Pular para o conteúdo

Só um Nordestino resistiu ao fogo no Museu Nacional: Roberto Malvezzi

11/09/2018

Roberto Malvezzi (Gogó) é sempre surpreendente. Trabalha no sertão junto ao rio São Francico como assessor de movimentos sociais. Fez filosofia, teologia e é leigo, um excelente analista de nossa realidade na ótica das vítimas. Em El Salvador, San Salvador, nos inícios de setembro de 2018 fez diante de 600 participantes do III.Congresso de Teologia Continental, uma das mais brilhantes palestras: como conviver com o semi-árido, como as mais de um milhão de cisternas de captação de água têm salvo a vida dos nordestinos daquela região. Aqui vai um pequeno relato simbólico do que seja o Brasil em seu naufrágio mas também em sua capacidade de resistência. Vamos ser como o meteorito de 5 toneladas que resistiu ao fogo, como resistirá o povo brasileiro ao assalto que as oligarquias e os endinheirados continuam fazendo contra os milhões de irmãos e irmãs nossos, pobres e expoliados de direitos. LBoff

*************************

Quem vem ao sertão da Bahia, região de Canudos, vai encontrar Bendegó. Ali caiu um meteorito de ferro maciço. Em Bendegó, num espaço muito pequeno está o meteorito que caiu do céu, vindo do espaço, como um ET. Pesando mais de 5 toneladas, foi encontrado ainda no século XVIII.

Entretanto, em Bendegó está apenas uma réplica do verdadeiro meteorito, esse levado para o Rio de Janeiro, ao Museu Nacional, A réplica do meteorito está num pequeno museu em Monte Santo, na esquina da matriz, onde começa a via-sacra construída por Conselheiro, subindo o Monte Santo por uns 2 km. Antigamente tudo era Monte Santo na região, inclusive como sede do Exército que atacou Canudos. Canudos era fazenda de Monte Santo. Bendengó era também território de Monte Santo, mas hoje, pelos desmembramentos, está em território de Uauá.

No incêndio que torrou o Museu nem Luzia, nossa matriarca, resistiu. Mas o meteorito de Bendegó escapou ileso.

Esse país está sendo torrado por um golpe de Estado. Rompeu não somente com nossos direitos básicos, mas com todas as regras civilizadas de convivência de um povo.

É bom lembrar que 360 deputados, 60 senadores, 11 juízes do Supremo Tribunal Federal, um juiz de primeira instância, com seus compadres de um tribunal superior, o empresariado nacional e internacional, banqueiros e uma velha mídia, todos secundados por generais, estabeleceram essa aberração que é o Brasil contemporâneo.

Entretanto, um Nordestino resistiu. Quiseram torra-lo de todas as formas, mas os incendiários viraram cinzas e ele continua cada vez mais forte, como se fosse de ferro, imune ao fogo, como se fosse um ET.

E ele não se chama Bendegó.

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. Amaurih permalink
    11/09/2018 16:45

    É um ET. Que se aliou às oligarquias para perpetrar o maior assalto aos cofres públicos, mas encontra defensores cegos e surdos às leis e às instituições… Nem parece que é um dos principais mentores dessa aberração que é o Brasil contemporâneo pós Lula e pós Dilma…

    Curtir

  2. 12/09/2018 0:04

    Deus sempre esteve do lado dos injustiçados!

    Curtir

  3. Aristóteles Barros da Silva permalink
    16/09/2018 17:47

    Muito obrigado, Professor Leonardo Boff, pelas nobres frases, verdadeira luz no fim do túnel e,…HADDADÉLULA!!!

    Curtir

Trackbacks

  1. Só um Nordestino resistiu ao fogo no Museu Nacional: Roberto Malvezzi | Leonardo Boff – BRASIL S.A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: