Skip to content

De Frei Betto: O PAPO COM DILMA

30/11/2014

Cunhei uma frase que muitos repetem: cada ponto de vista é a vista de um ponto. Quero apresentar aqui o ponto de vista de Frei Betto que participou ativamente do diálogo, junto com outras 5 pessoas, com a Presidenta Dilma Rousseff na tarde do dia 26 de novembro. Ele dá mais detalhes. Foi dele o ênfasis na educação das bases, especialmente dos jovens, como vem ocorrendo com uma iniciativa que ele inaugurou e que hoje é levada avante por Selvino Heck: uma articulação de cerca de mil escolas que aprendem a pensar e a analisar criticamente como funciona a sociedade que Brasil queremos construir que seja mais justo e que integre a todos sem nennhuma discriminação. Aqui vai o texto, mais rico do que aquele que eu descrevi, e que saiu publicado neste meu blog. Lboff

*****************

A Presidenta recebeu, a 26 de novembro, representantes do Grupo Emaús que, há 40 anos, articula, no Brasil, a teologia da libertação e as ferramentas pastorais que a tornam realidade na esfera eclesial.

Acolheu-nos no Planalto por mais de uma hora, em companhia de Aloísio Mercadante, chefe da Casa Civil. Dilma demonstrava muito bom humor e abertura às nossas críticas e sugestões.

Entregamos a ela carta assinada por 34 participantes do Emaús, entre os quais teólogos(as), sociólogos(as), educadores e militantes de movimentos pastorais.

Manifestamos nossa proposta para seu segundo mandato, em texto intitulado “O Brasil que queremos”: reforma política (para a qual nos pediu sugestões); modelo econômico mais social e popular; auditoria da dívida pública; reavaliação dos megaprojetos à luz de critérios ambientais e sociais; defesa dos direitos de povos indígenas e quilombolas; restrição do uso de transgênicos e agrotóxicos.

Insistimos nas reformas de que o país tanto necessita, sobretudo agrária, urbana e tributária. Sugerimos nova política de segurança pública e reforma prisional; a democratização dos meios de comunicação; e a universalização dos direitos humanos com respeito à diversidade.

Consideramos importante a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais; a reapresentação do projeto de Participação Social; e o rigoroso combate à corrupção. (A íntegra da carta se encontra em meu site: http://www.freibetto.org).
Enfatizamos a importância do diálogo permanente com os movimentos sociais e, em especial, com os jovens. Ela, imediatamente, cuidou de agendar tal sugestão. Criticamos também o sistema de comunicação do governo e insistimos na valorização dos centros de referência em direitos humanos e na política de proteção ambiental.

Dilma não apenas agradeceu as nossas críticas e sugestões, como abriu canais para que se tornem frequentes.
Fiquei com a impressão de que a Presidenta não dispõe de muitos interlocutores críticos. O poder costuma inibir aqueles que buscam tirar proveito pessoal, como manter a função e a suposta boa impressão, e preferem não correr o risco de serem mal acolhidos. Cria-se assim um círculo vicioso: a Presidenta escuta de muitos que a cercam apenas elogios, e fica desinformada quanto a avaliações críticas pertinentes.

Ao final da audiência, ela externou o fascínio pelo homem que, hoje, ocupa o seu coração: o papa Francisco. Relatou os encontros que tiveram e as conversas descontraídas, concordando que ele é, atualmente, o mais importante líder mundial, capaz de estender pontes (daí o termo pontífice) entre regiões, países e Estados em conflitos.

À saída da sala presidencial, encontrei Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria e amigo de longa data. Em seguida, ele seria recebido por Dilma. Brinquei: “Robson, já tratamos com a Presidenta dos direitos dos trabalhadores. Agora é a sua vez de falar dos interesses dos patrões…”

Frei Betto é escritor, autor de “Oito vias para ser feliz” (Planeta), entre outros livros.

24 Comentários leave one →
  1. 30/11/2014 14:35

    Amei o texto

    Enviado pelo meu Windows Phone ________________________________

  2. 30/11/2014 14:38

    Muito oportuna e necessária a leitura deste texto!

  3. João permalink
    30/11/2014 14:43

    Caro Frei Betto, o acompanho e respeito a mais de 20 anos, mas realmente não da para acreditar mAis em presidenta Dilma, melhor acreditar em papai noel.

  4. Luiz Carlos Soares permalink
    30/11/2014 15:32

    Se a presidenta Dilma priorizar pelo menos o combate radical à corrupção em todos os níveis, a reforma do sistema penal e a reforma agrária, já será merecedora de ficar na História!

  5. Maria Regina Garcia Dutra Machado permalink
    30/11/2014 16:49

    E os Srs acreditaram que elazinha irá cumprir alguma coisa? Pobres inocentes em acreditarem em uma raça chamada “políticos”.Nosso pais já foi destruído por eles há muito tempo, acredito muito mais em duende. O que me dizem da vergonhoso escândalo da Petrobras? Será que elazinha também não sabia de nada? Como acreditar numa criatura dessa qualidade? Gostaria muito de uma resposta, se possível claro. Continuo acreditando nos Srs.
    Atenciosamente,
    Regina Dutra ( reginagdutra@yahoo,com.br )

  6. simone sarmento lima permalink
    30/11/2014 17:01

    Muito bom o texto. Gostaria muito de ver acontecer as mudanças.Há momentos que nos distanciamos dos acontecimentos últimos – eleição. Entretanto, não se pode ficar à margem de nenhum lado. É preciso participar sempre, mesmo indo de encontro a maré.
    Na sabedoria oriental, fala-se para aquietar-se, silenciar para em outro momento prosseguir, retomar.Aquietar não é fugir da luta.
    O que o senhor faz, frei Betto e outros fazem, contribuem como claridade de pensamentos, ideias nesse momento crítico do país. Momentos de ódio, angústia, preconceitos. Coloco-me no meio daqueles, que não acreditam de todo, em mudanças…
    Mas sei ,que é um trabalho formiguinha… continuamente… trabalhando socialmente, e humanamente, os pontos nevrálgicos do país.
    Espero que os senhores tenham cada vez mais a percepção e sensibilidade em escolher os pontos críticos, que mercem críticas de atenção redobrada naquilo que não está funcionando e levem luz ao Planalto.
    Que Deus os ilumine sempre.

  7. 30/11/2014 17:28

    Parabéns e obrigada pot este espaço o confiável de informação.

  8. Darcy Reis permalink
    30/11/2014 18:15

    Não reconheço no Brasil, um Governo que tenha feito tanto pelo povo deste Pais, em especial a população pobre, quanto o governo do PT. Sempre votei com o PT.Hoje estou decepcionada, com tanta corrupção. Também tenho consciência que esta não foi inventada pelo PT, sempre existiu. O diferencial é que antes tudo era jogado para baixo do tapete. Com relação ao metrô de Salvador, representa uma vergonha para os baianos. O antecessor do atual prefeito, passou mais de 10 anos enrolando os baianos, descumprindo prazos programados para entrega das obras, e ainda subtraindo trechos que faziam parte do projeto inicial e que foram orçados.Isto era publicado pela mídia local e Nacional, com muita frequência.O trecho inaugurado é ínfimo , portanto , insignificante,para remediar as necessidades do povo de Salvador; principalmente os pobres e trabalhadores.Não podemos fazer de contas que o metrô de Salvador é uma realidade .

    • Adriano Berao Costa permalink
      04/12/2014 4:45

      ESTÉTICA E TORPOR

      A chegada do PT ao Governo Federal em 2002 revelou um partido personalista,
      pragmático, populista, aparelhador e fisiológico.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      Causas sociais foram esquecidas e serviram de escada para ambições pessoais.
      Militantes premiados com espaços no governo esqueceram-se de revolucioná-lo
      e cargos continuam servindo para a manutenção de currais eleitorais.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      As políticas públicas continuam sendo decididas em gabinetes e jogadas à
      população como migalhas se comparadas ao volume do orçamento nacional e aos
      financiamentos de bancos públicos para empresas escolhidas por troca
      de favores. O elitismo dos financiamentos dá centavos para pequenos
      empreendedores e bilhões para projetos escolhidos por critérios de
      conveniência política.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      A ideia de participação popular nas decisões de governo foi abandonada
      e hoje é lenda urbana e rural, letra morta no repertório teórico do Partido.
      A política econômica resume-se a desonerações de automóveis, celulares,
      tablets e bugigangas que endividam a população, estimulam o consumismo
      e aumentam os índices de degradação do meio-ambiente.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      A gestão caquética da saúde beira a crueldade e a ausência de políticas
      urbanas mantém nossas cidades pocilgas sem saneamento e com um gigantesco
      déficit habitacional.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      Falar da qualidade do ensino, da segurança pública e das obras de
      infra-estrutura, é repetir argumentos de ineficiência e falta de qualidade.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      Juízes do Supremo Tribunal Federal continuam sendo nomeados pelo executivo,
      emendas parlamentares perpetuam-se, incentivando o clientelismo e os políticos
      carreiristas e o instituto da reeleição completa nossa arcaica cena política. E 12 ANOS SE PASSARAM…
      Em 12 anos a reforma política não aconteceu, a reforma administrativa
      não aconteceu, a reforma agrária não aconteceu, a reforma urbana não
      aconteceu, a reforma do judiciário não aconteceu, a reforma tributária
      não aconteceu e a reforma previdenciária não aconteceu.
      E 12 ANOS SE PASSARAM…
      O toma-lá-dá-cá fizeram do PT um Frankstein esquizofrênico e insaciável.
      O país está maquiado e sonolento.

      • 04/12/2014 22:44

        Adriano, sua repetição o torna chato e não convincente
        lb

      • 06/11/2015 18:09

        Adriano, seu texto tem o ritmo de um lamento. É isso que hoje 90% dos brasileiros fazem, lamentam os que não votaram no PT e os que nele votaram ingenuamente esperançosos de mudanças. Covardemente traídos!

      • DEMOCRACIA permalink
        24/12/2015 18:31

        Parabens pelo texo Adriano, Hilária foi a resposta do camarada Boff, Zero contra argumento! KKKKKKKKKKKKK… É sofrida essa vida de comunista, de ter que negar a realidade sempre, tem horas que fatiga mesmo. kkkKKkk…

      • 27/12/2015 9:59

        So desatualizados e engessados na história ficam argumentando com o comunismo que acabou com a guerra-fria. Ele sobrevive na China, a maior potência econômica do mundo a quem os USDA devem tres trilhões de dólares. É bom se atualizar e dar-se conrta de que vivemos em outro tempo.

  9. 30/11/2014 18:23

    Republicou isso em Eu digo Sempre.

  10. anisia permalink
    30/11/2014 19:53

    para mim Frei Beto e Leonardo são pessoas importantes,Admiro .

  11. 01/12/2014 15:01

    Fiz a leitura deste texto e fico feliz em ver que continuamos com propósitos sociais neste governo da Dilmar

  12. 01/12/2014 17:24

    Dilma deveria trazer para próximo dela pessoas como Frei Beto, Leonardo Boff e educadores;
    Menos reuniões políticas e econômicas e mais reuniões sobre ensino e sociedade.

    Menos PP/PTB… e mais PSOL/PCdoB…

    Precisamos reestabelecer princípios e conceitos éticos, valorizar o humano,
    o desenvolvimento da consciência e os estudos antes do desenvolvimento econômico.

    Com nova consciência teremos como ter um desenvolvimento mais sadio, mais sábio.
    Com menos consumo e maior aproveitamento das coisas antes de trocarmos por outra…

  13. Oscarlinda Krüger permalink
    01/12/2014 20:02

    Que promissora essa informação! Fico mais orgulhosa do que nunca da escolha política do Brasil!

  14. 01/12/2014 20:21

    Se a presidente (presidanta) Dilma fizer 1/3 do “O Brasil que queremos”, nosso país será um paraíso…

  15. 01/12/2014 20:27

    Com certeza,este encontro renderá bons frutos,pois,duas grandes lideranças do Brasil que não tem interesses próprios,mas sim ,num Brasil mais humano,mais justo,num Brasil melhor para todos os brasileiros.

  16. Adriano Berao Costa permalink
    04/12/2014 4:40

    Tá. Tudo muito BLUE. O problema é este tom de reverência. Como que a demonstrar que os atos são presidenciais. Na verdade são coletivos…O problema está no Presidencialismo Personalizado. Institua-se um Gabinete de origem eleitoral direta. Discuta-se de quantos participantes. Mudemos o sistema e o operemos de forma tecnopolítica por referenduns e plebiscitos, atuando o Legislativo e o Judiciário, o primeiro por eleições e o segundo por carreiras de Estado. Perseveremos por 400 anos (consideráveis anos a mais do que já transpassou-se desde a Revolução Francesa) e teremos outra Sociedade. Frei Betto é um ser diferenciado. Diria individuando.

  17. Eduardo permalink
    05/12/2014 14:12

    O dia que gênios como Boff, não fizerem esse tipo de distinção entre “patrões” e “trabalhadores”, estaremos mais perto de um mundo melhor….

  18. 03/12/2015 19:33

    Republicou isso em Não ao Golpe2.

Trackbacks

  1. Frei Beto: Dilma abriu canais para que as nossas críticas e sugestões sejam frequentes « Viomundo - O que você não vê na mídia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: