Skip to content

Vivemos tempos de Noé

25/04/2014

Vivemos tempos de Noé. Pressintindo que viria um dilúvio, o velho Noé convocava as pessoas para mudarem de vida. Mas ninguém o ouvia. A contrário, “comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento até que veio o dilúvio e os fez perecer a todos”(Lc 17,27; Gn 6-9).

Os 2000 cientistas do IPCC que estudam o clima da Terra são nossos Noés atuais. O terceiro e último relatório de 13/4/2014 contem grave alerta: temos apenas 15 anos para impedir a ultrapassagem de 2 graus C do clima da Terra. Se ultrapassar, conheceremos algo do dilúvio. Ninguém dos 196 chefes de Estado disse qualquer palavra. A grande maioria continua a explorar os bens naturais, negociando, especulando e consumindo sem parar como nos dias de Noé.

Entrevejo três graves irresponsabilidades: a geral e a específica e supina ignorância do Congresso norte-americano que vetou todas as medidas contra o aquecimento global; a manifesta má vontade da maioria dos chefes de Estado; e a falta de criatividade para montar as traves de uma possivel Arca salvadora. Como um louco numa sociedade de “sábios” ouso propor algumas premissas. Se algum mérito possuirem, é o de apontarem para um novo paradigma civilizacional que nos poderá dar outro rumo à história. Ei-las:

1. Completar a razão instrumental-analítica-científica dominante com a inteligência emocional ou cordial. Sem esta não nos comovemos face à devastação da natureza e não nos engajamos para resgatá-la e salvá-la.

2. Passar da simples compreensão de Terra como armazém de recursos para a visão da Terra viva, superorganismo vivo que se autoregula, chamado Gaia.

3. Entender que, como humanos, somos aquela porção da Terra que sente, pensa e ama, cuja missão é cuidar da natureza.

4. Passar do paradigma da conquista/dominação ainda vigente, para o paradigna do cuidado/responsabiidade.

5.Entender que a sustentabilidade só será garantida se respeitarmos os direitos da natureza e da Mãe Terra.

6. Articular o contrato natural feito com a natureza que supõe a reciprocidade inexistente com o contrato social que supõe a colaboração e          inclusão de todos, insuficiente.

7. Não existe meio-ambiente mas o ambiente inteiro. O que existe é a comunidade de vida com o mesmo código genético de base,estabelecendo um parentesco entre todos.

8.Abandonar a obsessão pelo crescimento/ desenvolvimento pela redistribuição da riqueza já acumulada.

9.Devemos produzir para atender demandas humanas mas sempre dentro dos limites da Terra e de cada ecossistema.

10.Pôr sob controle a voracidade produtivista e a concorrência sem limites em favor da cooperação e da solidariedade pois todos dependemos uns dos outros.

11.Superar o individualismo pela colaboração entre todos, pois esta é a lógica suprema do processo de evolução.

12. O bem comum humano e natural tem primazia sobre o bem comum particular e corporativo.

13.Passar da ética utilitarista e eficientista para a ética do cuidado e da responsabilidade.

14.Passar do consumismo individualista para a sobriedade compartida. O que nos sobra, falta aos demais.

15. Passar da maximização do crescimento para a otimização da prosperidade a partir dos mais necessitados.

16. Ao invés de permanentemente modernizar, ecologizar todos os saberes e processos produtivos visando tutelar os bens e serviços naturais e dar descanço à natureza e à Terra.

17. Opor   à era do antropoceno que faz do ser humano uma força geofísica destrutiva, pela era ecozóica que ecologiza e inclui todos os seres no grande sistema terrenal e cósmico.

18. Valorizar o capital humano/espiritual inexaurível sobre o capital material exaurível porque o primeiro fornece os critérios para as intervenções responsáveis na natureza e alimenta permanentemente os valores humano-espirituais da solidariedade, do cuidado, do amor e da compaixão, bases para uma sociedade com justiça, equidade e respeito à natureza.

19.Contra a decepção e a depressão provocadas pelas promessas não cumpridas de bem-estar geral feitas pela cultura do capital, alimentar o princípio-esperança, fonte de fantasia criadora, de novas idéias e de utopias viáveis.

20. Crer e testemunhar que, no fim de tudo, o bem triunfará sobre a mal, a verdade sobre a mentira e o amor sobre a indiferença. Um pouco de luz poderá espancar uma imensidão de trevas.

Leonardo Boff escreveu Opção Terra: a solução da Terra não cai do céu, Record, Rio 2010.

66 Comentários leave one →
  1. Sérgio Luiz permalink
    26/04/2014 0:09

    …temos apenas 15 anos para impedir a ultrapassagem de 2 graus C do clima da Terra. Se ultrapassar, conheceremos algo do dilúvio. Quero saber onde está o fundamento para esta afirmação.

    • 26/04/2014 11:02

      Sergio
      Está no terceiro relatoro do IPCC de abril, fruto de 2 mil cientistas. Não é invenção minha. Procure nos jornais.
      lboff

    • 26/04/2014 14:26

      Sergio, concordo com você. “Em dezembro de 2013 e janeiro de 2014, uma onda de frio cobriu 40% dos Estados Unidos, todo o Canadá e toda Europa, quebrando recordes de baixa temperatura e levando centenas de pessoas à morte. Só na Rússia, foram mais de 100 mortos; e nos Estados Unidos, dezenas de morreram por causa do frio nos meses de dezembro e janeiro, Para se ter uma ideia do impacto térmico dessa onde de frio, no dia 6 de janeiro, enquanto no Polo Sul a temperatura registrada era de 34 graus negativos, ela chegou no mesmo dia a 53 graus negativos no Estado de Montana, no Noroeste dos EUA. E mais: essa temperatura só foi um pouco mais baixa do que as temperaturas registradas no mesmo dia nos Estados norte-americanos de Dakota do Norte, Dakota do Sul e Minnesota”. Este fato que contarei agora é um tanto engraçado, mais não menos interessante: “Liderados pelo cientista Chris Turney, professor de “Mudanças Climáticas” da Universidade australiana de New South Wales, um grupo de defensores do aquecimento global proveniente de muitos países viajou para o outro lado do planeta, o Antártico, ao sul, para gravar imagens de degelo – que são comuns nesta época naquela região – objetivando usá-las em suas campanhas pró-aquecimento global. Como documentado em entrevistas, Turney havia, inclusive, previsto um grande derretimento de geleiras no Antártico para este ano. Só que, chegando lá, seu navio MV Akademik SchoKalskiy ficou preso nas geleiras do Antártico, que estavam com uma espessura bem maior do que a esperada por ele e toda sua equipe de “aquecimentistas”. Para não morrerem ali, eles tiveram que pedir um resgate às 5h da madrugada de 25 de dezembro. Um outro navio que estava na retaguarda deles sequer conseguiu chegar até onde estavam para ajudá-los. Eles foram socorridos pelo helicóptero do navio quebra-gelo chinês Xue Long (“Dragão da Neve”) e depois pela Guarda Costeira dos Estados Unidos, uma vez que o Xue Long acabou também preso no gelo”. (FONTE: Mensageiro da Paz – Ano 84, Nº 1545, fevereiro de 2014). Afinal, o que está acontecendo realmente, um “aquecimento global” ou uma “nova era do gelo”. Admiro e respeito muito o teólogo e escritor Leonardo Boff, mas lamento que ele tenha sido seduzido por estes “ecoterroristas”. Devemos sim ter zelo pelo nosso planeta (Gn 2.15), mas também não podemos esquecer das palavras do próprio Deus que diz: “Enquanto a terra DURAR, não deixará de haver sementeira e ceifa, FRIO E CALOR, VERÃO E INVERNO, DIA E NOITE”. (Gn 8.22). “Frio e calor”: ou seja, mudanças climáticas sempre existiram desde que o mundo é mundo e continuarão a existir. Um calor abrasante e escaldante no mundo todo só aparece escatologicamente na Bíblia como um juízo divino que durará só um determinado período de tempo e ocorrerá apenas durante a Grande Tribulação (Ap 16.8,9). – Otoniel Silva.

      • 27/04/2014 22:47

        Otoniel,
        O termo técnico não é na verdade aquecimento global, mas eventos extremos. Vc os mostrou: de um lado um calor insuportável e de outro um frio mortal. Esse desequilibrio mostra que a Terra perdeu seu centro. Logicamente e isso é uma obviedade eras de gelo e eras de calor pertencem à geofísica da Terra. Quando a maioria dos cientistas faz comparações com eras passadas, não tomam em consideração o fator humano que não havia emergido ainda na evolução.Esse só apareceu nos últmos 7-9 milhões de anos. Com sua intervenção irracional nos ritmos da natureza, e somos mais que 7 bilhões, os humanos perturbamos o ritmo da Terra. Tornamo-nos numa força geofísica destrutiva. O que os cientistas nos dizem (veja as análises de nosso melhor cientista na área, Antonio Nobre, membro do IPPC) é que o calor está subindo e subindo e não está abaixando quando deveria baixar. Esse é o problema. A comunidade cientifica norte-americana já fez um apelo aos decision makers que se não tomarem medidas até 2025 poderá ocorrer o aquecimento abrupto. A Terra em poucos anos atingira 5-6 graus C. Com esta temperatura nenhum forma de vida que conhecemos sobreviverá. Nós mesmos corremos risco de desaparecer. Desta vez não podemos errar. Devemos tomar a sério os alertas para não sermos pegos de surpresas como no tempo de Noé e entrarmos num processo de no return. E aqui não vale citar textos bíblicos. Devemos atender ao outro texto que DEus escreveu também: o livro da natureza.
        lboff

    • jose pedro idalino permalink
      27/04/2014 21:20

      A natureza à muito está dando sinais de cansaço, enquanto o homem dorme na caverna confortável da ignorância egóica;talvez seja preciso terremotos e maremotos para acordar deste sono letárgico e nos conduzir para fora fora desta caverna que prenuncia a morte.

  2. Leonardo RCP permalink
    26/04/2014 1:54

    Nessa sociedade de “sábios”, ser um louco é grande qualidade!
    Por isso, posso dizer que o sr de FATO é um Mestre.

  3. 26/04/2014 2:50

    Ficou esquisito o “pressintindo” na primeira frase… (verbo pressEntir).

    • Bruno permalink
      26/04/2014 11:16

      O texto foi escrito para apreciação intelectual e filosófica, e não para correção gramatical como em questões estilo Cespe !!

    • Elenize permalink
      26/04/2014 19:50

      Querido Sérgio, com tantas verdades contidas no texto você se atem a um erro gramatical.Espero sinceramente que você tenha compreendido a relevância que foi dito. E amigo, o que o Dr. Leonardo coloca é uma parte do que a Bíblia adverte. Leia-a e você ficará encantado com verdades que milhares de pessoas desconhecem e que tantos escondem de maneira sórdida. Não faço a você uma crítica, apenas sugiro a busca pelo que Deus quer dizer a humanidade. Abração amigo.

  4. Ana permalink
    26/04/2014 9:37

    Todos estos cambios se pueden dar en las conciencias elevadas, donde no exista la ambición,el egoísmo, el egocentrismo y tantas otras cosas que el hombre de este tiempo
    tiene en su mente, Dios quiera que se tome conciencia de lo que podemos cambiar si lo seguimos a EL,nuestro Señor y de la destrucción que estamos sufriendo en nuestra tan hermosa tierra….

  5. 26/04/2014 9:48

    Acho que é por aí a saída.Sair do individualismo e respeitar o sistema ecológico.Dividir e fazer a opção do compromisso com a vida no Planeta.Ter compromisso político mediado pela consciência ecológica de Salvar a Mãe Terra.Amar todos os viventes sem distinção e discriminação.Considero a Presidente Dilma a melhor saída para esse Pais pelo seu comprometimento com a população desfavorecida economicamente pelo rude sistema capitalista esmagador da liberdade e da comunhão.

  6. 26/04/2014 10:30

    quando o homem Cocientiza que a sabedoria vem de deus busque na sagrada escritura

  7. 26/04/2014 11:21

    Professor, confesso que não o conhecia. Até o ano passado, nem mesmo sobre as suas obras, eu havia escutado falar. Quando numa pesquisa rotineira sobre espiritualidade, deparei-me com um vídeo no qual o senhor, brilhantemente, analisa a obra de Carl Gustav Jung, fui convencido a admirá-lo. A sua voz é doce e transmite paz, brandura e mansidão. Já os seus textos revelam uma alma humanista, cheia de amor e zelo pelas obras do Criador. Que Ele o abençoe! O mundo precisa de outros Leonardos. Um abraço fraterno!

    • 27/04/2014 22:50

      Ricardo,
      Vc foi generoso para comigo. É bom saber que temos companheiros de caminhada e de sonhos como vc.
      abraço fraterno
      lboff

      • 29/04/2014 19:36

        LEONARDO BOFF,VC E UMA PESSOA ILUMINADA,PRECISAMOS DE MAIS PESSOAS ASSIM,QUE DEUS TE ILUMINE SEMPRE NESSA LUTA PELA MAE TERRA,,ABRACOS
        SIDNEY TEMPESTA

      • hamiltonmissionário permalink
        04/05/2014 14:20

        PROF IBOF……… CONFESSO QUE SENTI-ME EXTREMAMENTE CONFORTÁVEL NESTA PÁGINA, E OS COMENTÁRIOS; CRÍTICAS ME FAZ CRESCER EM UM PONTO OU OUTRO! QUEM ME DERA SE O ETERNO SENHOR DEUS ME CONCEDESSE UMA MENTE TÃO BRILHANTE, SEM BAJULAÇÃO SEI QUE VC NÃO PRECISA DISSO !!! DEUS ABENÇOE.

  8. 26/04/2014 11:36

    Os chefes de estado são apenas o reflexo do que nós somos, a maioria das pessoas pelo menos! Se todas as pessoas diminuíssem a quantidade de derivados animais que comem, se negassem a comprar em locais que exploram o ser humano etc. Mas quem faz isso? Eu vejo muitos fazendo: economizando água, mudando hábitos, até desenvolvendo pequenos governos paralelos em comunidades auto-suficientes, mas é a maioria que manda e a maioria não quer mudar, infelizmente! Talvez esta seja uma ótima oportunidade para pensarmos sobre o que queremos ser e se queremos desenvolver nossa consciência ou perecer. Em tempos de crise, muitas vezes vem a luz. Vamos torcer!

  9. 26/04/2014 11:54

    vivemos um tempo de egoísmo,imediatismo e cegueira continua, conjunta e constante, me parece que permanente também!!!

  10. 26/04/2014 12:07

    Leonardo Boff, vejo que pensamos igual. Corroboro cada um dos seus itens. Parabéns pelo seu trabalho. Vim aqui assinar embaixo.

  11. Elizabeth Tanaka permalink
    26/04/2014 12:10

    Texto ótimo. Somente a mudança de paradigmas poderá ter sucesso neste modelo. Obrigada pelos textos, sou sua leitora habitual.
    Por oportuno, existe um erro de digitação no pressentindo.

  12. richard permalink
    26/04/2014 12:16

    ….a mudança de paradigma só seria possível com a transformação individual e esta só é possível a partir do trabalho de meditação e auto conhecimento…..coisa com o que a grande maioria das pessoas não se preocupa…..estão alienados como zumbis morto-vivos preocupados com a materialidade e o hedonismo ….exatamente como nos tempos de Noé…..a natureza será salva não porque as pessoas irão mudar de atitude mas porque a guerra e a poluição exterminarão 99% da humanidade….o 1% que sobreviver serão aqueles predestinados pelo Criador para formar uma sociedade iluminada.

  13. Angelita Wamser permalink
    26/04/2014 12:24

    Tenho a impressão de que suas premissas descreveram quase que em detalhes o Reino de Deus. ‘Bora construí-lo!

  14. isabel sa fontoura pinho permalink
    26/04/2014 13:44

    Que sensíveis e importantes suas colocações, seu estudo. Precisaríamos de cabeças assim, é necessário se pensar no todo.No Brasil há uma crise grande: a ” falta do pensamento”, ainda somos do tempo da retaliação. Pensar pequeno não é pensar. Um abraço, Isabel

  15. Denise honorio permalink
    26/04/2014 14:24

    Para sermos sábio precisamos muitas vezes nos conscientizar de muitas coisas,ao meu ver a filosofia e essencial nesta busca pela sabedoria,ela não nos dá resposta mas nos ajudaria muito.

  16. Sergio Nunes permalink
    26/04/2014 15:41

    Parabéns professor por sua missão em combater e nos alertar sobre as questões relativas ao ecossistema.
    Sou Sergio Nunes e nos conhecemos rapidamente em Araras através da Marcia do Alvorada. Sou de Belém do Pará e faço pós – doutorado em Filosofia Ecológica na unesp em Marília.
    Em 2015 faremos nosso Encontro Nacional e como havia lhe dito na ocasião, vamos convida-lo para participar conosco.
    Grd abç

  17. Gilnei mesquita permalink
    26/04/2014 15:47

    A pressão vem mais dos países ricos e principalmente dos E.U.A; Pois usaram muito suas reservas e graças a Deus e a nossa Presidente estamos conscientes da preservação do meio ambiente de uma forma sustentável. O que nosso governo precisa é cada vez mais dar mais informações de uma forma que não fique no esquecimento do nosso povo.

  18. 26/04/2014 16:54

    Leonardo, infelizmente, ou as pessoas se fazem de mortas ou acham isso é história de radicais!! Qdo prego sobre a natureza, sempre me chamam de radical!

  19. 26/04/2014 17:29

    Claríssimo e só não entende quem não quer. Que possamos, nós que entendemos, convencer aos outros e por em vigor o item 20.

  20. marta permalink
    26/04/2014 18:33

    Agora ninguém da importancia,como nos dias de Noé,depois que estiverem cara a cara com o problema,vão tentar correr daqui e dali,ai será tarde demais!

  21. Nanci Dagagnano permalink
    26/04/2014 18:34

    Bem dito aqui, o homem tem que cuidar e não explorar, pura e simplesmente, a natureza!

  22. Eliana permalink
    26/04/2014 19:26

    Continue na sua ” loucura” mestre! Vejo como saída, já que os dirigentes mundiais perderam a sensibilidade e sapiência, que os dirigidos tomemos o caminho das ruas praças reais e virtuais, e pressionemos de todas as formas até conseguirmos!

  23. 26/04/2014 21:12

    Vivemos a derrocada da cultura artificial filosófica e científica e o limiar de uma nova fase no planeta, a Fase Racional, do Terceiro Milênio, profetizada por Nostradamus, vários sábios e astrólogos. Todas as explicações sobre as mudanças climáticas e da natureza, com base, lógica e infinidade de provas e comprovações na Cultura Racional, nos livros UNIVERSO EM DESENCANTO. Confira!

  24. alma alçaide tessaro permalink
    26/04/2014 21:56

    comosempre e um grande sabio estamos no fim de uma era ,só que muitos continuam, vivendo como no tempo de noé, sem um amor fraterno a todos os seres vivos, não terá mais continuidade..

  25. Odenir Vinhato permalink
    26/04/2014 22:34

    O que a humanidade mais tem dificuldade, é pensar no coletivo! No longo prazo! vivemos o ápice do individualismo e imediatismo!!! Como o povo na época de Noé….não estamos vendo chuva nenhuma….ainda!!!! Parabéns mestre Boff!!!!

  26. 26/04/2014 22:42

    Leonardo Boff, o 20º paradigma, quando vc escreve “a mal”, foi erro de grafia?

  27. 26/04/2014 22:44

    Muito bom seu artigo, gosto muito dos seus escritos, trabalho na Editora Paulus em Salvador e fico muito feliz quando chega as suas novidades. Um grande abraço.

  28. Sheila Engel permalink
    27/04/2014 2:34

    As mudanças no clima já estão ocorrendo . Os homens mais uma vez não querem enxergar as evidências.
    A ambição e a descrença nos bens espirituais superam o bom senso e o amor que todos deveriam ter pela mãe Terra, paraíso que nos foi dado por Deus
    Tenho acompanhado as pesquisas sobre o assunto. Não há interesse e ações concretas por parte dos governos.

  29. 27/04/2014 7:20

    Leonardo sigo con interés sus artículos y escritos. Podría facilitar el texto Vivimos tiempos de Noé en español. Gracias

    • 27/04/2014 22:31

      Nicolás,
      Siempre después que sale en portugues, uma semana después o menos sale tambien una versión en español. Tiene que mirar en este blog.
      cordialmente
      lboff

  30. Alcides Dutra permalink
    27/04/2014 8:29

    Considero preciosa esta contribuição e peço licença para dizer que, se a população continuar crescendo, o colapso será iminente, mesmo sob este modelo. A base de todo processo de modificação comportamental tem um nome: aprendizado, o que nos remete a educação, sem ela estamos fadados a seguir nossos instintos irracionais, que levam a um processo análogo a eutrofização. Precisamos dar um jeito de, efetivamente educar todas as pessoas, para que elas tenham a capacidade de entender tudo isto, e também a relação entre sustentabilidade e número de filhos.

    • 05/05/2014 12:06

      Creio que a produção mundial “dá conta” de sua população se sua distribuição for mais justa; e acredito que a questão sobre o número de filhos que queremos e/ou não queremos ter, deve ter todo o tipo de apoio e suporte do estado, mas as decisões devem ser do ponto de vista pessoal, não institucional.

  31. André Lacerda permalink
    27/04/2014 9:34

    Caro Boff
    Reconheço-me, naturalmente, como uma pessoa otimista. No entanto, o que percebo é que nós, seres humanos, avançamos com muita rapidez e ânsia em determinadas áreas do conhecimento – consequência imediata da sinergia que encerra os nossos últimos saberes utilitaristas – e relegamos a dimensão espiritual (lembrando que isto não é privilégio da era moderna). Com efeito, creio que esse descompasso tende a ocasionar uma “frenagem abrupta da máquina”, pois não haveria, a meu ver, tempo hábil para a requerida evolução dos espíritos. Vejo também que esse descompasso já se anuncia há bastante tempo – sejam nas tragédias anunciadas, nos cinismos propalados ou nas covardias rotineiras – e que os cataclismos serviriam, por mais antagônico que possa parecer, como derradeiros empurrões para uma sociedade mais justa…
    Quanto ao otimismo, este fica por conta do trabalho cotidiano para melhoria de vida de nossa gente e da inexorável caminhada rumo a evolução da alma perene.
    Abraço

  32. Helio Antunes permalink
    27/04/2014 10:28

    Se analisarmos apenas o “item 8” acima, que fala da obsessão pelo crescimento, já teríamos que meditarmos por muito tempo. Todos os noticiários sobre economia estão sempre destacando e comparando os índices mundiais do crescimento do PIB. Imaginem se todos os países se igualassem ao crescimento do PIB da China, onde o Globo iria parar.

  33. 27/04/2014 11:00

    Prezado Leonardo. Veja isso: https://www.facebook.com/photo.php?v=851017761590880&set=vb.350610511631610&type=2&theater
    Veja aqui nosso maior problema: a implosão da ética nas esferas social e institucional. A propósito deste vídeo, tenho dito que se a educação não pode modificar este problema, só resta a arca de Noé!!!

  34. 27/04/2014 11:53

    Republicou isso em Blog do Leo.

  35. Cesar Gonçalves permalink
    27/04/2014 13:40

    Uma visão e conceitos espetaculares e oportunos, apenas quero acrescentar, assim como foi usado a etimologia na palavra, MEIO AMBIENTE, devemos também rever o sentido da palavra HUMANOS, acredito que não somos, podemos ser até candidato a ser humano mas as atitudes e comportamentos que adquirimos e até relatado neste lindo texto mostra-nos que estamos longe disto.

  36. 27/04/2014 14:45

    Não precisa detalhar a fonte científica. Basta ter-se um olhar crítico e amar a vida para se ter a certeza de que o texto de Boff tem sentido, valor e objetivo justo e digno. Precisamos agir como pudermos, dar nossa contribuição pequena e anônima, mas que é a nossa, porque é somente através da consciência do problema que o desastre final pode ser evitado.

  37. maria de fatima leal ismael permalink
    27/04/2014 17:38

    Não Leonardo voce não é um louco.Voce é um lúcido e tomara que possa espalhar essa lucidez pois tem muita gente que ainda pensa que caixão tem gaveta ou cofre!

  38. 27/04/2014 18:40

    Sábio e Santo Boff, rogai a Deus por nós!

  39. MARCIA REGINA SENEME BELINI permalink
    27/04/2014 20:48

    Leonardo, se assim me permitir, gostaria de saber qual a sua relação com o Prof. Paulo Freire? Sou professora e após uma overdose de Paulo Freire o achei em vários momentos em seus textos. Você de alguma maneira conviveu com Paulo Freire?
    Aguardo
    Abraços fraternos

    • 27/04/2014 22:26

      Marcia REegina,
      Paulo Freire e eu fomos sempre amigos fraternos. Quando vivia no exílio sempre na semana de Pentecostes numa reunião de teólogos, sociólogos e cientitas,não mais que 25,geralmente em Nimega na Holanda, ele parrticipava e sentava ao meu lado pois era membro do grupo. E conversámos muito na semana do encontro. Sempre levava uma garafa de suco de pitanga. Abraçava-a e chorava de saudades. E fiz vários seminários com meus alunos de Petropolis e outros que vinham do Rio e de Juiz de Fora, toda terça-feira, sobre os textos de Paulo Freire. E no Brasil, São Paulo, nos encontrávamos com relativa frequência. Sempre o julgamos como um dos fundadores da Teologia da Libertação o que o fazia sentir-se muito honrada. Quanta faltao Paulo nos faz.
      Abraço fraterno
      lboff

  40. mundodepalavras permalink
    28/04/2014 20:36

    Leonardo, é mesmo uma analogia inevitável. Embora naquele tempo não houvesse nada a ser feito por Noé para evitar o caos, ele ao menos se dispôs a providenciar a arca salvadora. Enquanto hoje, a maioria de nós permanece inerte diante de sábias alternativas apontadas neste texto e em tantos outros. Isso me parece tão frustrante… Como lida com a inércia daqueles que poderiam fazer algo e não o fazem, sendo o senhor tão envolvido com tal causa? Não lhe causa também um profundo sentimento de frustração? Um abraço. Camila Vaz

  41. Patrícia Teixeira permalink
    30/04/2014 18:29

    Nossa Pachamama pede socorro e devemos atendê-la com generosidade, afeto e respeito. Ecologizar sempre, ao utilizar os recursos hídricos, os solos, os recursos naturais, os ecossistemas e todo o ambiente natural. O Grande Gaia merece atenção e respeito! Belo texto, professor Boff!

  42. Lidia Benvindo dos Santos permalink
    01/05/2014 11:32

    Mestre Leonardo Boff:
    A leitura de seu livro “A águia e a galinha: uma metáfora para a condição humana” mudou para sempre minha maneira de ver o outro e a mim mesma. Em minhas aulas de literatura tenho usado suas ideias como fundamentos para toda e qualquer discussão filosófica. Tenho recomendado suas obras aos meus alunos. Seu pensamento tem norteado toda a minha prática pedagógica e humana. Parabéns, pois seu pensamento encanta a todos.

  43. simone sarmento lima permalink
    02/05/2014 10:19

    Também concordo que vivemos tempos de Noé.Será que deixamos de vivê-los algum dia?
    Eras e eras se sucederam de intensas destruições, inquietações e renascimentos. E, hoje, a realidade nossa de cada dia, sempre nos coloca à prova de algo.
    O texto é inquietante porque nos põe a refletir sobre.
    Como muito bem nos faz lembrar uma passagem bíblica (Gen.8.22) citada pelo senhor Otoniel Silva, cuja escrita,aqui, se encontra: ” Enquanto a Terra durar, não deixará de haver sementeira e ceifa; frio e calor, vero e inverno, dia e noite”… e segue até a Grande tribulação(Ap.16.8,9) Questionar e tentar entender a existência humana é uma ação contínua na vida, nunca esgotará. É perceptível as ações da Natureza se tomarmos como fundamento Noé. A natureza age de acordo com a Natureza humana. E, a natureza humana é transgressora. À medida que transgride, recebe em transgressão. E ao longo da nossa existência, eras eras se sucederam em transgressões múltiplas, o mal tentando se sobrepor ao bem. Tudo isso visto desde os templos bíblicos, as transgressões humanas interdependentes e conflitantes entre o corpo e o psíquico numa luta de conformidades e adaptações; a mesmo tempo, a alma, numa luta de rebeldia e mutação. É preciso que um homem novo surja do caos. Acredito que chegará o momento em que sairemos das trevas, o bem resplandecerá.

  44. Rosana Clímaco permalink
    05/05/2014 12:12

    Caro Mestre Boff, que bom ter suas reflexões! só temos que lhe agradecer por sua visão e dar voz a quem não tem sua capacidade de expressão e conhecimento; vou repassar aos meus alunos seu texto; de novo obrigada por existir!

  45. robert john millar cortes permalink
    06/05/2014 0:12

    Meu caríssimo Leonardo Boff, seus comentários são relevantes e importantes nessa geração que precisa de mensagens que levem a tomar consciência da sua real participação no destino da humanidade, eu sigo suas reflexões desde tempos pois também sou teólogo. Gostaria lhe pedir um grande favor, eu escrevi um texto cujo titulo é ” A invisibilidade de Jesus Cristo no ambiente moderno” que gostaria muito coloca-lo sob o seu crivo ou sua apreciação, se for possível me escreva que lhe enviarei o texto em sua integra, pois sou partidário da teologia da libertação no meio evangélico. Grato e espero sua resposta. Robert John Millar teólogo Chileno.

  46. robert John Millar permalink
    06/05/2014 0:18

    Leonardo o profeta do ecossistema, espero que suas contribuições façam eco em todo mundo, pois são palavras de um profetismo de alarme, real e verdadeiro. parabéns.

  47. ferraridan67 permalink
    08/05/2014 14:47

    Muito obrigado!

Trackbacks

  1. Vivemos tempos de Noé | EVS NOTÍCIAS.
  2. Vivemos tempos de Noé : Blog – Cidadão do Mundo
  3. Vivemos tempos de Noé – Leonardo Boff; fotos de Satnino Frezza | Cantinho Literário SOS Rios do Brasil
  4. Vivemos tempos de Noé – Leonardo Boff; fotos de Santino Frezza | Cantinho Literário SOS Rios do Brasil
  5. “Vivemos tempos de Noé” – Leonardo Boff | Espaço Virya

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: