Skip to content

A humanidade ameaçada por guerras letais

10/03/2017

Nós no Brasil conhecemos grande violência social, com um número de assassinatos dos mais altos do mundo. Não gozamos de paz pois há muita raiva, ódio, discriminação e perversa desigualdade social.

No entanto, estamos à margem dos grandes conflitos bélicos que se travam em 40 lugares no mundo, alguns que podem degenerar numa guerra nuclear como na Ucrânia e na Síria ameaçanndo o futuro da espécie humana. Estamos em plena nova guerra fria entre os USA, China e Rússia. Reintroduziu-se uma retomada na corrida armamentística na Rússia sob Putin e nos USA sob Trump com a produção de armas nucleares ainda mais potentes como se as já existentes não pudessem destruir toda a vida do planeta.

O mais grave é que a potência hegemônica, os USA, se transformou num Estado terrorista, levando uma guerra impiedosa contra todo tipo de terrorismo, exteriormente invadindo países do Oriente Médio e interiormente caçando imigrantes ilegais e prendendo suspeitos sem respeito aos direitos fundamentais, em consequência do “ato patriótico” imposto por Bush Jr que suspendeu o habeas corpus, ato não abolido por Obama como havia prometido.

Francisco, o bispo de Roma, retornando da Polônia disse no avião no dia 12 de julho de 2016:”há guerra de intereses, há guerra por dinheiro, há guerra por recursos naturais, há guerra pelo domínio dos povos: esta é a guerra. Alguém poderia pensar: “está falando de guerra de religiões. Não. Todas as religiões querem a paz. As guerras querem-nas os outros. Capito”? É uma crítica direta à atual ordem mundial, da acumulação ilimitada à custa dos bens e serviços escassos da Terra e dos países explorados. Todos falam de liberdade, mas sem justiça social mundial. Ironicamente poder-se-ia dizer: é a liberdade das raposas livres num galinheiro de galinhas livres.

Comentaristas da situação mundial, pouco referidos em nossa imprensa, falam de um real risco de uma guerra nuclear seja entre a Rússia e os USA ou entre a China e os USA.

Trump no dizer do intelectual francês Bernard-Henri Lévy (O Globo 5/3/216) afirma que “Trump é uma catastrofe para os EUA e para o mundo. E também uma ameaça”. De Putin, no mesmo jornal, afirma:”é uma ameaça explícita. Sabemos que quer desestabilizar a Europa, acentuar a crise das democracias e que apoia e financia todos os partidos de extrema direita. Sabemos também que em todos os lugares em que se trava a batalha entre a barbárie e a civilização, como na Síria e na Ucrânia, está do lado errado. Aí está uma verdadeira e grande ameaça”.

Segundo Moniz Bandeira em seu grandioso “A desordem mundial”, Putin quer se vingar da humilhação que o Ocidente e os USA submeteram seu país no final da guerra fria. Alimenta pretensões claramente expansionistas, não no sentido de refazer a antiga URSS mas os limites da Rússsia histórica. O risco de um confronto nuclear com o Ocidente não é excluído.

Estamos perdendo a consciência dos apelos dos grande nomes dos meados dos século passado como os de Bertrand Russel junto com Albert Einstein de 10 de julho de 1955 e uns dias após a 15 de julho de 1955 secundado por 18 prêmios Nobeis entre os quais Otto Hahn e Werner Heisenberg que afirmaram: ”com horror vemos que este tipo de ciência atômica colocou nas mãos da humanidade, o instrumento de sua própria destruição”. O mesmo afirmaram 85 Nobeis presentes na cúpula dos povos durante a Rio-92.

Se naquele tempo a situação se apresentava grave, hoje ela é dramatica. Pois além das armas nucleares, estão disponíveis armas químicas e biológicas que também podem dizimar a espécie humana.

Supõem alguns analistas dos conflitos mundiais que o próximo passo do terrorismo não seria mais com bombas e homens-bomba mas com armas químicas e biológicas, algumas tomadas da reserva bélica deixada por Kadaphi.

Na raíz deste sistema de violência está o paradigma ocidental da vontade de potência , vale dizer, uma forma de organizar a sociedade e a relação para com a natureza na base da força, da violência e da subjugação. Esse paradigma privilegia a força no lugar do diálogo e a concorrência à custa da solidariedade. Ao invés de fazer dos cidadãos sócios, os faz rivais e até inimigos entre si.

A esse paradigma do punho cerrado se impõe a mão estendida em função de uma aliança para a salvaguarda da vida; ao poder-dominação, há que prevalecer o cuidado que pertence à essência do ser humano e de todo o vivente. Ou fazemos esta atravessia, ou assistiremos cenários dramaticos, fruto da irracionalidade e da prepotência dos chefes de Estado e de seus falcões.

Leonardo Boff é articulista do JB online e escreu: A grande transformação, Vozes 2014.

Anúncios
10 Comentários leave one →
  1. 10/03/2017 20:36

    Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    De Leonardo Boff: “A humanidade ameaçada por guerras letais” -10/03/2017.

    “Nós no Brasil conhecemos grande violência social, com um número de assassinatos dos mais altos do mundo. Não gozamos de paz pois há muita raiva, ódio, discriminação e perversa desigualdade social.

    No entanto, estamos à margem dos grandes conflitos bélicos que se travam em 40 lugares no mundo, alguns que podem degenerar numa guerra nuclear como na Ucrânia e na Síria ameaçando o futuro da espécie humana. Estamos em plena nova guerra fria entre os USA, China e Rússia. Reintroduziu-se uma retomada na corrida armamentística na Rússia sob Putin e nos USA sob Trump com a produção de armas nucleares ainda mais potentes como se as já existentes não pudessem destruir toda a vida do planeta.” (continua; clique no linque para ler mais)

  2. Marízia Costa Carmo Lippi permalink
    10/03/2017 21:37

    “O homem é animal, mental, espiritual, divino” (Pe. Lauro Trevisan, Pallotino). Ele, homem, está matando sua parte nobre e dando vasão à parte inferior, mediante o materialismo, consumismo, a concorrência, o desamor. É triste e grave. A rainha Ester ante o perigo que a ameaçava e a seu povo,antes de apelar por proteção ao rei da Pérsia, prostrou-se em oração a Deus. Estou orando pela conversão e santificação da Humanidade. Convido todos que cremos a fazê-lo.

  3. Marízia Costa Carmo Lippi permalink
    10/03/2017 21:45

    O artigo expõe a gravidade do momento em que vivemos, habitantes do Planeta Terra. Mandatários desumanos conduzem nosso destino. Pessoalmente faço o que está ao meu alcance, oro pela conversão e santificação da Humanidade .

  4. 11/03/2017 0:58

    Republicou isso em Zefacilitador.

  5. Heber da Silva permalink
    11/03/2017 11:54

    Heber da Silva

    ________________________________

  6. Sam P permalink
    12/03/2017 15:28

    Não concordo. O islã não é apenas uma religião, é também um sistema político, e não quer paz, assim como o profeta Maomé, seus seguidores querem conversão pela espada e conquistar os países não muçulmanos. Muito triste ver que muita gente é tão ignorante acerca dos ensinamentos do islã e o conteúdo do alcorão e hadiths. Não há dúvida quanto à guerra por poder pelos grandes, mas o islã é o inimigo comum de todas as nações cristãs ou que um dia foram cristãs.

    • 12/03/2017 19:11

      Sam,vc não pode esquecer os sete séculos de presença dos muçulmanos na Espanha com seus sábios e místicos. Sem eles não haveria a Idade Média com suas filosofias e teologias. nem Tomás de Aquino e outros. Pois foram eles que conervaram os textos dos gregos. E viviam em paz, cristãos, muçulmanos e judeus. Até hoje temos os diálogos do grande Raimundo Lulo sobre o encontro dos representantes das tres religiões que discutiam pacifricamente suas teologias, suas diferenças e suas convergências. Não é verdade que o muçulmanismo é guerreiro. Nenhum grande conhecedor do Islam afirma isso. Como tudo o que é sadio pode ficar doente, assim também o islamismo e o cristianism com suas cruzadas e os milhares queimados pela Inquisição (eu quase fui pois tive que sentar na cadeirinha de Giordano Bruno e de Galileo Galileo no processo que a nova Inquisição me moveu em 1984). Não devemos julgar pela patologia mas pela sanidade. Sem o Islam isso nunca teria chegado até hoje e dentro de alguns poucos anos passará em número o própro cristinismo dado o seu crescimento na Africa e na Asia. Sejamos mais prudentes neste tipo de análise para não sermos injutos. lboff

  7. 19/03/2017 17:37

    Republicou isso em ventania solar.

    • Marizia Lippi permalink
      29/03/2017 1:11

      Os terroristas do ISIS são infelizes apossados pelo maligno. Não são religiosos ! Marízia Costa Carmo Lippi, Diocese de Petrópolis, paroquiana da Igreja do Sagrado Coração de Jesus e da Igreja do Rosário.

Trackbacks

  1. A humanidade ameaçada por guerras letais | Leonardo Boff | METAMORFASE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: