Skip to content

A boa vontade que falta no Brasil de hoje

28/05/2017

Na sociedade brasileira atual grassa uma onda de ódio, raiva e dilaceração que raramente tivemos em nossa história. Chegamos a um ponto em que a má vontade generalizada impede qualquer convergência em função de uma saída da avassaladora crise que afeta toda a sociedade.

Immanuel Kant (1724-1804), o mais rigoroso pensador da ética no Ocidente moderno, fez uma afirmação de grandes consequências, em sua Fundamentação para uma metafísica dos costumes(1785): “Não é possível se pensar algo que, em qualquer lugar no mundo e mesmo fora dele, possa ser tido irrestritamente como bom senão a boa vontade (der gute Wille)”. Kant reconhece que qualquer projeto ético possui defeitos. Entretanto, todos os projetos possuem algo comum que é sem defeito: a boa vontade. Traduzindo seu difícil linguajar: a boa vontade é o único bem que é somente bom e ao qual não cabe nenhuma restrição. A boa vontade ou é só boa ou não é boa vontade.

Há aqui uma verdade com graves consequências: se a boa vontade não for a atitude prévia a tudo que pensarmos e fizermos, será impossível criar-se uma base comum que a todos envolva. Se malicio tudo, se tudo coloco sob suspeita e se não confio mais em ninguém, então, será impossível construir algo que congregue a todos. Dito positivamente: só contando com a boa vontade de todos posso construir algo bom para todos. Em momento de crise como o nosso, é a boa vontade o fator principal de união de todos para uma resposta viável que supere a crise.

Estas reflexões valem tanto para o mundo globalizado quanto para o Brasil atual. Se não houver boa vontade da grande maioria da humanidade, não vamos encontrar uma saída para a desesperadora crise social que dilacera as sociedades periféricas, nem uma solução para o alarme ecológico que põe em risco o sistema-Terra. Somente na COP 21 de Paris em dezembro de 2015 se chegou a um consenso mínimo no sentido de conter o aquecimento global. Ainda assim as decisões não eram vinculantes. Dependiam da boa vontade dos governos, o que não ocorreu, por exemplo, com o parlamento norte-americano que somente apoiou algumas medidas do Presidente Obama. Outros aprovam as medidas mas falta-lhes a boa vontade para implementá-las.

No Brasil, se não contarmos com a boa vontade da classe política, em grande parte corrompida e corruptora, nem com a boa vontade dos órgãos jurídicos e policiais jamais superaremos a corrupção que se encontra na estrutura mesma de nossa fraca democracia. Se essa boa vontade não estiver também nos movimentos sociais e na grande maioria dos cidadãos que com razão resistem às mudanças anti-populares, não haverá nada, nem governo, nem alguma liderança carismática, que sejam capazes de apontar para alternativas esperançadoras.

A boa vontade é a última tábua de salvação que nos resta. A situação mundial é uma calamidade. Vivemos em permanente estado de guerra civil mundial agravada pela arrogância do Presidente dos USA Ronald Trump e pelo modo agressivo com que trata as relações internacionais. Não há ninguém, nem as duas Santidades, o Papa Francisco e o Dalai Lama, nem as elites intelectuais mundiais, nem a tecno-ciência que forneçam uma chave de encaminhamento global. Abstraindo os esotéricos que esperam soluções extra-terrestres, na verdade, dependemos unicamente da boa vontade de nós mesmos.

O Brasil reproduz, em miniatura, a dramaticidade mundial. A chaga social produzida em quinhentos anos de descaso com a coisa do povo significa uma sangria desatada. Nossas elites nunca pensaram uma solução para o Brasil como um todo mas somente para si. Estão mais empenhadas em defender seus privilégios que garantir direitos para todos. Está aqui a razão do golpe parlamentar que foi sustentado pelas elites opulentas que querem continuar com seu nível absurdo de acumulação, especialmente, o sistema financeiro e os bancos cujos lucros são inacreditáveis. Supõem um Brasil menor, para menos gente, favorecida pelo sistema econômico altamente competitivo que exclui milhões e não um Brasil para todos, incluindo as grandes maiorias marginalizadas.

Por isso, os que tiraram a Presidenta Dilma do poder por tramoias político-jurídicas, ousaram modificar a constituição em questões fundamentais para a grande maioria do povo, como a legislação trabalhista e a previdência social, que visam, em último termo, desmontar os benefícios socias de milhões, integrados na sociedade pelos dois governos anteriores e permitir um repasse fabuloso de riqueza às oligarquias endinheiradas, absolutamente descoladas do sofrimento do povo e com seu egoísmo pecaminoso.

Contrariamente ao povo brasileiro que historicamente mostrou imensa boa vontade, estas oligarquias se negam saldar a hipoteca de boa vontade que devem ao país.

Se a boa vontade é assim tão decisiva, então urge suscitá-la em todos. Em momento de risco, no caso do barco-Brasil afundando, todos, até os corruptores se sentem obrigados a ajudar com o que lhes resta de boa vontade. Já não contam as diferenças partidárias, mas o destino comum da nação que não pode cair na categoria de um país falido.

Em todos vigora um capital inestimável de boa vontade que pertence à nossa natureza de seres sociais. Se cada um, de fato, quisesse que o Brasil desse certo, com a boa vontade de todos, ele seguramente daria certo.

Leonardo Boff é teólogo e filósofo e articulista do JB on line.

 

Anúncios
8 Comentários leave one →
  1. Marízia Costa Carmo Lippi permalink
    28/05/2017 14:53

    Penso que o outro nome da boa vontade é amor universal. Faça aos outros o que deseja que façam a você, O BEM !

  2. Valdney permalink
    28/05/2017 16:03

    A boa vontade deve suscitar, em momentos de crise, a vontade de lutar contra a opressão.

  3. 28/05/2017 22:07

    Republicou isso em Zefacilitador.

  4. 29/05/2017 16:47

    Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Mais um ótimo texto para reflexão, do Leonardo Boff: “Na sociedade brasileira atual grassa uma onda de ódio, raiva e dilaceração que raramente tivemos em nossa história. Chegamos a um ponto em que a má vontade generalizada impede qualquer convergência em função de uma saída da avassaladora crise que afeta toda a sociedade.

    Immanuel Kant (1724-1804), o mais rigoroso pensador da ética no Ocidente moderno, fez uma afirmação de grandes consequências, em sua Fundamentação para uma metafísica dos costumes(1785): “Não é possível se pensar algo que, em qualquer lugar no mundo e mesmo fora dele, possa ser tido irrestritamente como bom senão a boa vontade (der gute Wille)”. Kant reconhece que qualquer projeto ético possui defeitos. Entretanto, todos os projetos possuem algo comum que é sem defeito: a boa vontade. Traduzindo seu difícil linguajar: a boa vontade é o único bem que é somente bom e ao qual não cabe nenhuma restrição. A boa vontade ou é só boa ou não é boa vontade.

    Há aqui uma verdade com graves consequências: se a boa vontade não for a atitude prévia a tudo que pensarmos e fizermos, será impossível criar-se uma base comum que a todos envolva. Se malicio tudo, se tudo coloco sob suspeita e se não confio mais em ninguém, então, será impossível construir algo que congregue a todos. Dito positivamente: só contando com a boa vontade de todos posso construir algo bom para todos. Em momento de crise como o nosso, é a boa vontade o fator principal de união de todos para uma resposta viável que supere a crise.

    Estas reflexões valem tanto para o mundo globalizado quanto para o Brasil atual. Se não houver boa vontade da grande maioria da humanidade, não vamos encontrar uma saída para a desesperadora crise social que dilacera as sociedades periféricas, nem uma solução para o alarme ecológico que põe em risco o sistema-Terra. Somente na COP 21 de Paris em dezembro de 2015 se chegou a um consenso mínimo no sentido de conter o aquecimento global. Ainda assim as decisões não eram vinculantes. Dependiam da boa vontade dos governos, o que não ocorreu, por exemplo, com o parlamento norte-americano que somente apoiou algumas medidas do Presidente Obama. Outros aprovam as medidas mas falta-lhes a boa vontade para implementá-las.

    No Brasil, se não contarmos com a boa vontade da classe política, em grande parte corrompida e corruptora, nem com a boa vontade dos órgãos jurídicos e policiais jamais superaremos a corrupção que se encontra na estrutura mesma de nossa fraca democracia. Se essa boa vontade não estiver também nos movimentos sociais e na grande maioria dos cidadãos que com razão resistem às mudanças anti-populares, não haverá nada, nem governo, nem alguma liderança carismática, que sejam capazes de apontar para alternativas esperançadoras.”
    (continua; clique no linque para continuar lendo)

  5. Edgar Rocha permalink
    04/06/2017 3:05

    O que gerou tantas pessoas de má vontade? Me faço esta pergunta sempre que escuto um desses elogios à desconfiança que vez por outra saem como um desabafo: ‘ninguém presta, otário tem que se ferrar, não dá pra ser bonzinho, etc. etc.” Pior é quando as atitudes demonstram uma verdadeira militância anti boa-vontade. É algo tão radical e desprovido de limites que deixariam ditadores e eminências-pardas com inveja. Acreditem, tem gente assim. Sobretudo quando a boa vontade pende para a defesa de interesses contrários aos daqueles que a depreciam. Denegrir, escarnecer, fazer a famosa “casa de caboclo” tentando provar que tudo que cheire a boa vontade não passa de mera hipocrisia. E tal ato não é atributo deste ou daquele lado. A má vontade, a desconfiança, a injúria e a difamação são práticas consagradas nestes tempos sombrios. Sem dúvida e sem culpa.
    Acredito que esta não seja uma percepção exagerada. Houve uma inversão de valores. A boa vontade como regra, hoje, já se tornou exceção. A má vontade impera.
    Por isto mesmo, plantar boa vontade é espalhar semente no sapezal. Poucas hão de germinar e, entre estas, apenas um número mínimo irá prosperar. Mas, não é assim que constrói uma floresta?
    As aves que transitam entre uma árvore e outra é que são as responsáveis por vencer o matagal seco e formar o verde. As que se beneficiam da sombra fresca, do abrigo das árvores e do alimento é que se incumbem de ampliar o espaço que lhes é adequado.
    Houve uma praga no país que devorou tudo. A secura incendiará o que resta. Gafanhotos passam. Depois se não tiverem mais o que comer, retornam à sua insignificância. Estamos em estado de invasão há 500 anos! Enfim, parece que chegamos ao termo. Não será a boa vontade dos devoradores que nos salvará. Entre uma mancha verde e outra que sobrar. sempre os passarinhos, humildes e cientes de sua finitude, hão de plantar suas sementes para as gerações futuras. Estão quietinhos, mas existem. E hão de se reunir num futuro próximo. Deixa o incêndio passar… Os gafanhotos que se danem!!!

    • Marizia Lippi permalink
      06/06/2017 11:48

      Como Católica e colaboradora de inúmeras organizações assistenciais e solidárias, devo dizer que felizmente há , ainda, muitas atitudes geradas pela boa vontade. Como exemplo menciono a “FUNDAÇÃO PONTIFÍCIA AJUDA À IGREJA QUE SOFRE”, desde 1947 até 2017, há 70 anos colocando em prática no mundo a caridade Cristã, o amai-vos uns aos outros. Acesse acn.org.br ! Oportuna sugestão para o degelo afetivo humano, seria meditar sobre “O SERMÃO DA MONTANHA”, de Jesus Cristo, em Mateus capítulos 5, 6 e 7. Ganghi disse: “Se um incêndio destruir toda a literatura do Mundo e se sobrar o “Sermão da Montanha “, sobrou o MAIS IMPORTANTE !” Marízia Costa Carmo Lippi, 78 anos. “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração!” (Jesus Cristo, o Ungido Salvador ).

  6. 06/06/2017 6:00

    Yoս mea like when we ѕing pгaiѕe songs in Church?? Larry
    asked and daddy noԁded. ?Well I could make up a worship song.?
    So Larry jjmped to his ft and began to mаke uup a music to a rᥱally
    bad tune. ?Jesus is so cool. Its fun being with God. He iis the funnest Ԍod
    anyƄbody coᥙⅼd have.? Lаrry sang very badly so Leee
    haɗ puut his arms over his ears.

Trackbacks

  1. A boa vontade que falta no Brasil de hoje. Por Leonardo BoffPoliarquia > | Poliarquia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: