por forças muito maiores que as deles. Disse-o recentemente Tarso Genro, governador do Rio Grande do Sul, numa entrevita ao Boletim Carta Maior (30/3/2014):O poder não foi apropriado diretamente pelos militares para eles próprios. Foi um projeto político dos setores mais conservadores e reacionários (burguesia nacional e os latifundiários) que tiveram nas forças armadas um apoio e um protagonismo muito grande”.

René Armand Dreifuss escreveu em 1980 sua tese de doutorado na Universidade de Glasgow com o título: 1964: A conquista do Estado, ação política, poder e golpe de classe (Vozes 1981). Trata-se de um livro com 814 páginas das quais 326 são cópias de documentos originais. Por estes documentos fica demonstrado: o que houve no Brasil não foi um golpe militar, mas um golpe de classe com uso da força militar.

A partir dos anos 60 do século passado, se formou o complexo IPES/IBAD/GLC. Explico: o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES), o Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) e o Grupo de Levantamento de Conjuntura (GLC). Compunham uma rede nacional que disseminava idéias golpistas, composta por grandes empresários multinacionais, nacionais, alguns generais, banqueiros, órgãos de imprensa, jornalistas, intelectuais, a maioria listados no livro de Dreifuss. O que os unificava, diz o autor “eram suas relações econômicas multinacionais e associadas, o seu posicionamento anticomunista e a sua ambição de readequar e reformular o Estado”(p.163) para que fosse funcional a seus interesses corporativos. O inspirador deste grupo foi o maquiavélico General Golbery de Couto e Silva que já em “em 1962 preparava um trabalho estratégico sobre o assalto ao poder”(p.186).

A conspiração pois estava em marcha, há bastante tempo. Aproveitando-se da confusão política criada ao redor da renúncia do Presidente Jânio Quadros e da obstinada oposição ao Presidente João Goulart, que propunha reformas de base e principalmente a reforma agrária, e por isso, tido como o portador do projeto comunista, este grupo viu a ocasião apropriada para realizar seu projeto. Chamou os militares para darem o golpe e tomarem de assalto o Estado. Foi, portanto, um golpe da classe dominante, nacional e multinacional, usando o poder militar.

Conclui Dreifuss: “O ocorrido em 31 de março de 1964 não foi um mero golpe militar; foi um movimento civil-militar; o complexo IPES/IBAD e oficiais da ESG (Escola Superior de Guerra) organizaram a tomada do poder do aparelho de Estado”(p. 397).

Especificamente afirma: ”A história do bloco de poder multinacional e associados começou a 1º de abril de 1964, quando os novos interesses realmente tornaram-se interesses do Estado, readequando o regime e o sistema político e reformulando a economia a serviço de seus objetivos”(p.489).  Todo o aparato de controle e repressão era acionado em nome da Segurança Nacional que, na verdade, significava a Segurança do Capital.

Os militares inteligentes e nacionalistas de hoje deveriam dar-se conta de como foram  perfidamente usados por aquelas elites oligárquicas e anti-populares que não buscavam realizar os interesses gerais do Brasil mas sim, alimentar sua voracidade particular de acumulação, sob a proteção do regime autoritário dos militares.

A Comissão Nacional da Verdade prestaria esclarecedor serviço ao país se trouxesse à luz toda esta trama. Ela simplesmente cumpriria sua missão de ser Comissão da Verdade completa. Não apenas da verdade de fatos individualizados de violência aos direitos humanos, mas da verdade do fato maior da dominação de uma classe poderosa, (anti)nacional, associada à multinacional, para, sob a égide do poder discricionário dos militares, tranquilamente, realizar seus objetivos corporativos e excludentes. Isso nos custou 21 anos de humilhação, de privação da liberdade, perpretou assassinatos e desaparecimentos e impôs um oneroso padecimento coletivo.

Por fim, cabe ouvir as palavras da advogada Rosa Cardoso, advogada e defensora da prisioneira política Dilma Rousseff e hoje integrante da Comisão Nacional da Verdade numa entrevista ao Boletim Carta Maior de 20/02/2014: ”Primeiro quero dizer que até hoje as Forças Armadas devem um pedido de perdão à sociedade brasileira, com o que estariam assumindo uma posição civilizada e democrática, que é, afinal de contas, o que se espera dos militares no século 21. Lamentavelmente, até agora, não recebemos nenhum sinal, nenhuma mensagem, que nos indique que haja algum desejo, por parte dos militares, de pedir desculpas e de fazer uma autocrítica política sobre seu comportamento”. Esta dívida eles a tem para com todo o povo brasileiro. E deverão um dia saldá-la.

O dia de hoje, primeiro de abril de 2014, 50 anos do golpe civil-militar, é um dia de pranto pelas vítimas da repressão mas também dia de ânimo porque a truculência não pode sufocar o sentimento de dignidade nem abater os ideais democráticos que triunfaram e estão se firmando mais e mais em nossa consciência nacional.

Dedico este artigo ao meu colega de seminário Arno Preis, cheio de fome de justiça, morto em Paraiso do Norte- GO no dia 15/2/1972; Leonardo Boff é teólogo, filósofo, presidente honorário do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis.

 

 

42 Comentários leave one →
  1. Inês Ferreira permalink
    01/04/2014 23:17

    Tristes e assombrosos dias… Uma reflexão e tanto para o primeiro de abril. . Deus o ilumine sempre. Abraço fraterno, Leonardo.

  2. 01/04/2014 23:18

    Tudo dito e, muito Bem explicado e Entendido , pergunta-se A Revolta da Presidente Dilma deve Ser com O Empresariado e As Forças Armadas ou , Também contra O Povo ? Que Temos a Ver ( nós Trabalhadores ,) com Sua Ira , pois é Um Gov. de Revolta … e , está Pegando Pesado ‘ Sòmente com A Classe Trabalhadora !

  3. Peterson permalink
    01/04/2014 23:23

    A extrema direita brasileira é formada por figuras caricatas e grotescas como Olavo de Carvalho, Padre Paulo Ricardo, Lobão, etc.
    Esses infelizes tem coragem de vir a público defender assassinos e torturadores. Parabéns pelo artigo Leonardo Boff!
    Ditadura nunca mais! Tortura nunca Mais!

    • Fábio Coelho permalink
      09/04/2014 20:09

      Parece-me que você está defendendo os Comunistas assassinos de milhões de pessoas. Bom, como sei que você não está defendendo, também analise e veja que as pessoas não estão defendendo as torturas e nem os torturadores, mas estão somente fazendo uma outra leitura dos fatos e analisando que havia uma tentativa de golpe vermelho. Você sabia que o Jango também tentou dar um golpe em 63? Você sabia que foi o congresso que derrubou o Jango e elegeu o Castelo Branco?

      • permalink
        21/05/2014 21:37

        O presidente do congresso declarou o cargo de presidente vazio antes do presidente ausentar-se do país. O congresso compartilhou com o golpe.

    • ANTONIO SILVA permalink
      19/05/2014 0:32

      CONCORDO PLENAMENTE FABIO COELHO COM TEU COMENTÁRIO.

  4. Patricia permalink
    02/04/2014 8:30

    Vão me desculpar, mas dizer que toda ação comunista foi reprimida é mentira. O bolsa-família é a maior prova que a distribuição de renda é feita de forma socializada, sem autorização dos contribuintes e de forma forçada, o que no Brasil serve exclusivamente para manter o partido de esquerda no governo de forma induzida. As manifestações patrocinadas, todos de camisetas vermelhas, também são ações comunistas. As invasões e tomada de propriedades privadas pelo MST, também é atividade de base política 100% socialista, e acontece todo dia. Chega de ficar choramingando a meia duzia de mortos do golpe militar, pois o comunismo mata a nível de holocausto e vocês, interados, sabem do que estou falando. Admita-se que eram criminosos que corriam risco pois roubavam bancos e armas e, hoje, em 2014, vamos usar o dinheiro do contribuinte para o que é certo.

    • 10/04/2014 1:12

      Patricia
      vc está fora do tempo alimentando suas proprias fantasias.Mude como tudo mudou. Falar de comunismo hoje no Brasil é simplesmente ignorancia e ficar presa a categorias do tempo da ditadura militar que tantas vitimas fez. Digo-o porque aqui onde moro em Petropolis havia uma casa da morte onde todos eram mortos e esquartejados.So uma mulher sobreviveu porque enganou os torturadores fingindo-se uma infiltrada.Esses sim usaram metodos stalinistas e nazistas
      lboff

      • marcomagioli permalink
        22/05/2014 6:22

        Como a escuridão resiste, inobstante as luzes jogadas em cima dela. É uma afronta à física e à razão dos Princípios Universais que dignificam a condição humana. Como choraram “Marias e Clarisses, no solo do Brasil”, esperamos que Patrícias também abram seus corações.

    • cirlene permalink
      17/03/2016 23:58

      Patricia, por favor volta pra escola e vai estudar, mas por faavor estude com mto interesse HISTORIA

  5. Francisco C. de Sá P. da Costa permalink
    02/04/2014 9:20

    Excelente artigo de Leonardo Boff. Lamentavelmente há os que desejam a volta do regime de força. São provavelmete os herdeiros da classe dominante,(latifundiários, senhores de engenho, banqueiros) que usou os militares idiotizados, pressionados também pelos americanos, para derrubarem um governo legitimo em 1964. Esquecem somente, que seus filhos e netos podem ter uma ideologia diferente da sua, e acabarem pendurados no pau-de-arara, ou mortos nos porões das Casas da Morte. Desejar a volta do regime, é o mesmo que desejar a volta do nazismo. O golpe nos deixou mergulhados em um buraco negro e de quebra os Sarneys, os Renans Calheiros, os Collors, os Robertos Marinhos, Lobões, a Rede Globo(o maior carcinoma social) e outras aberrações. Se as forças armadas, quiserem recuperar , pelo menos em parte, o respeito da sociedade, o mínimo que espera, é um pedido formal de desculpas pelo crimes e atrocidades que cometeram ao longo dos anos de chumbo. E ainda precisa ser devidamente esclarecida, a morte do Presidente JOÃO GOULART.(o que não teria feito em favor das classes menos favorecidas, se não tivesse sido deposto pelo nefasto golpe?) DITADURA NUNCA MAIS!!!

  6. 02/04/2014 10:47

    quanto mais a gente se aperceber de como as coisas realmente funcionam, mais amplos níveis de consciência CIDADÃ atingiremos…Basta de ser apenas consumidor-cordeiro.
    Vc pode até ñ gostar ou concordar com o autor, mas leia assim mesmo…é um testemunho real…e compartilhe, se aproprie da sua importancia e signifcado para novos desmandos não voltem a ocorrer..

  7. ferraridan67 permalink
    02/04/2014 11:10

    E da mesma forma, os ditadores capitais ainda torturam personalidades, antes mesmo de virem à luz, tornando-as apenas ferramentas inanimadas de trabalho… LIBERTAÇÃO!

  8. Manoel Mendonça permalink
    02/04/2014 13:10

    Por que se deveria trocar o capitalismo pelo comunismo, mesmo tendo a grande maioria da população contra? Finalmente no poder, o que estamos vendo? Parte morreu ou desapareceu durante o regime militar e o restante conseguiu chegar ao poder. Após 12 anos, o saldo é: Parte na cadeia presos por corrupção; parte com medo de ir para o mesmo lugar e pelo mesmo motivo, e o país vivendo a maior onda de anarquia que já se viu nas últimas décadas. O comunismo é isso aí que estamos vendo?

  9. 02/04/2014 14:46

    Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Do Leonardo Boff: “Os 50 anos do golpe militar, pela violência que implicou, agora devidamente tirada a limpo pela Comissão Nacional da Verdade, não pode deixar nenhum cidadão honesto indiferente. Importa assinalar claramente que o assalto ao poder foi um crime contra a constituição e uma usurpação da soberania popular, fonte do direito num Estado democrático. O primeiro Ato Institucional de 9/4/1964 alijou esste princípio da soberania popular ao declarar que “a revolução vitoriosa como Poder Constituinte se legitima por si mesma”. Nenhum poder se legitima por si mesmo; só o fazem ditadores que pisoteiam qualquer direito. O golpe militar configurou uma ocupação violenta de todos os aparelhos de Estado para, a partir deles, montar uma ordem regida por atos institucionais, pela repressão e pelo Estado de terror.”

  10. Adilson permalink
    02/04/2014 18:03

    Muito bem colocado o pensamento do Prof. Leonardo Boff.

  11. 02/04/2014 19:01

    Republicou isso em PASO A LA UTOPÍA.

  12. Paulo Cesar de Souza Vaz permalink
    02/04/2014 19:07

    E o que vivemos hoje É o apocalipse da natureza humana?! Mudaram-se os nomes, mas a ditadura da classe dominante continua….que Deus nos ajude!

  13. Thiago Oliveira permalink
    02/04/2014 19:58

    Maravilhoso texto, Leonardo.

  14. Antonio Costa Netto permalink
    02/04/2014 20:20

    Infelizmente muitos que lá estiveram e sofreram nas mãos dos que, supostamente, tinham o poder, hoje desfrutam deste poder esquecidos de seus ideais primeiros. A História, a exemplo de outros “golpes”, mostrará com seu tempo estas figuras e o que oferecem ao povo.

  15. 02/04/2014 20:33

    Tenho pena dos perseguidos em Cuba, ex-União Soviética, China, Coréia do Norte etc. Por que será que as pessoas que são contra o regime militar brasileiro não tocam neste assunto? Ditadura de esquerda pode?

    • permalink
      12/04/2014 1:13

      Quando se fala das ditaduras que assolaram nosso povo muitos dos defensores das elites que as impuseram colocam em pauta as ditaduras socialistas, que foram totalmente desvirtuadas e passaram a ser governos de uma determina elite onde quer que estas tenham ocorrido. Falar de uma ou de outra sempre recai no egoísmo das elites. Governos baseados em domínio do homem pelo homem. Comparar ou defender uma ou outra é a afirmação de que se acredita que o povo não é capaz de se autogerir. E portanto o povo precisa de uma elite para o fazê-lo. Portanto precisa ser escravizado.

  16. Cibele Nunes permalink
    02/04/2014 22:06

    Excelente resgate, inclusive da palavra certa que define essas forças tenebrosas que pairavam e infelizmente, sobre a vida política brasileira: REACIONÁRIOS! Parabéns, Mestre. Impecável este artigo.

  17. Aurea permalink
    02/04/2014 23:01

    Gostaria de agradecer a lembrança e o reconhecimento do trabalho pioneiro do professor e cientista político René Dreifuss que ,há mais de 30 anos, contribuiu para elucidar a trama civil-militar que articulou o golpe gerador uma ditadura de 21 anos em nosso país.Estou encaminhando cópia do artigo para Daniel Dreifuss, seu único filho, que hoje vive em Los Angeles, com a certeza de que ficará muito feliz e orgulhoso de seu pai. Abraço e parabéns pelo artigo!
    Aurea Dreifuss

    • 10/04/2014 1:03

      Aurea
      Diga ao filho Daniel que fui amigo de seu pai e tivemos longas e interesantes conversas sobre como elaborou a tese e as vigilancia que estava sobre ele.Como editor da Vozes encaminhei o longo manuscrito à publicacao.Ele foi um homem de grande coragem e de extremo rigor cientifico,
      Abraços cordiais
      lboff

  18. caver permalink
    03/04/2014 9:42

    Como um grande costureiro ou alfaiate, alinhavaste os fragmentos deste nosso recente passado tenebroso. Gostaria que outros, muitos outros, tivessem sua sapiência.

  19. J Roberto A S permalink
    03/04/2014 9:53

    Não quero defender esse ou aquele, quero expor apenas minha opinião:
    Vivi minha infância e adolecencia no regime militar, nunca fui sequer importunado pelo regime militar. Agora eu pergunto: O que seria do nosso país se não houvesse a intervenção militar? Seriamos um pais como Cuba? Isso bastaria para todos que defendem ferozmente a punição contra o ato militar?? Não existe luta contra quem defende a paz. Está em claro que houve uma intenção de tornar esse nosso país em um país comunista. Foi necessário a intervenção, fora os abusos que houve de ambos os lados e só se aponta o lado dos militares, não assumem se quer um ato de abuso dos comunistas. Assim fica facil cobrar e massacrar uma atitude tomada pelos militares. Assumam cada lado os seus erros para que assim essa comissão da verdade seja realmente da verdade.
    E agora o que dizer desse governo que está ai? O que devemos esperar desse governo?????

    • 10/04/2014 0:55

      J Roberto
      Vc comete um erro de base. O Estado não pode torturar, fazer desaparecer cadaveres e outros crimes hediondos. Funcao do Estado é, se preciso, prender e julgar e condenar mas nunca matar. O que está sob sua guarda nao pode sofrer violencia, senao temos como tivemos um terror de Estado ou um Estado de terror.
      lboff

  20. permalink
    04/04/2014 0:00

    Além de todas estas informações expostas aqui é bom verificar-se que todas estas elites nacionais e internacionais foram assessoradas pela Cia. Quanto ao apoio da Cia a criação e formação do serviço secreto bem como a preparação do golpe pode-se ter uma boa idéia lendo o livro: Ministério do Silêncio de Lucas Figueiredo. Também tenho suspeitas quanto a nossa democracia, pois é sabido de muitos comentários que FHC em plena campanha das Diretas Já aconselhou João Figueiredo a não abrir eleições diretas, pois Brizola ganharia e seria preferível Maluf ou Tancredo. Além de não se entender o relacionamento entre o principal braço norte-americano, Rede Globo, e nosso governo voltado para Esquerda.

  21. marcomagioli permalink
    04/04/2014 7:49

    QUANDO A LUZ DA VERDADE DOS FATOS E DOS PRINCÍPIOS UNIVERSAIS DEFENSORES DA CONDIÇÃO HUMANA POUSA EM UMA CABEÇA. A CABEÇA DE LEONARDO BOFF.

  22. VERA MARTA BELLE permalink
    04/04/2014 12:13

    TRISTES DIAS ASSOMBROSOS, SÃO TAMBÉM OS QUE VIVEMOS, NÃO TEMOS DIREITO DE IR E VIR, O QUE TEMOS NOS É ROUBADO EM PLENA LUZ DO DIA, CHEGAM E LIMPAM O CAIXA, QUANDO NÃO EXECUTAM OS TRABALHADORES A TROCO DE PORCARIAS, TORTURAM…. APRISIONAM. SEQUESTRAM, QUEBRAM TUDO, EXPLODEM O QUE QUEREM, E QUEM TINHA QUE NOS PROTEGER FAZ O QUE?????????? ME RESPONDAM FAZ O QUE ???????? QUAL A DIFERENÇA???? ONDE ESTÃO OS QUE DEVIAM NOS PROTEGER??????? QUEM SÃO OS QUE DEVIAM NOS PROTEGER, ALGUÉM ME RESPONDA?????? QUERO SABER DO AGORA!!!! HOJE…. HOJE…. QUEM DEVIA NOS PROTEGER.?????

  23. 04/04/2014 16:09

    Difícil viver entre a cruz e a espada. De um lado a DITADURA DO PODER e do outro a DITADURA DO PROLETARIADO que corroí e pratica a inversão de valores.

  24. Eri Ferreira permalink
    06/04/2014 19:57

    Adoraria, ler do sr. uma dissertação semelhante sobre os crimes cometidos na ditadura dos irmãos Castro em Cuba; sobre o sagrento “el paredon”; sobre Guevara e suas cruéis e covardes atrocidades.

  25. William Costa permalink
    12/04/2014 19:42

    Excelente artigo. No entanto, a ditadura chegou ao fim porque o comunismo soviético entrou em crise na década de 1980 e por isso não era mais necessário manter esses governos ditatoriais na América Latina, que eram, inclusive, muito impopulares. Se o socialismo voltasse e representasse uma nova ameaça para os privilégios dos empresários, com certeza eles se aliariam novamente aos militares para instaurar uma nova ditadura. Não devemos nos iludir achando que vivemos em uma democracia. Na prática, só os interesses do Capital contam, infelizmente…

  26. marcomagioli permalink
    22/05/2014 6:03

    Embora o fim do comunismo, dito socialismo real, é inaceitável, ainda que sejam alguns, o deslocamento do foco das atrocidades da direita são injustificáveis. Pior ainda quando na falta de justificação, hipócritamente argumente-se com as atrocidades da esquerda. Esta nojenta guerra ideológica, no fim, destrói a dignidade humana. Nem Hitler, nem Stálin, apenas a inegociável dignidade humana deve prevalecer. Espanado um pouco da ideológia com seus imaginários falidos, à esquerda e à direita, urge uma dose de realidade. É o mínimo de reverência que a inteligência e a lucidez da condição humana exige. Tneho dito:_______________________________________________________
    http://paradigma-paradigma.blogspot.com.br/2013_07_27_archive.html

  27. 31/12/2014 15:10

    AS FFAA SALVARAM O BRASIL DE UM HOLOCAUSTO COMUNISTA E DO CAOS EM 1964 !!
    Seria a morte do Brasil ! Como uma assassina e terrorista pode estar dirigindo o país?
    FORA DILMA E SUA GANG DE ASSASSINOS E LADRÕES !

    • Marco Magioli permalink
      05/01/2015 12:10

      Impressionante como venderam a idéia de que foram os militares os protagonistas do golpe militar de 1964. Não passaram da utilização da supremacia, de força armada a serviço da hegemonia burguesa. Mas, não percebem que seus soldos e privilégios são pagos pelo povo, e geridos pelos grandes industriais e capitalistas financeiros. A natureza militar tutelada, será sempre tutelada pela sociedade civil. Foi o Congresso que declarou vaga a Presidência da República, a frustração de FFAA coadjuvante só poderia SE LIVRAR DE TAL QUALIFICAÇÃO SE O FATO HISTÓRICO configurasse o General Castelo Branco entrando no Congresso, o fechasse E ELE MESMO se autodeclarasse Napoleão Bonaparte. Não foi assim, a História real atrapalha sempre a Estória Oficial.
      Quem salva o Brasil é o trabalho de todo o seu povo, dia-a-dia, o ano inteiro.

Trackbacks

  1. 1964: o uso dos militares pelos grupos civis re...
  2. 1964: o uso dos militares pelos grupos civis reacionários | EVS NOTÍCIAS.
  3. 1964: o uso dos militares pelos grupos civis reacionários : Blog – Cidadão do Mundo
  4. 1964: o uso dos militares pelos grupos civis reacionários | ZÉducando

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: