Skip to content

Bons propósitos para o ano novo

11/01/2015

Todo começo de ano é ocasião de se fazer bons propósitos. São desafios que nos colocamos a nós mesmos para que a vida não seja sempre repetitiva mas criativa e, quem sabe, surpreendente. Alinho aqui alguns propósitos para alimentar a fantasia criadora de cada um.

1.Desenvolva em você a inteligência cordial, emocional e sensível. Inflacionamos a inteligência intelectual, sempre necessária, mas insuficiente. Deixada por si mesma, produziu a solução final dos judeus (Shoah) e a Casa da Morte em Petrópolis sob o regime militar. A inteligência cordial amalgamada com a intelectual produz afeto, amor e cuidado, nos humanizamos e salvaremos então a vida.

2.Deus sempre vem misturado em todas as coisas. Onde houver algum gesto de amor, de solidariedade e de reconciliação saiba que Ele está lá infalivelmente. Sem esses valores Deus é apenas um nome.

3.De manhã ao despertar ou antes de recolher-se, faça uma pequena homenagem a Deus, ou àquela Energia amorosa e poderosa que nos sustenta. Não precisa dizer nada. Reserve aqueles poucos minutos para Ele e só para Ele. Se precisar, chore pelas demasiadas desgraças que ocorrem ou alegre-se por aquilo de bom que aconteceu para você e para o mundo.

4.Cada um é um projeto infinito. A vida é curta demais para nos saciar plenamente. Passe pelas coisas, usufrua-as sem danificá-las mas não se detenha nelas. Vá em frente e sempre além, pois, somos caminhantes da vida e somente um Infinito sacia nossa sede e fome infinitas.

5.Deseje ser águia que voa alto e livremente, quer dizer, tenha ideais e grandes sonhos. Mas não esqueça que deve ser também galinha, concreta e prudente, especialmente quando se trata de administrar os bens materias e lidar com finanças. Aprenda quando deve ser águia e quando galinha. E saiba combinar sabiamente a ambas.

6.Faça uma terapia em sua linguagem. Dizem-se tantos palavrões no falar cotidiano e nas redes sociais. No começo era a Palavra. Ela tem força criadora e destruidora. Depende de você. Ela é “a ponte onde o amor vai e vem” como cantam os cristãos das comunidades de base.

7.Você pode hoje se informar sobre tudo. Praticamente tudo se encontra na internet e no Google. Mas cuide em se formar para ter uma humanidade mais plena. Disse uma sábia filósofa judia: podemos nos informar a vida inteira sem nunca nos educar.

8.Quando entra em casa, tome seu banho, descanse um pouco, não ligue logo a televisão ou consulte o facebook ou leia os e-mails. Retire-se num canto, fique em silêncio. Agradeça a Deus pela vida. Pois, nos dias atuais, com os riscos que corremos em cada esquina ou em cada canto somos todos sobreviventes.

9.Resista à propaganda. Ela não pensa em você, apenas em seu bolso para fazê-lo um consumidor e não um cidadão consciente. Assuma como projeto de vida a sobriedade compartida. Podemos ser mais com menos, por amor àqueles que pouco ou nada têm. Decida você mesmo o que comprar e quando comprar com plena liberdade e consciência.

10.Incorpore a ética do cuidado essencial: cuide de sua saúde, de sua família, de sua casa, de seus amigos, cuide do ambiente inteiro com o mesmo sentimento de São Francisco de Assis que respeitava e amava a todos os seres como irmãos e irmãs, especialmente a irmã água e a irmã e a mãe Terra. Tudo o que cuidamos, dura muito mais.Perceberás aos poucos que todos os seres, também as montanhas, possuem um coração que pulsa como o seu. No fundo, você, sua casa e família, as pessoas e as paisagens, a Lua e o Sol e Deus mesmo constituem um único grande e generoso Coração pulsante.

Leonardo Boff escreveu A Grande Transformação: na economia, na política e na ecologia, Vozes 2014.

6 Comentários leave one →
  1. Angela Maria de Souza Vilasboas permalink
    12/01/2015 21:29

    Amo os artigos de Leonardo Boff. Leio a cada um deles várias vezes e confesso, aprendo muito. Obrigada pelos ensinamentos grande mestre! “Deus sempre vem misturado em todas as coisas. Onde houver algum gesto de amor, de solidariedade e de reconciliação saiba que Ele está lá infalivelmente. Sem esses valores Deus é apenas um nome”.

  2. 16/01/2015 8:43

    onde está o meu artigo?

    • 16/01/2015 21:51

      Odecio, nao tenho nenhuma obrigação de ler todos os artigos, que passaram de 500. Não me divirto na internet. Trabalho. Desculpe.
      lboff

      • 19/01/2015 20:02

        Leonardo Boff
        Nós dois fazemos a opinião pública mundial.
        Eu também trabalho muito para elaborar estes artigos. Não estou lhe obrigando a nada. Apenas que tenha paciência comigo.
        Feliz Ano Novo
        odecio mendes rocha

  3. 16/01/2015 10:10

    AQUECIMENTO GLOBAL
    Existem muitos exageros a respeito do aquecimento em que o nosso planeta Terra está a passar nestas últimas décadas. Está certo que nos últimos duzentos anos o capitalismo, juntamente com o socialismo real, poluíram o nosso planeta de forma alarmante. Porém, teremos que nos perguntar: Qual o paradigma da Ciência está prognosticando esses resultados? O antigo paradigma da Ciência – o newtoniano/cartesiano – chegou ao seu fim. Ele não tem mais nenhuma autoridade para dizer o que é certo
    e o que é errado, pois não tem a verdade como certeza, e sim a probabilidade, como nos afirma o prêmio Nobel Ilya Prigogine, em seu livro O Fim das Certezas, Unesp, 1996.

    As verdades do antigo paradigma da Ciência, ao se tornarem obsoletas, migraram para a Política. Este grande problema está gerando impasses entre os centistas.O aquecimento global ao sem tornar um problema político, provocou distorções em torno de um diagnóstico preciso ao falar de meio ambiente.

    Os cientistas que pregam o Apocalipse, são charlatões, levando paranóia à população. Não podemos afirmar que daqui a tantos anos surgirão catástrofe. Não sabemos, é apenas uma probabilidade. Poderá ser hoje, ou nunca acontecer tais cataclismos.

    Na Idade Média, por volta do ano 800 a 1.200 d. C., houve um cataclimo global pior que o atual.O que tem de diferente no fenômeno da Idade Média para o atual, é que este tem a mais
    um agravante: o aquecimento antropogênico. Ou seja: o aquecimento causado pelo poluição do homem nos quatro cantos do planeta. Além das acomodações de placas tectônicas,
    que poderãm causar tsunamis em raros casos, o aquecimento antropogênico é mais um acrescimo na problemática ambiental atual.

    Já passamos por isso, dizem os céticos. Não podemos subestimar
    e não podemos nos apavorar. Para que isto se torne possível, teremos que solucionar com maior urgência o problema social, junto com o problema ecológico.

    25 Março 2010 0 comentários sem avaliação

  4. 16/01/2015 20:49

    onde estão meus artigos?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: