Skip to content

No Brasil corrupção naturalizada está sendo desmascarada

29/05/2016

É estarrecedora a corrupção que se constatou no Brasil nos últimos tempos, especialmente aquela revelada pela Operação Lava Jato, vulgarmente chamada de “petrolão”, vale dizer, ligada a uma das maiores petroleiras do mundo, a Petrobrás do Brasil. Os números são sempre pelos milhões de dólares que escandalizam e vão além de qualquer bom senso, mesmo entre ladrões e mafiosos.

Os organismos norte-americanos de vigilância que espionaram a Presidenta Dilma, espionaram também a Petrobrás, devido ao fato de deter uma das maiores jazidas de gás e petróleo do mundo, que se encontra o Pre-Sal. Detectaram indícios de alta corrupção que estava ocorrendo na empresa. Alertaram, então, as autoridades brasileiras que iniciaram uma investigação. Encontraram uma teia imensa de corruptores e corruptos que envolviam grandes empreiteiras, altos funcionários da Petrobrás, gente do próprio Governo, doleiros e não ausentes setores do judiciário. Beneficiados foram especialmente políticos de quase todos os partidos (e há exceções louváveis) que financiavam suas custosas campanhas eleitorais com esse dinheiro da corrupção, sob forma de propinas milionárias.

Desde o início, as investigações que envolveram os principais órgãos da justiça e da polícia foram viciadas por um componente político. Focalizou-se particularmente, um partido, o PT que estava no poder e que seus opositores queriam, seja pela via legal da eleição ou por qualquer outro expediente ao arrepio da normalidade democrática, alijá-lo do poder. Os vazamentos, problemáticos em termos legais, praticamente se concentraram no PT relevando e até ocultando o envolvimento de outros partidos, máxime da oposição.

A partir daí se criou praticamente uma generalização (de si injusta porque recobre membros corretos, diria em sua grande maioria, nas bases partidárias dos municípios) de que corrupção era coisa do PT. Importa reconhecer que o partido se beneficiou dos esquemas de corrupção. Mas seria injusto considerar que detinha o monopólio da corrupção. Essa é endêmica na vida política e social do país e perpassa partidos e empresas e inclui muitíssimos cidadãos ricos seja sonegando altas somas de impostos, seja escondendo grande parte de suas fortuna em bancos estrangeiros ou um paraísos fiscais.

Raramente em nossa história recente temos assistido grandes empresários sendo presos, interrogados, condenados e encarcerados. A corrupção que se havia naturalizado nos mais altos estratos dos negócios e da política começou a ser desmascarada e posta sob os rigores da lei. Tal fato constitui um dado de altíssima relevância e um avanço no sentido da moralidade pública.

Mas para sermos realistas e não moralistas, não podemos reduzir a corrupção a este evento nefasto do “petrólão” desvelado pela Operação Lava Jato.

Importa reconhecer o fato de que o sistema do capital com sua cultura é em sua lógica também corrupto, embora aceito socialmente. Ele simplesmente impõe a dominação do capital sobre o trabalho, gerando riqueza sob a forma de exploração do trabalhador e devastação dos escassos bens e serviços da natureza. Produz uma dupla injustiça, uma social e outra ecológica, esta última atualmente ameaçadora do equilíbrio do sistema-Terra e do sistema-vida. Os juros dos bancos privados no Brasil são dos mais altos do mundo e os ganhos, exorbitantes.

Thomas Piketty com o seu “Capitalismo do século XX” deixou claro que lá onde entram relações capitalistas logo surgem desigualdades que tensionam a sociedade e fragilizam a democracia que supõe uma igualdade básica de todos face à lei e os direitos garantidos com inclusão social.

As nossas formas de corrupção possuem raízes históricas no colonialismo e no escravagismo, em si violentos, que levavam as pessoas, para manterem um mínimo de liberdade, a corromper-se e a corromper. Inventou-se o famoso “jeitinho”.

Há também uma base política no arraigado patrimonialismo que não distingue o público do privado e leva as elites a tratarem a coisa pública como se fosse sua e a montar um tipo de Estado que lhes garante os privilégios.

Tudo isso gerou uma cultura da corrupção, como algo natural e intrínseco à vida social e política. Os corruptos são vistos como espertos e não como criminosos, o que de fato são. E tanto ele quanto os corruptores contam com a impunidade.

Filosoficamente pensando, qual é a raiz última da corrupção? Talvez o católico Lord Acton (1843-1902) que era historiador e pensador, nos ajude. Diz ele, a corrupção reside fundamentalmente no poder. Sempre citada é sua frase: ”o poder  tem a tendência a se corromper e o absoluto poder corrompe absolutamente”. E acrescentava:”meu dogma é a geral maldade dos homens portadores de autoridade; são os que mais se corrompem”.

A tradição filosófica e pscanalítica nos tem persuadido de que em todos os seres humanos há notória sede de poder. O poder não pode se garantir senão buscando ainda mais poder. E o poder se materializa sob muitas formas, no status, na busca de títulos mas principalmente no dinheiro. Quanto mais dinheiro, mais poder.

Para consegui-lo não vale só o trabalho honesto mas todas as formas perversas que permitem multiplicar o dinheiro, quer dizer, asseguarar mais e mais poder. É o caminho da corrupção, especialmente delapidando o bem publico, utilizando-se dos aparelhos do Estado.

A história mostra a ilusão desta pretensão. De repente pode-se perder tudo e ficar na miséria. Se a pessoa não puser sob controle a sua sede de poder e de acumulação, é castigada com o pesadelo de sentir-se perdida e sem chão.

O antidoto a essa sede de poder e de dinheiro, a nível pessoal é a honestidade, a transparência e a salvaguarda do valor sagrado da auto-dignidade. A nível político pelo sistema de controle e vigilância que todo o Estado deve ter.  Porque ambos não se verificam de forma adequada os corruptos campeiam impunes mas  se revelam desprezíveis e, finalmente, se tornam infelizes.

Será que saberemos tirar essas lições da corrupção naturalizada no Brasil e que finalmente foi desmascarada em parte pela Operação Lava Jato?

Leonardo Boff é articulista do Jornal do Brasil on line e escritor

27 Comentários leave one →
  1. Amaurih permalink
    29/05/2016 8:13

    Concordo com quase tudo, só tenho uma pequena discordância no que vejo como contradição, se analisando o que diz Lord Acton (1843-1902), que “a corrupção reside fundamentalmente no poder”, tentando se imiscuir das responsabilidades o partido que detinha o poder. E quanto à origem da operação, creditar a “organismos norte-americanos” é uma licença poética que favorece a luta contra o “imperialismo do capital” comum à militância da esquerda, desqualificando o trabalho de investigação da Polícia Federal sobre a ação dos doleiros envolvidos. A corrupção se desenvolve se o poder for corrupto, omisso ou permissivo. Quem tem experiência em licitações, sabe muito bem que as empreiteiras, para se manterem, para terem serviços, para manterem suas empresas se amoldam às condições oferecidas pelos responsáveis pelo processo licitatório. Com isso muitas vezes têm duas propostas, uma para o caso de ser um processo lícito, e outra caso haja esquema. Não sei se podemos condenar a empreiteira que aproveita do esquema, e proteger os gestores que permitiram e se locupletaram dos desvios.

    • 30/05/2016 1:49

      Amaurih, vc deve deixar de ser ingenuo.A monitoração do golpe envolve os organismos de segurança dos USA, da CIA e do Pentágono. Isso foi denunciado por nomes notáveis dos proprios USA especialmente por Noam Chomsky, um dos maiores analistas da cena mundial e pelo historiador americano Green.

    • André Lacerda permalink
      30/05/2016 22:06

      Amaurih, com permissão da discordância, todos os empreiteiros corruptos (assim como os agentes públicos corruptos) devem ser exemplarmente punidos, pois, além de possuírem poder econômico, muitas vezes, financiam campanhas eleitorais vitoriosas. Ou seja, adquirem também poder político.

      • Amaurih permalink
        05/06/2016 17:27

        Não disse que não devemos punir os empreiteiros, só quero saber porque os políticos que estão por detrás do aparelhamento do Estado são blindados.

      • André Lacerda permalink
        08/06/2016 8:32

        Certo, Amaurih. Além disso, eu gostaria de corrigir uma fala minha. Em vez de “devem ser exemplarmente punidos”, devo dizer “devem ser julgados com retidão”.

  2. 29/05/2016 8:49

    Obrigado por sempre desvelar o mundo para nós… Deus o abençoe sempre.

  3. 29/05/2016 9:03

    Republicou isso em trabalhadoresdaemgeprone comentado:
    Às vezes, fico relembrando os políticos, agora arrolados, como Aécio Neves, na TV, olhando para a câmera e exigindo a cessação da corrupção, a prisão de Genoíno, Zé Dirceu, Palloci etc. Ao mesmo tempo, telespectadores e leitores de jornais e revistas hostilizavam aqueles que sabiam discernir o jogo sujo em andamento no campo da política: O povo brasileiro foi usado como boi de piranhas.

  4. Tácito permalink
    29/05/2016 10:02

    Meu bom, irmão Boff

    “Filosoficamente pensando, qual é a raiz última da corrupção? Talvez o católico Lord Acton (1843-1902) que era historiador e pensador, nos ajude. Diz ele, a corrupção reside fundamentalmente no poder. Sempre citada é sua frase: ”o poder tem a tendência a se corromper e o absoluto poder corrompe absolutamente”. E acrescentava:”meu dogma é a geral maldade dos homens portadores de autoridade; são os que mais se corrompem”.

    Se o problema está naquele o qual tem o poder. Não vai ser mudando o sistema político do capitalismo para comunismo que esta história nefasta vai se transformar. Mas pelo ao contrário, será exponencial multiplicada como bem você citou.
    E a maior prova que isso é real, foi os 14 anos do governo do PT, que infelizmente, eu o ajudei a construir, mas pela graça de Deus, tenho o poder de retirá-lo. Assim se deu no Brasil, no governo de Dilma ficou bem claro, o desejo deste poder “querer mais poder” aponto de não ter capacidade de voltar atrás, de justificar as suas ações para o seu povo. E para sustentação deste poder criou uma verdadeira maquina de corrupção. Envolvendo políticos, artistas, teólogos e pseudos intelectuais. Por que justamente o medo de perder tudo e ficar na miséria e sem chão, impôs a ideologia da perpetuação do poder.

    Sendo assim,não foi injusto começar pela cabeça. A polícia tem que aprender a caçar aqueles que tem o poder de fazer o bem e deliberadamente não o faz. E não tem a desculpa que foi a elite. Quem está roubando o Brasil é o partido do povo. Que vendeu a nossa “Esperança” e insiste permanecer no poder, comprando os votos do pobres e oprimidos, não deixando de replicar o coronelismo do século passado.

    • 30/05/2016 1:46

      Tácito, vc não referiu o bem que o governo Lula-Dilma fez para os pobres, 40 milhões que agora correm risco de perder o que ganharam e de voltar ao mundo da fome.As escutas dos golpista era de tirar Dilma para encerrarem o Lava-Jato onde muitos políticos da oposição e outros se corromperam ou se beneficiaram da corrupção que vem de longe e não é de agora.Devemos fazer um juizo justo e equilibrado por amor à própria realidade.

      • Tácito permalink
        30/05/2016 11:34

        Em primeiro momento, olhando o todo. Eu entendo que Lula foi um excelente governante dentro da realidade que ele encontrou. Mas também não podemos negar que a ganância, as maracutaias, a fome de se manter no poder a qualquer custo foram exponencialmente proporcional em todos os sentidos. O governo dele simplesmente popularizou a corrupção em grau e número. A corrupção, que outrora, era de alguns, agora é de todos.
        O mundo mudou, é impossível nos dias de hoje. Não reconhecer estes 40 milhões de pobres. Os quais agora precisam progressivamente, sair desta zona de pobreza, e emfim entrar na zona de trabalhadores que possuem a dignidade de conquistar o pão de cada dia com o suor de seu trabalho.

  5. bALMANT permalink
    29/05/2016 10:05

    Brecht pedia alerta máxima para tudo que é natural. O natural caminha junto com o espiritual. O simbólico e artificial é cultura do natural. Todo artista tem que ir onde o povo está. O socialismo é ampliação da democracia. Capitalismo não exclui socialismo, nem socialismo exclui capitalismo. O dinheiro é símbolo relacional. O sapateiro precisa do alfaiate e o alfaiate precisa do sapateiro. Somos INTERDEPENDENTES como os paíse da ONU. United States(UN). Ninguém é DOIS a não ser no Pai, Filho e Espírito Santo. Os PODERES são simbólicos e representativos. O PODER brasileiro ficou confuso e nebuloso.
    A Dilma foi eleita com 54 milhões de votos , mas ainda quis ser PRESIDENTA através de um decreto ridículo, impositivo e incoerente. Permanece nesta terimosia. O REQUIÃO TEM RAZÃO. De um decreto pode ir ao concreto do peso ditatorial e massificador. São arestas a acertar porque o sistema republicano é defasado, desatualizado e miscigenado .

  6. 29/05/2016 14:22

    LBFF.

    Parabéns pelo seu post desse domingo. Como sempre a sensatez é a sua marca.

    Precisamos de uma reforma política profunda pois do jeito que está, o Brasil não vai sair dessa crise financeira, moral e ética, além de piorar cada vez mais a situação dos menos favorecidos. PARABÉNS!

  7. 29/05/2016 14:35

    Muitos erros gramaticais no texto…

  8. Assumpção Terezinha permalink
    29/05/2016 19:00

    A corrupção que não começou com o PT mas que também o contaminou, por ser a regra que não podia ser corrompida. A desfaçatez dos corruptos históricos começa a ser desmascarada mas fala muita gente ainda, na lista dos horrores da Direita golpista. Determinados a investir contra o Pt, Lula e Dilma, esqueceram que tinham telhado de vidro bem fino. Agora eles não podem mais esconder que a sujeira começou com eles corrompendo, coagindo e encurralando o governo legítimo de Dilma Roussef

  9. 29/05/2016 22:17

    Estatística preocupante: no mundo, de 3 pessoas, só 1 conhece Jesus Cristo. A salvação se encontra no “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” Marízia Costa Carmo Lippi,Diocese de Petrópolis-RJ.

  10. IN~ES MASSA DE SOUZA DE DEUS permalink
    30/05/2016 9:27

    O Tácito tem toda razão. Não se pode justificar o que se fez de bom. Fizeram sim! Mas o que fizeram de mal afetou toda uma sociedade e com repercussão gravíssima para os pobres, principalmente na saúde. Quanto a perder o que foi conquistado, quem falou isto. Não tenho visto isto acontecer. No mais, não existe no Brasil mais em quem acreditar. Nenhum partido!. Mas o PT, esse não! esse não poderia fazer o que fez, era nossa esperança. Não é, Dr Leonardo, que condenamos só o PT. É que esse fez o mais grave. Mentiu para o povo de forma muito sórdida. Precisamos de uma casta nova de políticos. Aquele Instituto Lula só sabe mentir. E, Todos sabem disto.

  11. Nelson Martinez permalink
    30/05/2016 10:21

    “Ninguém vai ao Pai senão por Mim.”
    Esta Lei tem desdobramentos de significados.
    O Pai é Vontade-Poder, o Filho é Amor-Sabedoria.
    Assim, pela Lei, ninguém pode alcançar mais poder, se não através do amor. Níveis mais altos de poder, exigem maior sabedoria, maior capacidade de amar.
    Este é o único caminho para que o poder não se envenene, não se corrompa.
    Só para ilustrar, toda a saga de Senhor dos Anéis, de Tolkien, tem como foco principal esta questão do envenenamento do poder desconectado do amor.

  12. 30/05/2016 11:31

    Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Mais um excelente artigo do Leonardo Boff. Segue um trecho: “Raramente em nossa história recente temos assistido grandes empresários sendo presos, interrogados, condenados e encarcerados. A corrupção que se havia naturalizado nos mais altos estratos dos negócios e da política começou a ser desmascarada e posta sob os rigores da lei. Tal fato constitui um dado de altíssima relevância e um avanço no sentido da moralidade pública.

    Mas para sermos realistas e não moralistas, não podemos reduzir a corrupção a este evento nefasto do “petrólão” desvelado pela Operação Lava Jato.

    Importa reconhecer o fato de que o sistema do capital com sua cultura é em sua lógica também corrupto, embora aceito socialmente. Ele simplesmente impõe a dominação do capital sobre o trabalho, gerando riqueza sob a forma de exploração do trabalhador e devastação dos escassos bens e serviços da natureza. Produz uma dupla injustiça, uma social e outra ecológica, esta última atualmente ameaçadora do equilíbrio do sistema-Terra e do sistema-vida. Os juros dos bancos privados no Brasil são dos mais altos do mundo e os ganhos, exorbitantes.

    Thomas Piketty com o seu “Capitalismo do século XX” deixou claro que lá onde entram relações capitalistas logo surgem desigualdades que tensionam a sociedade e fragilizam a democracia que supõe uma igualdade básica de todos face à lei e os direitos garantidos com inclusão social.

    As nossas formas de corrupção possuem raízes históricas no colonialismo e no escravagismo, em si violentos, que levavam as pessoas, para manterem um mínimo de liberdade, a corromper-se e a corromper. Inventou-se o famoso “jeitinho”.

    Há também uma base política no arraigado patrimonialismo que não distingue o público do privado e leva as elites a tratarem a coisa pública como se fosse sua e a montar um tipo de Estado que lhes garante os privilégios.

    Tudo isso gerou uma cultura da corrupção, como algo natural e intrínseco à vida social e política. Os corruptos são vistos como espertos e não como criminosos, o que de fato são. E tanto eles quanto os corruptores contam com a impunidade.” (leia a íntegra do texto no link a seguir)

  13. 30/05/2016 18:42

    Republicou isso em tyrsoreblog.

  14. André Lacerda permalink
    30/05/2016 22:39

    Com relação a todos esses acontecimentos recentes que ocorreram no Brasil, tenho a impressão que estamos vivendo um momento extremamente novo – não necessariamente bom e nem totalmente ruim. Não é bom porque o governo instalado carece de legitimidade e está afinado com as torpes práticas neoliberais; não é totalmente ruim porque, até que enfim, foi deflagrada uma operação contra a corrupção em nível nacional (a bem da verdade, agora, esperamos, não só a continuidade da Lava Jato, mas como a sua expansão para milhares de outros governos, estaduais e municipais). Mas, o que mais me chamou atenção mesmo, nesses novos tempos, é o choque que nós, brasileiros, estamos recebendo com toda essa exposição de nossas mazelas, e que não deixa dúvidas de nossa hipocrisia. Somos individualistas, e posamos de democratas. Somos egoístas, e posamos de solidários. Somos cristãos, e pouco nos importamos com a miséria alheia.

  15. BALMANT permalink
    31/05/2016 10:07

    LÁ – LÉ – LI – LÓ – LULA
    A CÉLULA DO LUIS INÁCIO TEM DNA BRASILEIRO
    E O ÁCIDO RIBO NUCLEICO DO MUNDO INTEIRO
    SANGUE SOLTO NA LUTA DA CRUZ DE CADA DIA.
    MAIS DE CINQUENTA E QUATRO MILHÕES ESTÃO
    COM LULA NAS RUAS,CASAS, CELAS E PALÁCIOS.
    PAPA FRANCISCO COMUNGA COM O IRMÃO LULA
    LEONARDO BOFF ENSINA LULA NA CAMINHADA
    CHICO BUARQUE CANTA PRA LULA NA JORNADA
    FRANCISCANOS ESTÃO COM LULA NAS ESTRADAS
    BOLSONARO É CONTRA LULA DESDE MADRUGADA
    MALA FALHA FAIA COM LULA QUASE TODO DIA
    TEM VASCAÍNO TRAINDO LULA DESDE CRIANCINHA
    LULA BRILHA AO SOL DE CADA DIA, NA LUA TARDIA
    E NA NOITE DA MADRUGADA ONDE CANTA O GALO.
    (ADENIR BALMANT – 2016)

  16. 31/05/2016 11:44

    Republicou isso em Zefacilitador.

  17. André Lacerda permalink
    31/05/2016 12:20

    A corrupção que envolve grandes empresários e figurões do poder público é extremamente danosa ao país, tanto do ponto de vista econômico-social, quanto do ponto de vista ético-moral, pois tais agentes, ao consumirem vultuosas verbas públicas de forma ilícita, destroem possibilidades de melhores condições de vida para a população e tornam-se os piores exemplos para a sociedade. Por conta disso, a meu ver, a Lava Jato tem que continuar e ser expandida para os estados e municípios.
    Quanto a este processo recente (Lava Jato), uma lição importante a aprendermos, de uma vez por todas, é que não serão grandes salários ou boas remunerações que irão afastar as pessoas dessa delinquência. Muito antes, pelo contrário, se uma pessoa é corrupta, ativo ou passivo, quanto maior a remuneração, maior será o seu desvio. Portanto, ética, transparência e justiça continuam sendo os requisitos básicos para a correção dessas estapafúrdias.

  18. leosimoes permalink
    01/06/2016 14:42

    Ótimo texto!

  19. Charles Rodka permalink
    07/06/2016 19:29

    Professor, refletindo sobre sua proposta da relação corrupção-poder, vi-me um pouco dividido na maneira de entender as coisas. Sempre pensei na corrupção – tal como nossos outros defeitos – meditando entre dois lados: o bom e o ruim, evitando mensurações, baseado num raciocínio primário de não quantificar se é possível estar mais ou menos na luz ou trevas e sim dentro ou fora.

    Um autoexame sob a nova perspectiva, estendido à realidade ao meu redor, levou-me a questionar qual seria o ponto ideal entre posicionamento e radicalismo, evitando as
    armadilhas sutis de maniqueísmos ou reducionismos equivocados. Remover uma convicção para analisá-la, trouxe um desconforto – espero que breve – como a redução de visão ao retirar os óculos antigos para corrigir o grau. É quando confrontarmos aquela muralha chamada limitação, tão íntima e ao mesmo tempo tão nossa.

    Partindo dessa premissa, é preciso descobrir onde estamos, antes de traçar uma rota para onde se quer chegar. Encontrei, na mídia alternativa, o contraditório às informações veiculadas na grande imprensa, como combustível nesta jornada. Estamos num momento turbulento, mas talvez seja exagero chamar a situação atual de confusão. Sem o regime militar, começamos a assumir as rédeas do nosso destino, sim, mas também obrigados – para o bem ou mal – tanto a lidar com as consequências de nossas escolhas, quanto a agir com responsabilidade. Sem o véu da censura, pudemos, enfim, olhar para nós mesmos em toda nossa desigualdade e contradição. Um país rico mergulhado em pobreza, entre saques de supermercados e arrastões noticiados diariamente na TV.

    Elegemos o coronel Collor, que semeou a globalização, abrindo o país para mais empresas estrangeiras e sinalizou ao Brasil, com seu exemplo, os riscos para o país da queda pela ambição desmedida. Itamar, bem ou mal, manteve a governabilidade do país, implantando o Real.FHC e o PSDB começaram trazendo segurança, celulares, frango e dentadura para o povo. Arrastões e saques em supermercados pacificados e com dois mandatos, decidiram que o país devia mais era agradecer pelo Real, enfiar a dentadura e o frango na boca, caladinhos, trabalhar mais e reivindicar menos. Aposentado então é que não devia sonhar em reclamar, porque eram “uns vagabundos”.

    Escândalos? SIVAM, Pasta Rosa, Proer, Sudam, Sudene, fora outros. Privatizações a todo vapor atendendo aos desejos do mercado financeiro, com a PGR no bolso. Em 2002, quando viram que o povo queria mais que dentadura, frango e a candidatura de Lula passou a ser uma ameaça, tentaram coagir pelo medo, brincando com a economia, levando o dólar a R$4,00 e aprovando uma linha de crédito para o país, junto a credores internacionais, às vésperas das eleições. Que jeito triste de terminar um ciclo, Sr. FHC.

    Lula e Dilma, aprofundaram o presidencialismo de coalizão, cujo peso não suportou ocultar os bastidores da corrupção multipartidária, mostrando que nem o partido líder das diretas já (MDB) e nem o ideológico PT são imunes. A grande imprensa não sofreu com falta de matéria-prima, só esqueceram imparcialidade, isenção e honestidade, ao ponto de transformarem TVs e jornais, no espetáculo grotesco que é imagem e semelhança da própria corrupção que habita as entranhas do país.

    Para não haver injustiça, apesar do lucro recorde dos rentistas, o governo federal nos mandatos do PT foi capaz de gerar emprego, transferiu renda para os mais pobres, democratizou o acesso a educação, livrou-nos da eterna dívida com o FMI, tirou o Brasil do circuito da fome, para nosso entusiasmo, entre outras conquistas. Espero que a luta iniciada pelos movimentos sociais tirem – em todas as classes – as pessoas do ódio, da letargia, da competição individualista por riquezas, num pacto pela oportunidade de decidir se queremos continuar vivendo como em algum momento entre feudalismo e o capitalismo industrial do séc. 18 ou se conseguiremos, ao menos, elevar a justiça social no Brasil ao nível de países mais civilizados e chegar, finalmente, ao séc.21, pra valer. Seria um motivo e tanto para celebrar.

Trackbacks

  1. No Brasil corrupção naturalizada está sendo desmascarada « Associação Rumos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: