Skip to content

Fundamentalismo do Ocidente e do Extremo Ocidente

07/02/2015

Predominante é o fundamentalismo islâmico. Mas há também uma onda de fundamentalismo especialmente na França e na Alemanha onde comparecem fortemente a xonofobia, a islamofobia, o antiseminitismo. Os vários atentados da al-Qaeda e de outros grupos jihadistas alimentam esse sentimento que desumaniza a todos: as vítimas e os causadores das vítimas. Podemos comprender os contextos globais que subjazem à violência terrorista (o terror das guerra do Ocidente levadas ao Oriente Médio), mas jamais, por nenhum motivo, aprová-la por seu caráter criminoso.

Radical é o fundamentalismo em vários grupos do Islam, criando um novo tipo de guerra: o terrorismo. Atualmente é ofensivo acusar alguém de fundamentalista. Geralmente só os outros são fundamentalistas, esquecendo, não raro, que quem acusa também vive numa cultura de raiz fundamentalista. É sobre isso que quero me deter rapidamente, mesmo irritando não poucos leitores e leitoras. Refiro-me ao fundamentalismo presente em amplos setores do Ocidente e do Extremo Ocidente (as Américas).

Historicamente o fundamentalismo que já pre-existia, ganhou corpo no protestantismo norte-americano entre 1890 e 1915 quando um grupo de pastores publicou uma coleção de 12 fascículos teológicos com o título Fundamentals: a testimony of the Thruth (Fundamentos: um testemunho da verdade). Ai se afirmava o caráter absoluto das verdades de fé, contra a secularização, fora da quais só poderia haver erro. Esse fundamentalismo perdura ainda hoje em muitas denominações critãs e em setores do catolismo conservador à la Lefbvre.

Diria com certo exagero, mas nem tanto que o fundamentalismo é uma das doenças crônicas do Ocidente e também do Extremo Ocidente (USA) e das mais deletérias. É tão arraigado que virou inconscinte mas bem expresso pelo político mais hilário e grosseiro da Europa, Silvio Berlusconi que declarou ser a civilização ocidental a melhor do mundo e, por isso, a ser imposta a todos. Cito dois tipos de fundamentalismo: um religioso e outro politico.

O cristianismo de versão romano-católica foi por séculos a ideologia hegemônica da sociedade ocidental, do “orbis catholicus”. Nesta lógica vejam o absolutismo de dois Papas, uma expressão clara de fundamentalismo religioso.

O Papa Alexandre VI (1492-1503) pela bula Inter Caetera destinada aos reis de Espanha determinava:”Pela autoridade do Deus todo-poderoso a nós concedida em São Pedro, assim como do vicariato de Jesus Cristo, vos doamos, concedemos e entrregamos com todos os seus domínios, cidades fortalezas, lugares e vilas, as ilhas e as terras firmes achadas e por achar”. Isso foi tomado a sério e legitimou a colonização espanhola com a destruição de etnias, culturas e religiões ancestrais.

O Papa Nicolau V (1447-1455) pela bula Romanus Pontifex dirigida aos reis de Portugal é ainda mais arrogante:”Concedo a faculdade plena e livre para invadir, conquistar, combater, vencer e submeter a quaisquer sarracenos e pagãos em qualquer parte que estiverem e reduzir à servidão perpétua as pessoas dos mesmos”. Também essa faculdade foi exercida no sentido de “dilatar a fé e o império” mesmo à custa da dizimação de nosos indígenas (eram 6 milhões) e a devastação de nossas florestas.

Esse versão religiosa ganhou uma tradução secular nos colonizadores que praticavam tal terror sobre os povos. Mas ela subsiste ainda hoje; basta ver como  a Alemanha de Merkel e a França de Hollande tratam a humilhada Grécia junto com a Troika. Julgam-se senhores do destino do povo grego, obrigando-o a pagar uma dívida impagável até o juizo final (170% acima do PIB). Temos a ver com um tipo de  fundamentalismo, o do neoliberalismo econômico com a expressão: TINA:There is No Alternative: não há outra alternativa. Quem decide que não há? Os bancos? Os governos? O povo?

Lamentavelmente essa versão absolutista foi ressuscitada por um controvertido documento do então Card. Joseph Ratzinger, Dominus Jesus (2001) onde reafirma a idéia medieval de que fora da Igreja não há salvação. Os demais estão em situação de risco face à salvação eterna.

A versão religiosa acima ganhou expressão política pelo Destino Manifesto dos USA. Esta expressão foi cunhada em 1845 pelo jornalista John O’Sullivan para justificar o expansionismo norte-americano como a anexação de parte do México. Em 1900 o senador por Indiana, Albert Beveridge explicava:”Deus designou o povo norte-americano como nação eleita para dar início à regeneração do mundo”. Outros Presidentes especialmente George W. Bush se remetiram a essa pretensiosa exclusividade. Ela justificou guerras de conquista especialmente no Oriente Médio. Parece que em Barak Obama ela não está totamente ausente.

Em resumo concentrado: os dois Ocidentes imaginam-se os melhores do mundo: a melhor religião, a melhor forma de governo, a melhor tecno-ciência, a melhor cosmovisão. Isso constitui uma forma de fundamentalismo que sugnifica: fazer de sua verdade a única e impo-la aos demais. Essa arrogância está presente no consciente e no subconsciente dos ocidentais. Graças a Deus, criou-se também um antídoto: a auto-crítica sobre os males que esse fundamentalismo tem trazido para a humanidade e para a relação com a natureza. Mas não é compartilhado pela coletividade.

Vale a frase do grande poeta espanhol Antonio Machado: ”Não a tua verdade. A verdade. Vem comigo buscá-la. A tua, guarde-a”. Se a buscarmos juntos, no dialogo e na cordialidade, então mais e mais desaparece a minha verdade para dar lugar a Verdade comungada por todos. E assim se pode, quem sabe, limitar o fundamentalismo no mundo nos dois Ocidentes.

Leonardo Boff é colunista do JBonlie e escreveu: Fundamentalismo, terrorismo, religião e paz, Vozes 2009.

21 Comentários leave one →
  1. Peterson permalink
    07/02/2015 13:51

    Felizmente o Cristianismo evoluiu com o passar dos séculos Através desse do grande Leoonardo Boff podemos verificar que os cristãos na Idade Média e no período da Inquisição já agiram e fizeram o mesmo que os atuais terroristas muçulmanos. Vejo com preocupação o espaço ocupado na mídia principalmente na Internet de fanáticos religiosos fundamentalistas como o Padre Paulo Ricardo de Azevedo, Padre Rodrigo Maria, etc. que em nada diferem do Estado Islâmico, a Al Qaeda, o Boko Haram, etc devido a seu extremismo e se pudessem agiriam da mesma forma. Todo fanatismo seja muçulmano, cristão, judaico, etc é extremamente perigoso.

  2. AntonioPadua permalink
    07/02/2015 17:39

    A religião precisa tomar um rumo diferente e mudar o seu discurso, porque senão teremos uma geração de religiosos, sacerdotes e leigos medíocres. No Brasil, é visível a banalização do sacramental e a indiferença diante do espiritual. Não precisamos de igreja cheia como pensam os dogmáticos, precisamos de “fazer arder o coração “como dos discípulos de Emaús.

    • Mario Real permalink
      15/02/2015 10:33

      Concordo em gênero, número e grau. Aos cristãos falta exatamente a prática daquilo que pregam, o exemplo ao vivo, a fraterna partilha espontânea e sincera… A vida moderna afasta-nos da espiritualidade e ficamos apegados a um passado histórico de “verdades” que contrastam com a atualidade. Isto leva a radicalismos… seja de que tipo ou espécie for…

  3. Manoel Mendonça permalink
    07/02/2015 22:57

    Que os Estados Unidos se considere o melhor país do mundo é aceitável, até porque acho a mesma coisa do Brasil. O que me aborrece é ver o complexo de inferioridade dos brasileiros em relação não apenas aos Estados Unidos, mas também a vários países europeus. Creio que é partir desse complexo que os brasileiros acreditam que a verdade americana é única e absoluta. Foi uma boa matéria, parabéns.

  4. MJulio permalink
    08/02/2015 17:25

    Com o advento da mente, a mentira. O Ideal. Com ele sua sistematização nas religiões ou ideologias. Dá no mesmo.

    Essa mentira nos torna estranhos à nossa natureza. Ela determina “verdades” e falsas-moral e nos encanta com suas fantasias de mundo perfeito. E ameaça, como o marxismo-leninismo ou o islamismo:”quem não está conosco está contra”.

    No caso do marxismo-leninismo, o século XX foi pródigo em desgraças com sua prática. Quanto ao islamismo, o Império Otomano matou muito, como outras religiões e no fim desse império assassinou mais de 1 milhão de armênios.

    Enfim, depois da mente o paraíso acabou, mas suas fantasias de mundo perfeito, criam ilusões de que o teremos de volta à nossa imagem e semelhança.

    É preciso tomar cuidado em não envolver Cristo ou Buda com o humano, demasiado humano.
    O reino de Cristo ou Buda não é deste mundo material.
    Na política: a César o que é de César.
    Quanto á felicidade: Nem só de pão vive o homem.

    Então todo cuidado é pouco para não nos iludirmos com sistemas (religiões ou ideologias) criados alguns “iluminados” e conservarmos a democracia, que já tem mecanismos , como por exemplo tribunais para que se faça justiça, mas que mesmo assim não é perfeito. Menguelle, o monstro nazista por exemplo nunca foi pego por ela e Fidel ainda está aí livre, depois de ter assassinado mais de 17 mil cubanos.

    Vamos respeitar a nossa natureza de milhões de anos. Já estamos prontos .Somos intocáveis. Se Deus existe, foi Ele quem nos criou. O universo. A natureza.

    Vamos ter a humilde de aceitar o fato de que existe mais no universo do que imagina nossa vã filosofia.

    • MJulio permalink
      10/02/2015 9:40

      Vamos ter a humilde de aceitar o fato de que existe mais no universo do que imagina nossa vã filosofia e não nos iludir com aquilo que nossa mente cria.
      A mente mente.

      • MJulio permalink
        11/02/2015 16:31

        Sobre a mente, algo que só nós humanos possuímos, é preciso diferenciá-la da função do cérebro com que todos nós animais nascemos. Função que processa a interação do corpo com o ambiente. Ou seja, a função que nos traz a verdade. O palpável e o visível.

        Nos humanos, com a mente, há uma invasão de suas criações, sua realidade fictícia, na área do cérebro responsável pelo processamento da verdade, que é a interação do corpo com o o palpável e visível. Algo infernal. Traz-nos muita confusão. Faz-nos perder da trilha onde sentimos nossos pés.

        Com o advento da mente ( antropologia biológica) , perdemos o paraíso.
        Ela nos envolve com seus encantos e nos ilude com suas mentiras como por exemplo a de que o Homem está perdido e é preciso salvá-lo. É o ideal com seus sistemas conhecidos como religiões ou ideologias.
        E por aí vai.
        Bem, prezado Boff, espero que o tenha ajudado em alguma coisa sobre alguma coisa da fenomenologia da mente
        Um abraço.

  5. adriano permalink
    09/02/2015 9:25

    E qual seria a raiz do fundamentalismo?
    Os animais irracionais têm instinto, porém, alguns animais têm afinidade com seus “donos”, tais como cachorros, gatos, etc.
    Porém, tente passar a mão em um leão, provavelmente ficará sem ela e, por quê?
    Por que o leão nos ataca? Será ato de defesa, instinto, maldade, fome, delimitação territorial?
    Agora olhe para nós mesmo, além do caráter instintivo, temos o nosso livre arbítrio, e também exercemos os atos de defesa, maldade, fome, área;
    Neste fim de semana fui a um casamento e no momento de parabenizar os nubentes havia uma desorganização generalizada nas filas, porque haviam várias filas, um empurra empurra, ou seja, o mais forte sobressai;
    Onde está a educação que nos difere dos seres irracionais, onde está a educação no trânsito, onde está a educação com o próximo, onde está a educação com o nosso empregador, ou deste com o seu operário?
    Será culpa do “tempo”, será culpa de nossas vontades, ou será o ato de nos sentirmos mais espertos que os outros?
    O que está havendo é um movimento constante de ausência do bem, o amor hoje seria algo em extinção, porque quando vimos atos de caridade chama-nos a atenção por ser um ato diferente do cotidiano;

    Agora entrando no campo do texto, do fundamentalismo religioso e político, vimos constantemente gente matando e morrendo por estas causas, e pra quê? Quem garante que esta ou aquela religião é a melhor? Quem garante que tal modelo político é melhor que o outro? Estamos agindo iguais aos animais irracionais, criamos afinidade com este ou aquele modelo político/religioso e achamos que é o correto.
    O que vivemos constantemente é um eterno recomeço, que assim se define nas palavras de Nietzsche, uma síntese dessa teoria é encontrada em uma de suas obras: “A Gaia Ciência:”

    “E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: “Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência – e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez, e tu com ela, poeirinha da poeira!”. Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderías: “Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!” Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: “Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?” pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?”

    Será que não somos capazes de escrevermos a nossa história pelas nossas próprias mãos? (COMO DIRIA DYLAN – Zé Geraldo)

    Acho que o que está faltando é coragem de levantar a bandeira do amor em todas as suas formas. (escrever é fácil, o difícil é praticá-las). O AMOS FOI A MENSAGEM PRINCIPAL DEIXADA POR DEUS.

    BOA SEGUNDA FEIRA.

    • adriano permalink
      09/02/2015 10:49

      “Nos indivíduos, a loucura é algo raro – mas nos grupos, nos partidos, nos povos, é regra.” Nietzasche

  6. adenir permalink
    09/02/2015 10:42

    As religiões em sua expansão e fragmentação estão sujeitas ao ECLETISMO, CULTURALISMO, POPULARISMO, SINCRETISMO, etc…O catolicismo e protestantismo vieram da Europa para a América com características de seitas e de religiões de terceira Classe: ROMA-PENÍNSULA IBÉRICA – BRASIL. A Reforma Saxônica foi para a Grã Bretanha e depois para os Estados Unidos e finalmente para o Brasil como uma REFORMA de QUARTA CLASSE. A religiosidade popular imatura e fanática acrescentou características primárias à prática religiosa. VALE TUDO E TODOS SANTOS. Bonito e simpátrico, mas sem esperança…Nestes tempos da FÉ somente o DEUS VIVO e VERDADEIRO pode dar esperança, fé e amor. Assim como misericórdia e compaixão.
    CHE – GA. Pois é preciso um BASTA. A História é entendida e conhecida, muitas vezes, no DEPOIS que JAÉ e HÁ-DE-VIR em presença e Glória.

  7. Mario Real permalink
    09/02/2015 15:34

    Sobre o tópico VERDADE, lembrei de uma história onde se conta que… tinha acontecido uma festa no Céu, e ao final ficaram copos e guardanapos espalhados pelos chão (do céu). então São Pedro (guardião) chamou dois querubins e pede que façam a limpeza…. varre que varre um deles bate com o cabo da vassoura num vaso enorme, multicolorido e este cai lá de cima e se espatifa aqui na terra…. Os querubins vão a São Pedro que lhes diz sério… este vaso é o vaso que Nosso Senhor mais gosta… Vamos ter que colocar a humanidade toda a reuni-lo e é para isto que aqui estamos. O vaso era o VASO da VERDADE….
    Assim, nestes continentes as pessoas procuram os pedaços do vaso e quando encontram um pedaço afirmam (egoisticamente) eu descobri a verdade… Como o vaso era multicolorido digamos que tenha encontrado um pedaço preto… e afirma-se a VERDADE é PRETA… Só que lá no Japão alguém encontra um pedaço amarelo e afirma, batendo no peito, a VERDADE é AMARELA e assim sucessivamente. Já um pesquisador dedicado é aquele que, após anos de estudo e testes, encontra uns 15 a 20 pedaços do vaso e ganha um prêmio Nobel… mas de fato, ninguém reunirá o vaso, pois a VERDADE PLENA é domínio do Absoluto, do Divino, de Deus.
    Nesta questão do fundamentalismo de lá e de cá, como o Frei Leonardo coloca, há uma infinidade de pedaços reunidos, e junto com estes hipóteses formuladas, desconexas ou razoavelmente conexas que encantam grupos… alguns chegam a alucinar.
    A solução é dificílima pois a história mostra erros graves de cá e de lá… mas, como agir… deixar malucos matarem numa jihad ensandecida ou permitir que se provoque, a título de zombaria (ou liberdade) pontos nevrálgicos dos muçulmanos…
    De verdade temos que aumentar nosso nível de tolerância, crescer diminuindo-nos. A fraternidade verdadeira, como expressava São Francisco é extremamente necessária hoje. O Papa Francisco tem dito isto diversas vezes, de formas distintas. A Campanha da Fraternidade coloca o Servir como mote redentor de nossas vidas. Ser servo e se reconhecer como servo inútil é um desafio… maior muito maior do que combater o fundamentalismo…

  8. Nice permalink
    09/02/2015 19:23

    Talvez seja mais fácil falar do fundamentalismo religioso já que este está no foco da mídia. Mas como bem disse o autor, há dois fundamentalismos, o político e o religioso. Ambos são perigosos. Mas talvez o politico esteja sendo omitido neste momento, e as incondicionalidades partidárias ganham espaço para fazer a lambança do jeito que querem, em nome da democracia. Brasil… Brasil…

  9. Questões Relevantes permalink
    09/02/2015 21:08

    Interessante a abordagem. Dialoga bem com outro artigo que também tenta responder a esta questão: COMO A CIVILIZAÇÃO PODE VENCER A BARBÁRIE SEM RECORRER AOS MESMOS MÉTODOS?
    http://goo.gl/W0IVIJ

  10. 12/02/2015 3:29

    Republicou isso em Alejandro Valle Baeza.

  11. MJulio permalink
    13/02/2015 10:23

    Ao sermos aprisionados pela mente(memória e desejos) adquirimos certezas e daí o ideal, sistematizado nas religiões e ideologias com seus dogmas, sua falsa-moral dividindo as pessoas em boas ou más e pior,com a necessidade de eliminar estas últimas.
    Enfim, com a mente, a alienação. A perda da referência da natureza que se traduz no palpável e no visível. A opção em não enxergar o fato. Negar que uma árvore é uma árvore.

  12. jose antonio moser permalink
    17/02/2015 11:00

    Religião e para libertar e não para ser escravo

  13. 22/02/2016 11:41

    Justo seria os demais cidadãos europeus pagarem pelo erro econômico dos gregos. Seria o mesmo que um condômino que sempre pagou suas obrigações em dia, ver que o vizinho mau pagador está dispensado de fazer o mesmo. Um claro exemplo do morto e enterrado (mas sempre tendo a esperança de retorno, como um zumbi ideológico) do comunismo (ou seus congêneres). O capitalismo selvagem é cruel. O capitalismo com viés social (direitos básicos de qualidade à todas as camadas, respeito pelo direito privado e a MERITOCRACIA) é sem dúvida o menos injusto de todos os sistemas.
    Para exemplificar, vamos ao método científico, vamos à tentativa-e-erro: Quem saltava o muro de Berlim? Eram os alemães ocidentais tentando ir para o lado oriental(comunista) ou o contrário? Quem eram os guardas armados ao longo do Muro? Ocidentais ou Orientais?
    Comunismo-Marxismo-Maoismo-Socialismo já foi experimentado e foi um grande fracasso, com o agravante de além de ter MATADO muitos, matou o que de mais valor a sociedade humana pode ter: a liberdade de expressão e a democracia.

    Em relação aos citados papais, vejo a tendência do autor em expor só os fatos que lhe convém,que corroboram a sua clara frustração pelo fato da Teologia da Libertação, o comunismo travestido de ideologia religiosa, ter sido devidamente BANIDA pelo Papa Bento XVI. E nem adianta argumentar que o Papa Francisco tem um lado de preocupação social, pois esse tipo de preocupação é possível dentre aqueles que defendem a meritocracia.

    Abraços Fraternos,

    Kleber

    P.S: A Igreja Católica é a maior instituição, em termos de filantropia, do MUNDO!

    • 24/02/2016 19:00

      Vc é confuso e um iludido pelo fetiche do capitalismo que está levando o planeta e vc junto ao abismo.

Trackbacks

  1. Fundamentalismo do Ocidente e do Extremo Ociden...
  2. Fundamentalismo do Ocidente e do Extremo Ocidente | AFAGO...OU AFOGO.
  3. Fundamentalismo do Ocidente e do Extremo Ocidente « Associação Rumos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: