Skip to content

O persistente bullyng sobre o PT, Lula e Dilma Rousseff

16/09/2016

         É notório o bullyng politico e social (acossamento) sofrido persistentemente pelo PT,  pelo Lula e pela ex-presidenta Dilma Rousseff. Uma coisa é reconhecer que houve corrupção e erros politicos por parte de setores do PT e outra coisa é tributar quase exclusivamente tais fatos e mais a  crise atual, ao PT a Lula e à ex-presidenta.

Para entender este penoso fenômeno socorre-nos um dos maiores pensadores da atualidade que dedicou grande parte de sua obra a decifrar o que seja a agressividade humana e seus disfarses: René Girard(+2015), francês, professor de Letras e antropólogo, que viveu nos EUA. Seu principal livro se intitula exatamente “O bode expiatório”(Le bouc émisaire, Paris 1982).

Constata Girad que todos os grupos e mesmo as sociedades conhecidas vêm atravessadas por tensões e conflitos. O processo civilizatorio, a educação, as leis e as religiões propõem um ponto de equilíbrio que permita a convivência minimamente pacífica ou impedir que os conflitos não sejam destrutivos.

Mas pode chegar a um momento em que os conflitos recrudecem e as forças do Negativo  vão se acumulando, rompendo o referido equilíbrio. Começam os processos de ruptura nas relações sociais e até nas famílias e entre amigos, rejeições de uns e de outros, distorções na percepção da realidade, difamações, descontrução da imagem do outro, dando lugar até ao ódio aberto. Os instrumentos mais usados é a mídia, seja pelos jornais, pela televisão e hoje pelas redes sociais da internet. É o bullying em funcionamento.

Lentamente emerge o sentimento  de que assim como se encontra a sociedade não pode continuar. Ela tem que encontrar um novo equilíbrio. Uma das formas, a mais equivocada e persistente, é a criação de um bode expiatório. Os grupos mais dominantes  definem um bode expiatório e praticam terrível bullyng sobre ele, para descarregar todas as forças do Negativo. Esse bode expiatório varia consoante as circunstâncias históricas: podem ser os comunistas, os sem-terra, os pobres que ascenderam socialmente, os terroristas, os muçulmanos, as esquerdas que querem mudanças estruturais e outros.

No nosso caso, o bode expiatório escolhido foi e continua sendo, o PT e pessoalmente a ex-presidente Dilma Rousseff, incluindo o ex-presidente Lula. Ele cumpre uma dupla função: uma de aplacar e outra de  ocultar.  Toda a raiva e o ódio acumulado são lançados sobre o bode expiatório. Ele carrega todas as maldades e é feito responsável por todos os desmandos ocorridos e pela crise econômico-financeira. Esquecidos ficam, consciente ou inconscientemente, todos os acertos, em especial, a maior transformação social pacífica feita em nosso país, que implicou na diminuição de nossa maior vergonha, a desigualdade social e, positivamente, a integração de cerca de 40 milhões, sempre considerados peso morto da história. Para o efeito da construção do bode expiatório tudo isso não conta, caso contrario não se cumpriria a função do bode expiatório de aplacar a fúria coletiva. Desta forma, todos se sentem livres desta praga, se possível, a ser extermianda. É a função de aplacar a carga negativa jogada sobre a vítima.

Mas há uma outra função, de ocultar. Ao colocar toda culpa e todos os males sobre PT, Lula e a ex-presidenta, feitos bodes expiatórios, esses grupos dominantes ocultam sua própria perversidade e sua culpa. Apresentam-se, farisaicamente, como paladinos da moralidade e tomados de indignação contra a corrupção. No entanto, a bem da verdade, exatamente dentre esses grupos dominantes se encontram os maiores corruptos, corruptores e sonegadores de impostos, no estilo da FIESP, esteio do impeachment, aquela que mais sonega impostos, na ordem de bilhões, como o tem denunciado o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional, sem ainda referir os cerca de 600 bilhões de reais de brasileiros, mantidos no exterior em paraísos fiscais e em offshores.

A Bíblia conhece também as figura do bode expiatório, sobre o qual a comunidade colocava todas as ofensas a Javé e o levava para o deserto para lá morrer. O mesmo faziam os gregos, chamando o bode expiatório, uma pessoa ou animal, de phármacon que como um remédio farmacêutico purificava a sociedade de seus desacertos. O cristianismo ve na figura do cordeiro imolado, aquele que vicariamente tira  os pecados do mundo, como se reza por três vezes na missa. O efeito é sempre o mesmo: aplacar a sociedade para que, refeita, possa equilibrar seus conflitos até que estes se agravem novamente e acabem por criar algum outro bode expiatório.

Pois assim funciona canhestramente a nossa história sacrificialista. Gerard vê uma saída sensata: na coordenação dos interesses ao redor do bem comum, na total transparência e da inclusão de todos, sem sacrificar ninguém. Mas reconhece que este não é o caminho seguido pela maioria das sociedades conhecidas. O mais fácil  é criar bodes expiatórios como se pratica atualmente no Brasil. Para a infelicidade geral.

Leonardo Boff é teólogo e filósofo, articulista do JB on line.

 

 

19 Comentários leave one →
  1. Lelo permalink
    16/09/2016 10:57

    Cabra safado!
    Um erro não justifica outro…
    Que caiam todos eles…
    Vamos continuar a limpeza…
    Independente de partidos políticos temos que abraçar está causa…
    E vc é suspeito quando referiu-se àquela cavalgadura como presidenta…

  2. Pedro da Silva Feitoza permalink
    16/09/2016 11:06

    O bode expiatório, lava a alma, oculta a hipocrisia e dissipa o odor fétido dos interesses escusos.

  3. 16/09/2016 13:53

    Excelentes reflexões, Fr. Leonardo Boff. Somos gratos a si e a Deus! “Jesus, manso e humilde de coração, fazei nosso coração manso e humilde como o Vosso!” Marízia Costa Carmo Lippi, Leiga da Diocese de Petrópolis-RJ.

  4. Carlos Eduardo Ricci permalink
    16/09/2016 14:40

    Com respeito devido a Boff, o PT foi vendido desde seu nascimento como a redenção da nossa política (sempre podre) e portanto não está sendo bode expiatório, mas sim o bode na sala. Paga caro por seus erros e deve ter sua liderança maior na cadeia, pois é impossível o cara afirmar que não sabia e não participou do esquema criado por sua organização criminosa. Como não é possível o senhor Boff acreditar na inocência dos envolvidos(Lula, PT), inclusive Dilma.

    • Jorge Roberto Reis Alves permalink
      21/09/2016 19:27

      Prezado,

      Tanto o mensalão, quanto o Petrolão tiveram seus inícios no Governo do FHC-PSDB, aliados com o PMDB e outros buscando o total perdão sobre a corrupção praticada e na tentativa de acabar com a reeleição do PT. Eles tem a grande mídia apoiando, pois defendem as mesmas idéias. Ganhar dinheiro, pagar baixos salários e sonegar ao máximo.
      O restante está tudo muito bem escrito, como sempre, pelo Frei.

  5. Daniela permalink
    16/09/2016 19:37

    Leonardo Boff, você sempre sabe o que falar, e quando falar. Belas palavras! Concordo com tudo que escreveu!
    Abraços de uma fã!

  6. Ivanovitch Medina permalink
    16/09/2016 19:44

    Blog do Ivanovitch 2: Venerável, Lula http://blogdoivanovitch.blogspot.com/2016/06/veneravel-lula-bh-0250602016.html?spref=tw

  7. Antonio Brito permalink
    16/09/2016 22:40

    Li o citado livro do Girard há muitos anos e me impressionei muito. Ele nos ajuda a compreender muitos processos, tanto no plano social, no familiar e no pessoal…

  8. ibis ferreira soares brandão soares brandão permalink
    17/09/2016 8:11

    Querem criminalizar o que feu

  9. ibis ferreira soares brandão soares brandão permalink
    17/09/2016 8:12

    Criminalizam o que deu certo.

  10. Alessandro permalink
    17/09/2016 21:24

    Em momento algum os procuradores disserrram que não tinham provas, elas estão anexas ao processo que contém mais de 200 páginas o qual será apresentado ao Juiz. Os fatos causuísticos são fortes, pois contém dentre outros: extratos, notas fiscais e muitos depoimentos que convergem para o Lula como mentor do esquema na PETROBRAS.Portanto, engana-se quem pensa que o NAZIFACISMO está ligado somente ao racismo e a idéia de uma raça perfeita. Ele está associado também a ideologias que inclui muitas coisas dentre elas: mentiras , manipulação da massa, falso socialismo , ataques por meio de pseudo intelectuais como no caso do Leonardo Boff e ao messianismo (o salvador de uma pátria “sofrida” e “desamparada” ) . O que acontece é que alguns líderes são mais radicais que outros em seus ideais . Portanto, os Nazipetistas utilizam-se de PALAVRAS FORA DE CONTEXTO para DENEGRIR e MENTIR nunca para se DEFENDER e a MASSA QUE VENERA o seu LÍDER “perfeito” “imáculo” , e sem defeitos acredita no engodo que eles contam.

    • 19/09/2016 8:30

      Testemunhas não são provas. As NF nada comprovam, a não ser que tudo foi pago devidamente.
      Ninguém seria tão burro, principalmente o Lula, para ser chefe de um esquema e sair com 0,010% DO ROUBO.
      ESTÃO SUBESTIMANDO NOSSA INTELIGENCIA.

  11. Geraldo Maia permalink
    18/09/2016 0:58

    Há um erro de ortografia disfarces ao invés de disfarses como está escrito logo no 2º parágrafo, 2ª linha

  12. 18/09/2016 20:28

    Prezado Leonardo Boff,
    Não sou católica, não sou religiosa, sou humana, Muito admiro sua clareza e serenidade ao abordar questões delicadas que lidamos atualmente neste mundo.

  13. 21/09/2016 14:43

    o bode expiatório levado para o deserto era sacrificado a Azazzael o gênio das ventanias e tempestades de areia no deserto

  14. 24/09/2016 14:07

    Republicou isso em Coração Filosofante.

  15. 25/09/2016 21:46

    Precisamos distinguir os alhos dos bugalhos.
    Por exemplo, a teoria apresentada do bode expiatório é um alho.
    Já a defesa do PT atribuindo a corrupção deste partido a alguns setores, como se a cúpula lulista fosse apenas um dos setores do partido, é um bugalhão. Da mesma forma que Lula e seus camaradas travestidos de socialistas colocaram o PT nas nuvens, o fizeram levar um tombo terminal. Perto do que foi, e enquanto o PT continuar existindo, será um partido moribundo. Não pode renascer porque seus dirigentes continuam viciados em corrupção como acabaram de provar com a tentativa de anistiar o caixa 2, em conluio com os peemedebistas e tucanos. Por outro lado a ascensão de milhões de brasileiros pobres à sociedade de consumo se deve ao lulopetismo. Qual é a parcela destes milhões que continuará na nova e semi-alfabetizada “classe média” não sabemos. Mas uma coisa é certa: o salário mínimo continuará bem mais elevado do que foi no passado, sendo esta a medida sócio-econômica mais acertada dos petistas.
    O fato é que para vermos a realidade como ela é, precisamos recorrer à isenção ideológica.
    Desgraçadamente esta isenção constitui um dos maiores desafios enfrentados pela humanidade, desafio este que demorará milênios para ser vencido, se é que um dia será vencido.

    Abraços
    Mtnos Calil
    http://www.maoslimpasbrasil.com.br

Trackbacks

  1. O persistente bullyng sobre o PT, Lula e Dilma Rousseff — Leonardo Boff | O Paraíso da Serpente
  2. O persistente bullyng sobre o PT, Lula e Dilma Rousseff — Leonardo Boff « Sociología en la Red de la UNJFSC

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: