Skip to content

Herodes e o menino Kaingang degolado:Pedro Ribeiro de Oliveira

07/01/2016

Pedro A. Ribeiro de Oliveira é um fino sociólogo da religião, formado em Louvain e há muitos anos acompanha, como leigo engajado, as comunidades eclesiais de base e coordena o Movimento Fé e Política a nivel de Brasil. Esta sua reflexão nos faz pensar no pequeno Aylan, afogado nas águas do Mediterâneo e principalmente nas crianças que Herodes mandou matar por ocasião do nascimento do Menino em Belém. Vitor é seu nome da etnia Kaingang. Degolado quando mamava no colo da mãe, por assassinos que para defender suas terras as ensopam de sangua de indígenas e de posseiros. Herodes ainda vive e está entre nós nos fundos interiores de nosso país, onde indígenas resistem ao avanço do agro-negócio sobre suas terras  e por isso são expulsos ou mortos: Lboff

**********************

Nesse dia seis de janeiro, ao celebrar com a Folia de Reis a visita dos Magos ao menino que amedrontou Herodes, me veio o gosto amargo da derrota sofrida em Imbituba, há apenas uma semana: Herodes mandou degolar mais um menino. Com o requinte de crueldade de ser a criança atacada justamente onde nos sentimos maior segurança – o colo materno.

Se Vitor fosse branco e estivesse com a família em uma praça do Rio ou São Paulo, o crime hediondo estaria em todos os noticiários e provocaria repulsa maior do que as fotos de prisioneiros prestes a serem degolados por terroristas do Estado Islâmico. Mas Vitor é Kaingang e só foi morto porque índio não tem valor para a sociedade capitalista. Não se sabe até o momento de quem é a mão que passou o estilete mortal na garganta do menino. Sabemos, porém, quem são os mandantes do assassinato: grandes proprietários e proprietárias de terra que não respeitam o direito dos Povos Indígenas a terem seu próprio modo de produção e de consumo. Tal como o Herodes bíblico, eliminam até mesmo crianças que possam um dia ameaçar seu poder econômico.

Em outros tempos a Igreja católica não ficaria em silêncio diante de um crime como esse. A nota do CIMI seria acompanhada de uma nota dos bispos e repercutiria por dezenas de milhares de comunidades de base de todo o Brasil. Celebraríamos os Reis magos, com certeza, mas não deixaríamos em silêncio o crime cometido por Herodes apenas uma semana antes. Pediríamos perdão por não termos evitado, com uma legislação e uma educação corretas, o preconceito contra os povos indígenas e nos comprometeríamos com os Santos Reis a tomar outro rumo nos caminhos da história. O sofrimento daquela pequena família Kaingang ao ver seu filho caçula esvaindo-se em sangue deveria dar um sentido mais realista à celebração da Epífania: aprender com os Santos Reis da bela tradição popular, a ver naquela criança degolada o anúncio da Libertação dos Povos Indígenas.

Que neste ano da Misericórdia, ao passar pela porta do jubileu e entrarmos numa igreja, sejamos chamados à conversão e saiamos pela mesma porta para assumir a defesa da Vida das crianças Kaingang, Kayová, Mundurucu e de todos os outros povos que há quinhentos anos querem nos ensinar a viver em Paz com eles.

8 Comentários leave one →
  1. maria josé permalink
    08/01/2016 0:08

    Apenas uma correção: o menino não mamava na hora do fato. Isso já fpi sensacionalismo da imprensa(?) local Estava brincando, próximo à mãe. Imbituba é minha terra natal. Os pais, hj, confirmaram isto em entrevista publicada no DCM.

  2. 08/01/2016 6:25

    Por favor , peço a todas as pessoas que utilizam as redes sociais , que leiam este artigo, que não somente o compartilhem , mas que verdadeiramente o leiam e se informe sobre o assunto, que agora , e o extermínio em massa de nossas crianças indígenas ! Falo nossas crianças indígenas, porque todo brasileiro, possui DNA indígena e Negro nas veias, mesmo que questões racistas de nossos antepassados e de familiares estrangeiros nos façam dizem o tempo todo que somos somente descendentes de europeus !!! Se importem por favor , com esse massacre capitalista e façamos algo para que isso tenha fim !!! Somos uma nação obrigada a não tem raízes ! Somos considerados como estrangeiros na nossa própria terra de nascimento por capitalistas europeus desde o achamento das Terras Brasilis , por interesses puramente capitalista sobre as terras agrícolas ( o Brasil só tem uma primordial função para os europeus : e a sua grande lavoura ! Para eles aqui não e uma nação, não e um pais e tão pouco somos independentes, continuamos a ser a sua colônia . somos a república das bananas e dos bananas !!! Vamos nos unir e protestar contra esse estado de coisas e vamos utilizar a nossa nova arma que são as redes sociais e vamos apelar para que o governo federal se enganje em mais estes problema e absurdo social , político e latifundiário contra os assassinos posseiros das terras indígenas e que agora, estão matando as crianças indígenas para que não mais existam herdeiros das Terras Brasilis !!! Vamos pedir tomadas urgentes contra este absurdo , apesar de ter quase que estetas que os brasileiros não se importam com os indígenas brasileiros , muitos nem sabem que eles ainda existem neste solo e que na verdade este solo e somente deles , nos e que somos os intrusos !!!

  3. Maria Emília Marques Mano permalink
    08/01/2016 8:46

    Sim, Herodes ainda vive e sim,«no fundo de nosso país» se por país entendermos cada um de nós. Sempre me deixa perplexa que continuemos no «fora» sem fazermos a devida reflexão no «dentro» onde tudo começa e onde não há inocentes.

  4. 08/01/2016 13:44

    Só ontem li sobre este bárbaro assassinato em uma postagem no Facebook. E além dela, só esta… De fato, se fosse branco, teria dado manchetes. Como diz a música, “A dor da gente não sai no jornal”…

  5. São Banza permalink
    08/01/2016 22:49

    Estamos deixando de ser Humanidade…..

  6. Sonali permalink
    11/01/2016 18:50

    Li sobre a identidade do assassino, que seria um jovem que desrespeitado por sua identidade sexual, assumiu um comportamento psicopata e vagueia pelas ruas da cidade rejeitado pelos pais. Portanto é preciso cada vez mais disseminar o amor ao próximo e o amor próprio, este vem com o acolhimento social e principalmente familiar.

  7. 15/01/2016 18:15

      degola um menino DO "POVO DA TERRA", como ocorre desde 1500, A GRANDE MÍDIA de barões brancos acha natural.    

    De: "Leonardo Boff" <comment-reply@wordpress.com> Enviada: 2016/01/08 00:06:56 Para: la.ferreira1957@bol.com.br Assunto: [New post] Herodes e o menino Kaingang degolado:Pedro Ribeiro de Oliveira  

    a:hover { color: red; } a { text-decoration: none; color: #0088cc; } a.primaryactionlink:link, a.primaryactionlink:visited { background-color: #2585B2; color: #fff; } a.primaryactionlink:hover, a.primaryactionlink:active { background-color: #11729E !important; color: #fff !important; } /* @media only screen and (max-device-width: 480px) { .post { min-width: 700px !important; } } */

    WordPress.com

    Leonardo Boff posted: "Pedro A. Ribeiro de Oliveira é um fino sociólogo da religião, formado em Louvain e há muitos anos acompanha, como leigo engajado, as comunidades eclesiais de base e coordena o Movimento Fé e Política a nivel de Brasil. Esta sua reflexão nos faz pensar no "

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: